quinta-feira, 9 de abril de 2009

Instrumento de baixa tecnologia para os spätzle coloridos com manteiga de salvia

Pronto, prometo, não falarei mais sobre spätzle nos próximos meses. Sentirei falta apenas do trema, autorizado nos casos de palavras estrangeiras.
Faltava provar a massa rosada com beterraba e aí está. Usei a mesma fórmula que segui para o de taioba e de abóbora e pesei a farinha necessária para chegar a uma boa consistência. E o modo de fazer foi o mesmo, com exceção do spätzle maker ou seja lá o nome que isto tenha, feito pelo Marcos, apesar de ter um antigo que já mostrei aqui. Ele achou um servicinho bem porqueira aquele meu da marmita e até tentou consertar, mas machucou o dedo duas vezes nas rebarbas e desistiu. Mas, como eu já havia imaginado fazer os mesmos furos numa frigideira pois teria o apoio do cabo e o encaixe circular perfeito para panelas, ele se adiantou e, paramentado como cirurgião que é, com marcador, martelo, brocas, furadeira, lima, lixa d´água e protetor de ouvido, fez o mesmo trabalho que eu havia feito com prego e martelo. Claro, com alguma diferença de qualidade no resultado final. Paguei 5 contos por uma frigideira fuleira no supermercado e um beijinho pelo serviço. Compensou.
A dica pode ser útil para o leitor durango, prático, esperto ou pão-duro mesmo que não queira pagar aqui no Brasil quase 150 reais pelo utensílio apropriado (tem pra comprar no Espaço Santa Helena, no Shopping Bourbon e na loja Rauls, no Shopping Iguatemi). Ou para quem não encontra lugar que venda por perto. O único problema das frigideiras furadas ou outro tipo de spätzle maker que encaixe na borda da panela é que há um acúmulo de vapor embaixo dela e se, você não for rápido o bastante, a massa começa a cozinhar antes de cair na água. Aprendi rapidinho. Então, é só usar uma espátula firme e ter agilidade nas mãos. Vamos ao que interessa:

Para o spätzle de beterraba
1/2 xícara de beterraba cozida e amassada (110 g)
1 ovo
Água suficiente para completar 240 ml com a beterraba e o ovo
150 g de farinha de trigo especial (cerca de 1 e 1/4 de xícara)
1 pitada de sal
Numa xícara com 240 ml, coloque a beterraba bem amassada, já fria. Coloque por cima o ovo e complete o volume com água. Bata no liquidificador até a mistura ficar cremosa. Passe para uma tigela, junte o sal e mexa bem. Acrescente a farinha e bata até resultar numa massa firme e elástica. Passe pelo instrumento de fazer spätzle ou pela frigideira furada. Ou apoie uma tábua com a massa na borda da panela e vá cortando tirinhas com uma faca ou espátula, deixando cair direto sobre a água. Quando as massinhas boiarem como nhoque, tire com uma escumadeira e vá ajeitando numa travessa que deve ser mantida aquecida. Regue com um pouquinho de manteiga ou azeite só para não grudarem. Sirva com molhos ou carnes ensopadas. Ou com outros spätzle coloridos e manteiga de salvia (a seguir).
Rende: 3 porções

Para os spätzle coloridos, apenas misturei os três sabores (1/3 de cada receita: de taioba, de abóbora e este de beterraba - o restante de tudo, pinguei sobre caldo de carne, para fazer uma sopa). Para a manteiga de sálvia, derreti 2 colheres (sopa) de manteiga com umas 10 folhinhas de salvia finamente picadas. Deixei no fogo até quase dourar. Juntei as massinhas na frigideira e chacoalhei para misturar tudo. E nhac. Para 3 porções



Marcos até tentou consertar meu spaztle-maker-marmita. Mas, segundo ele, o estrago era irremediável e desistiu depois de machucar o dedo duas vezes nas rebarbas da geringonça. A frigideira, não. Ficou perfeita, lisinha por dentro e por fora. Tamanho da broca: 6 milímetros.

26 comentários:

Mariângela disse...

Neide,genial,como tudo que aparece por aqui.O trabalho do Marcos está perfeito, o Rui vai fazer um para mim bem deste jeito do teu,os spätzle estão super bonitos,nem na Alemanha,na terra deles,se vê tão alegres e coloridos assim,gostei muito! beijo!!

Bianca Elisa disse...

Sensacional, Neide, se me permite.
O meu eu trouxe da Alemanha, mas esse me parece realmente ótimo e funcional, vou até pedir para o Junior fazer um pra gente testar. E esse tricolore? Nossa... deve ficar delicioso. Quem sabe agora na páscoa? Aliás, uma ótima pascoa a você, sua família e a todos leitores.

noemi marinho disse...

