segunda-feira, 9 de março de 2009

Ainda a palma. Agora o pão

Tinha ainda uma raquete de palma já murchando na geladeira e, como era dia de fazer pão, nada mais justo que unir uma coisa à outra. E ver no que dava. Quando batida no liquidificador com água a palma virou uma babeira só. Achei que no pão isto seria até bom. E ainda tem uma certa acidez que ajuda no desenvolvimento do glúten. Por isto, arrisquei. E não é que funcionou? A massa ficou resistente, espichável, macia, modelável, mesmo tendo usado uma farinha comum (Dona Benta). A crosta e o miolo ficaram muito macios. Já o sabor não ficou lá estas coisas. Erbáceo demais, incluindo a linda coloração esverdeada. Mas esta vocação pode ser melhorada e intensificada juntando outras ervas como manjericão e salsinha. Ou ainda azeitonas verdes. Aí, sim, deve ficar muito melhor. Ainda assim, ficou bem bom.
Pão de Palma
1 raquete de palma pequena limpa e picada (250 g)
1 tablete de fermento fresco (30 g)
2 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (chá) de sal 800 g aproximadamente de farinha de trigo
1 ovo
4 colheres (sopa) de azeite (ou óleo)
Bata no liquidificador a palma com um pouco de água suficiente para fazer funcionar o aparelho. Despeje num medidor e complete com água até dar 2 xícaras (480 ml). Numa bacia, misture o fermento com o suco de palma, junte o açúcar e o sal e mexa bem. Acrescente a farinha aos poucos, batendo com uma colher de pau, até formar um mingau grosso. Acrescente o ovo e o azeite e misture bem. Vá juntando o restante da farinha aos poucos e trabalhando com as mãos, até formar uma massa firme. Sove bem até ficar uma massa lisa e brilhante. Cubra com plástico e deixe descansar por cerca de 1 hora ou até dobrar de volume. Divida a massa em dois, modele os pães de formato alongado, separando um pouco de massa pra decoração, se quiser. Coloque os pães em forma untada com manteiga e enfarinhada, cubra com pano e deixe crescer novamente por cerca de meia hora ou até retomar o volume. Faça decoração com a massa que reservou. Passe água na parte de trás da decoração (flores, galhos de trigo, folhas de palma, o que quiser) e cole sobre o pão. Polvilhe toda a superfície com farinha de trigo. Com estilete, bisturi ou faca afiada, faça uns cortes no pão e leve ao forno bem quente, pré-aquecido. Asse por 10 minutos. Abaixe o fogo e deixe assar por mais 50 minutos. Ou até dourar.
Rende: 2 pães

5 comentários:

milza disse...

Ei Neide!
Quem sabe se usarmos esta palma p/ fazer massa fresca de macarrao? Como a de espinafre entendi? Joga um molho branco por cima... So uma ideia.
Adoro s/ blog.
Milza

Ana disse...

Não acredito !!! Só você mesmo.
O que te abunda em criatividade, falta tanto por aí, e as pessoas não se arriscam muito com essas coisas diferentes e que em alguns lugares são únicas.
Adorei o pão, mesmo sabendo que o sabor não é lá essas coisas, mas é aí que entra a criatividade...um torresmo, uma pimentinha vermelha...ahahaah

Mariângela disse...

Neide, infelizmente não posso provar!! A decoração do pão também ficou linda,beijo!

Marly disse...

Eita pãozão charmoso. Eu não recusaria umas duas fatias dele!

maria lucia disse...

Neide, vou entrar para o coro:
"adorei o seu blog!"
:O)
vou tentar fazer este pão logo, tenho a palma aqui no jardim, dá flores vermelhas e fica cheia de beija-flor. nunca pensei em usar para cozinhar, é cheia de espinhos sutis.
beijinhos e, depois, conto como ficou, Malu