quinta-feira, 30 de abril de 2009

Você já fez seu estoque culinário de Tamiflu, ops, de anis estrelado?


Não sei se vocês se lembram que o preço da especiaria foi às alturas na época da gripe aviária. E que depois sumiu do mercado. É que o anis estrelado é usado para fazer o Tamiflu, o antiviral da Roche que promete não curar a gripe suína mas aliviar os sintomas. O medicamento impede que o vírus se multiplique e que invada outras células. Acontece que a Roche detém 90% da produção de anis estrelado e ele já anda falhando no mercado. O que eu tenho aqui dá para o gasto pessoal por um bom tempo ainda. Mas, quem não tem, não custa se precaver com uns graminhas (a história envolvendo a Roche e anis estrelado pode dar pano pra manga, mas o assunto aqui vai ficar na cozinha mesmo).
A especiaria de nome autoexplicativo (anis em forma de estrela) é fruto da árvore Illicium verum, pertencente à família das Illiáceas. Não deve ser confundido com a erva-doce ou anis verdadeiro (Pimpinella anisum) e tampouco com o manjericão-anis (já vi venderem por aí a erva como "anis estrelado"). É chamado de anis por ter aroma similar ao anis verdadeiro, assim como o manjericão-anis. Mas, indo a fundo no seu perfume, percebe-se um blend de anis com alcaçuz, aromático e amargo.
Lá no seu habitat, bosques tropicais do sul da China e norte do Vietnã, a árvore da badiana ou badiana-de-cheiro, que pode chegar a 9 metros de altura, tem folhas elípticas, relativamente côncavas e as flores variam de amarelas a vermelhas. Já a estrela lenhosa que conhecemos é o fruto de coloração marrom, com 5 a 8 pontas que, por uma fenda, deixam aparecer as sementes lisas e brilhantes. Ambos podem ser usados pra aromatizar, sendo que as sementes são mais suaves.
Na medicina popular a espécie é empregada há séculos para tratar problemas de falta de apetite, dispepsias, gastrites, enterites, flatulência, espasmos gastrointestinais e problemas respiratórios, sendo que a atividade expectorante já foi comprovada cientificamente. Uma de suas substâncias principais é o anetol, que tem atividade antimicrobiana e antifúngica, mas tem também apresenta hidrocarbonetos, linalol e cineol. Bebês e mulheres grávidas devem consumir com cautela.
Já como especiaria aromatizante é empregada principalmente em infusões e na preparação de licores. Pratos feitos com ela podem ser provados em restaurantes chineses, que usam o tempero em carneiros, porcos e aves. Além de ser ingrediente da famosa mistura de especiarias em pó (cinco-especiarias: pimenta de Sechuan, cássia ou canela, canela, erva-doce e anis estrelado), aromatiza vários tipos de pratos salgados, doces e chás. No Vietnã, ele é usado para temperar o caldo Pho (já dei receita aqui, uma versão sem a especiaria, pois usei manjericão-anis).
Em pó, pode ser usado também para dar aroma a pães doces e salgados, conservas, compotas, doces, frutas e tortas. Combina bastante com chocolate quente, bolo de chocolate e bebidas como chás, infusões, leite, café, licores e xaropes. Dá sabor especial se adicionado em pequena quantidade em pratos a base de peixes e frutos do mar, principalmente caldeiradas e caldos.
Como não precisamos ter medo de comer carne suína por causa da gripe (mas medo da gripe, tenho, sim) e porque o anis combate os sintomas da doença, aproveitei para unir os dois ingredientes para ganhar resistência, ficar forte. Fiz para o almoço de hoje costelinha suína com anis estrelado em pó, limão e pimenta.

Também fiz um chá super-hiper-mega-antigripal. Quando fiz curso de fitoterapia, um professor disse que qualquer infusão ou decocto que agrupasse mais que cinco itens não era remédio, era bruxaria. Pois aqui vai, então, minha poção mágica e ela costuma funcionar com a Ananda, que não reclama da pimenta nem do alho, quando resolvo acrescentar. A quase doutora sempre pede chazinho de mãe quando está gripada.




Costelinha de porco com anis estrelado, limão e pimenta

1 kg de costelinha de porco
1 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de suco de limão
1/4 colher (chá) de anis estrelado em pó
1 colher (café) de pimenta-do-reino
1 xícara de água
1 cebola fatiada
Meia pimenta dedo-de-moça vermelha sem sementes picada
Meia pimenta dedo-de-moça verde sem sementes picada
1 colher (chá) de gengibre ralado
Gotas de limão
2 colheres (sopa) de coentro e cebolinha picados
Tempere a costelinha com o sal, suco de limão, anis e pimenta-do-reino. Deixe pegar gosto por 2 horas. Coloque numa panela com a água e leve ao fogo alto. Quando ferver, tampe, abaixe o fogo e deixe cozinhar até secar a água (cerca de meia hora ou mais). Deixe, então, a carne dourar na própria gordura. Junte a cebola, as pimentas e o gengibre e misture até a cebola ficar macia. Antes de servir, junte gotas de limão e as ervas e misture. Couve e arroz acompanharam.

Rende: 6 porções




Chá para gripe com anis estrelado e pimenta

Leve para ferver 2 xícaras de água com 2 estrelas de anis, um pau de canela, uma fatia de gengibre, um pedaço de casca de tangerina e 2 cravos. Cozinhe por cinco minutos. Junte um pedaço de pimenta dedo-de-moça, desligue o fogo e espere amornar. Por fim, junte 1 colher (sopa) de mel ou a gosto e glupt. Não há virus que resista. Depois de uma suadeira, você vai se sentir bem melhor. E, acredite, não fica ruim, não.