Comi spätzle pela primeira vez no antigo Hungaria que ficava na esquina das alamedas Joaquim Eugênio de Lima e Jaú. Recentemente comi no AK e no Otto. E depois do seu post voltei à fase maníaca até que terça à noite acabei topando com um aparelhinho igual ao seu. Chamado de gnocchi gratter foi comprado pelo senhorzinho como ralador (que como tal,funciona muito mal, claro) e esta alegria me custou 25 reais! Estou sem ter como enviar a foto. Deixo o endereço para os amiguinhos que não têm tão engenhoso e hábil Marcos na vida.
Fujiyama - rua Pelotas, 83 - loja 196A e mais três endereços.
Beijo!

Suen disse...

Nossa! Preciso te dizer que estou impressionado com tanta determinação, esforço e trabalheira. Eu tenho em casa um kit ralador, sabe aqueles com um monte de tipos de corte? Ele é uma vasilha retangular na parte de baixo e tem uns encaixes na parte de cima em que vc escolhe qual ralador quer (em lâminas, em ralo grosso ou ralo fino). E tem uma dessas lâminas, que é de ralo fino, que é composto por um monte de circunferências com uns dentinhos nas bordas. Oras, o problema é que é de plástico, mas se virar esta lâmina, deve dar para fazer os spatzles. Nunca tentei, mas vou fazer o teste qualquer dia desses e te conto. Bom, de toda forma esses raladores, acho que comprei na Liberdade, deve ser bem mais barato que os 150 pilas. E nem todos tem um marido como o seu, não é?

Neide Rigo disse...

Mari, o Rui bem que poderia fazer um de cerâmica, hem?

Bianca, certamente o seu alemão é mais adequado, mas este também funciona muito bem. Depois me conte.

Noemi, que bom te ver por aqui!! Adorei saber, e acho que leitores do come-se tambem, do tal achado. Vou passar lá qualquer hora. Até peguei o endereço completo:
Lojas Fujiyama: Lojas Fujiyama - Rua Pelotas, 83 – Loja 196A (dentro do Multi Shop Pelotas - Metrô Ana Rosa) - São Paulo (SP) - Tel.: 5576-9451
www.lojafujiyama.com.br (não consegui acessar...)

Suen, acho que sei do que está falando. Só tome cuidado pra não derreter o plástico. Mas, mantendo uma certa distância da fonte de calor, tenho certeza que vai funcionar também.

Um abraço!
N

Fer Guimaraes Rosa disse...

Neide, preciso colocar meu marido pra trabalhar e fazer uma escutedinha dessas pra mim! :-)
Adorei a ideia, porque estou com sua receita de spaztle de abobora marcada pra fazer, mas estava matutando onde iria passar a massa. beijao! :-*

Anônimo disse...

Neide Acho que tem um erro tipográfico no texto...O correto deveria ser exceção invés de excessão.
Abraços
Heguiberto Souza
heguiberto.souza@gmail.com

Cris disse...

Oi Neide, adorei a série de spaetzle, hoje mesmo fiz aqui o tradicional, nas próximas vezes farei com suas sugestões de cor e beleza! Quando voltei ao Brasil e não tinha a minha máquina de spaetzle meu pai fez um para mim com lata de goiabada, mas esta sua frigideira ficou sensacional! Boa Páscoa! Bjs

Neide Rigo disse...

Fer, tenho certeza de que o Uriel vai achar bem divertida a brincadeira.

Obrigadíssima, Heguiberto. Foi um escorregaum .. Vou arrumar já.

Cris, pois é, cheguei à frigideira depois que minha amiga Veronika disse que o pai dele improvisou também com uma lata de doce.

Beijos e boa Páscoa!

Silvia - BH disse...

Comprei na Neckartal, um restaurante, padaria, confeitaria para alemães em BH. Vi que não me comportei bem e não comprei mais.

Ontem fiz com taioba e coentro em pó, (no lugar da noz-moscada) mas hoje, fiquei sem almoçar, peguei couve na horta e como para o jantar ia ficar pesado a couve mineira fiz outro spätzle, batendo a couve, cebolinha e tomilho. O tomilho porque era o que minha avó usava em dia de almoço mineiro à moda dela, que residia em SP.

Ficou ótimo - fiquei fã das hortaliças pois assim posso comer spätzle sem culpa!

Ainda não fiz o de espinafre.

Silvia - BH disse...

Parabéns ao otorrino que usa proteção de ouvido!!! Encantada!!!

Silvia - BH disse...

Neide, e se você tiver mais idéias para spätzle? Poderia prometer não falar mais a respeito até a próxima semana. Excelente prato para quando se quer comer algo mais quentinho e rápido à noite e pra criançada também.

Rui disse...

Neide. O Marcos é médico até quando faz furos na panela. Paramentado com todos os apetrechos no lugar certo e os furinhos geometricamente calculados. O que ele tem sobre o ouvido é um fone ou um protetor de ouvidos?
A Mariângela me pediu que fizesse um Spätzleschneider para ela. Como sou artesão vou fazer um meio chinelão
Abraços

Gourmandise disse...

Nossa que trabalhão! Tudo em nome da boa mesa!
bjos

Neide Rigo disse...

Silvia, que ótimo saber que está explorando outros vegetais. É claro que vou também continuar a brincadeira. É um jeito bom de comer carboidrato.

Rui, acho que nunca vai ver um otorrino com fone de ouvido. Protetor, sempre. Duvido que consiga fazer qualquer coisa chinelona. Quero ver.

Um abraço, N

Raíssa disse...

Parabéns pelo blog! Já anotei a receita do tucupi! Hmmmm.
Apenas uma observação: quando você escreveu "Sentirei falta apenas da CRASE, autorizada nos casos de palavras estrangeiras", acho que quis dizer do TREMA (e não da crase) que existe na plavra spätzle, mas foi abolida da língua portuguesa com a reforma! A crase é o acento agudo invertido: vou à feira.

Anônimo disse...

Desconfio que se a Neide resolvesse trocar a temática do blog para ensino da língua portuguesa não teria nenhuma dificuldade e logo teria um bom público. Escrevendo longos artigos todos os dias, para uma publicação informal e livre como é um blog não há que se espantar pela presença de um pastel aqui e ali.
Pastel é o nome popular de erros na tipografia antiga, manual. Ampliando o sentido, troca de um termo por outro.

Nai Romero disse...

Depois de ler tanto sobre eles aqui, lá fui eu googlear... Parece que a "patente" dele é requerida por vários países, bom, não é o mais importante.

Ah! Tem um artigo em português (sim!) na Wikipédia. já viu?

E um post bem engraçado no "La Cucinetta", um blog também bastante legal.

Adorei o trabalho do Marcos, acho muito fofo ele se "ocupando" rs
Vou pedir por meu petit fazer um desses pra mim também, ele é cheio de querer fazer as coisas... Pena que as vezes sai cada 'gambiarra'. rs

=*

Neide Rigo disse...

Raíssa!
Nossa, que pastel. Claro que quis dizer trema. rsss. Obrigada. Vou lá arrumar.

Nai, obrigada, vou lá ver.

Um abraço e obrigada a todos,
Neide

Ana disse...

Neide, amei a ideia da frigideira, otima!
Ja vi tanta receita de Spatzle (e o aparelinho tbem aqui nos EUA), preciso um dia fazer pois tenho certeza q meu marido e filho irao gostar, os dois adoram massas de todos os tipos!
Seu blog eh otimo!
Beijos!
Ana

gasparzinha disse...

Neide, esta receita me conquistou na hora!
Então resolvi fazer fazer na versão beterraba e publiquei no meu blog, com o devido link, claro!

Adorei!
A repetir com outros molhos e noutras versões, porque é muito bom.

Beijos e muitos parabéns pelo seu blog - simplesmente fantástico. :)

Anônimo disse...

Olá.
Meu nome é Miriam, sou gerente da loja Fujiyama, no endereço acima, já citado e adianto q. tenho algumas peças desta nhoqueira alemã. O preço esta atualmente em
R$28,00.
Nosso telefone é (11)5576-9451
Obrigada
Miriam

Neide Rigo disse...

Miriam,
obrigadíssima! Vou avisar pros leitores.
Um abraço,
N

Flávia Tunes disse...

Que beleza, Neide!
Mesmo sendo vegana, nunca deixo de acessar o seu blog, pelo qual sou apaixonada.
Em uma postagem antiga, li que você fez uma verção vegana dos spätzle. Sem querer abusar, é claro, pode me dar orientações? Agradeço de antemão e deixo um grande abraço de admiradora.

Flávia Tunes disse...

Obrigada por responder tão rápido, mas a minha cara está queimando de vergonha com a nova versão da "verção" que eu fui arrumar!
Saudações vexadas!

Juju Gago disse...

muuuuito sensacional.
você ainda tem esta frigideira?