16 comentários:

sylribeiro disse...

que interessante, muito obrigado, permissao para blogar com creditos? obrigado muita gente vai gostar de ler.
agradecimentos especiais.

Verena disse...

Neide, obrigada pelos esclarecimentos! Não tinha idéia de que o Anis era usado para o Tamiflu...bom saber...muito bom mesmo!
Preciso dar um pulinho no mercado...
Essa receita deu água na boca!
Um beijinho!

Rui disse...

Nossa!
Achei super legal a história deste anis como ingrediente para o poderoso anti-viral. A solução de tantas doenças pode estar sendo consumida pelo fogo da ganância em nossas florestas.
Come-se também é cultura
Abração
Rui

Neide Rigo disse...

Sil, claro!

bjs, n

A DONA DO MUNDO disse...

TUDO ESTOCADINHO, INCLUSIVE A SALVIA QUE NO MEU CASO VIRA CHA COM O ANIS
BJ

leila disse...

que beleza de receita, obrigada!

Laura Backes disse...

No meu cházinho anti-gripe não ia anis estrelado, mas eu botava grãos da pimenta do reino prá ferver junto, às vezes até cardamomo. Inverno chegando já tenho nova versão!
Ah! Não tinha visto ainda teu galhobrinco. Lindo!

Claudia disse...

Neide, que frustração!

Sabe, não tem nada no mundo que eu deteste mais do que anis. Me faz um mal desgraçado só de cheirar. Que azar o meu. Por semelhança detesto erva-doce também e todos os primos próximos. Por que não serve o alho? Mas se faz bem para a gripe preciso imediatamente reconsiderar. Ao menos tentar. Mas o problema é que aqui em casa todos detestam anis.

E a Roche, de quem fui vizinha no Rio de Janeiro há mil anos atrás, é uma desgraça. O que essa fábrica faz ao povo é o mal.

C.

Neide Rigo disse...

Claudia,
pode colocar alho no chá, sim. Também é ótimo para a gripe. Só não coloquei seste porque porque seria bruxaria demais para um só chá.

E a carne de porco pode ser feita sem o anis. Experimente botar um pouco de grãos de coentro triturados. Fica muito bom.

Um abraço, N

Cláudia disse...

Ótimo saber sobre as propriedades do anis estrelado, acho que por hora vou guardar minhas estrelinhas para cházinhos, seja a gripe de que tipo for...

excelente post!

bjs

Carmen disse...

Neide, el anis estrella no me gusta nada, incluso hubo una campaña en este país para evitar darlo a los bebes porque había una variedad de ese anis que era un poco venenosa, no sé, pero no me gusta ni en las 5 especies chinas que también lo usan. En cambio el anis que si me gusta es el que viene en semillas delgaditas, igual al comino (no sé como se llame en portugués).
Y sobre la Influenza, ay querida, que te puedo yo decir si estamos con esto hartos, hartos, y ya llevamos 8 días guardados en las casas sin ninguna solución R E A L.

Un beso libre de influenza.

Emerson Cargnin disse...

Tudo muito certo, mas a parte de que 90% do anis estrelado vai para a roche para que nao procede.

http://www.anovaordemmundial.com/2009/07/anti-virais-naturais-contra-gripe-suina.html

Anônimo disse...

Legal as receita, mas qto ao chá, é melhor não ir com muita sede ao pote.
A alimentação adequada ainda é o melhor remédio, uma vez que se encontra mais vitaminas, e outras substancias que nosso organismo necessita.

Anônimo disse...

gostei muito da dica do chá vou fazer aqui em casa! um abraço sissi

Albino disse...

Meu novo lema é o lema do estado do Paraná: vamos usar esta nova gripe para aprender algo que já deviamos ter aprendido a muito tempo, como por exemplo: lavar as mãos. Então:
-Antecipando novos surtos coletivos, novas drogas naturais que prometem fazer milagres e outras besteiras que só colaboram para histeria geral da população e engordam os bolsos da Roche que vende o tamiflu.

1) Verdade: Existem duas maneiras de se sintetizar tamiflu; a mais difícil parte de biologia molecular, empregando cepas transgênicas de E.coli (uma bactéria muito comum nas fezes). A segunda maneira emprega o uso do Anis estrelado Chines como produto(substrato) inicial para a síntese (fabricação), porém a substância retirada do anis (ácido (-)-chiquímico) é só o inicio do processo, ainda deve ocorrer uma série de metilações e introdução de novos radicais a estrutura original e honestamente acho que é algo que não da pra fazer em casa. Reação em anexo (coluna da esquerda representa sintese a partir do derivado do anis e da direira a partir da sintese via E.coli).

2) Mentira: Não é porque uma substância natural contém a molecula precursora (substrato) de um medicamento, que consumindo ela ( como alguns vêm fazendo com o anis) que se obtem a proteção que o medicamento final (oseltamivir) dá.


Fontes:
1) http://www.portaldosfarmacos.ccs.ufrj.br/resenhas_postamiflu.html

simone disse...

tudo vira cavalo de batalha.
não se disse que o chá cura e sim que alivia os sintomas.
e sabe por que aliva?
tem um ingrediente que não foi citado. o carinho no preparo do chá pra sua filha gripada.
pode parecer meio brega mas é verdade.
bjus