quarta-feira, 29 de abril de 2009

Lambari frito



Outro dia mostrei aqui sardinha espalmada, empanada e frita e a amiga leitora Ana sugeriu lambaris no fubá. Eu disse que tinha-os congelados e os faria. E fiz. Não aqueles que empanei com farinha de trigo, também muito bom, e comi sem cerimônia nem fotos. Mas, apesar da pressa, consegui fotograr estes que comprei recentemente.
Empanados em alguma farinha (mandioca, fubá e trigo), fritos, crocantes, já comi em Piraju, Fartura, Piracicaba. Nos bares, em porções, com cerveja. Quem resiste? É o peixinho que a sobrinhada, quando criança, pescava num córrego que passava mais possante no meio do nosso sítio lá em Fartura. Era uma farra. Uma dúzia deles, que minha mãe fritava, alegrava o dia e virava aperitivo antes do almoço ou do jantar.

Bem, que identidade exata tinha os peixinhos de Fartura ou tem estes da foto eu não sei, pois sob o nome de lambari agrupam-se espécies de água doce de três gêneros diferentes: Hemigramus, Moenkhausia e Astyanax. E na Amazônia eles são chamados de matupira ou matupiri, enquanto no nordeste algumas espécies são chamadas de piavas (embora a piava conhecida como tal em outros cantos seja outra, que já mostrei
aqui). Em comum estes gêneros pertencem à subfamília Tetragonopterinae, e à família Characidae. No Estado de São Paulo o gênero mais expressivo é o Astyanax. Talvez seja este da foto.

Comprei no Mercado da Lapa logo uns dois quilos pois estavam fresquinhos. O duro é que peixes pequenos o peixeiro não limpa. Mas, tudo bem, não me importo muito de limpar peixes. Lavei, descamei, destripei e congelei. No domingo tive que trabalhar, então o que fiz logo cedo foi descongelar meia dúzia para mim e para o Marcos. Na hora de comer, fui lá, temperei os peixinhos, empanei, fritei e comi com arroz molinho que fiz com abobrinha e pimentão. No setor minerais e vitaminas, colhi no jardim umas folhinhas de verdura (couve, azedinha, capiçoba) e cada um temperou sua salada no prato. O limão que regaria o peixe já temperei com um pouco de coentro e pimenta e isto deu ao peixe de rio um quê de mar. A carne é deliciosa, branquinha e suave, sem aquele pitiú que às vezes têm o peixe de rio. Uma breja gelada e nhac. Não sobrou nada, nem rabo nem cabeça, só um pedacinho da espinha mais dura. Em uma hora estava de volta ao trabalho.

Lambari frito


6 lambaris limpos
½ colher (chá) de sal
1 pitada de pimenta-do-reino
1 colher (chá) de suco de limão
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de fubá de canjica (mais fino, tem mais amido, gruda mais)
1 colher (chá) de gergelim preto
Para colocar sobre o peixe: 2 colheres (sopa) de suco de limão misturado com 1 colher (sopa) de coentro picado e 1 pedaço de pimenta dedo-de-moça picado
Tempere os peixes com o sal, a pimenta-do-reino e o limão. Misture a farinha de trigo, o fubá e o gergelim. Passe os peixes nesta mistura, pressionando bem. Frite em óleo quente que cubra os peixes. Numa frigideira média, no máximo, três de cada vez. Regue o limão temperado por cima e sirva com arroz e salada.
Rende: 2 porções
Arroz com abobrinha e pimentão vermelho

Preparei o arroz mais ou menos do jeito que todo mundo faz, só que juntei abobrinha e pimentão e cozinhei mais demoradamente para que ficasse meio papa: refoguei 1 colher (sopa) em 1 colher (sopa) de óleo, juntei 1 xícara de arroz branco lavado, mal mexi e já juntei 2 xícaras de água fervente e 1 colher (chá) de sal. Deixei ferver e juntei meia abobrinha ralada grossa e meio pimentão vermelho ralado grosso – só a polpa; a pele ficou na minha mão. Assim que voltou a ferver, abaixei o fogo, suspendi um pouco a panela e deixei cozinhar lentamente por cerca de 20 minutos.
Rende: 4 porções

8 comentários:

Junior disse...

Humm sei lá, acho muito pequenininho, prefiro ele vivo. rss
Beijos

Daniel Brazil disse...

No Nordeste chamam de piaba ou piabinha, e não deve ser confundido com a piava, peixe bem mais corpulento (e que não existe lá).
Lambari frito, hummmm! Um dos poucos peixes de água doce que me apetece.
Boa lembrança!

Mariângela disse...

Neide,a mãe usa com frequência o fubá para empanar peixes,eu acho que ficam mais crocantes que com farinha.Eu adoro os dois pois,como tu bem sabes,eu gosto é de tudo!!!beijos!

Anônimo disse...

oi, neide! quando quero descansar um pouquinho, dou uma passeada pelo seu blog. hoje foi reconfortante encontrar o lambari da minha infância no blog! pescar, limpar e fazer fritada de aperitivo no sítio à beira do rio Atibaia nos anos 60/70 realmente fazia um bem danado à alma - e a gente nem sabia! nunca mais comi lambari.
nem sei avaliar se era bom, pois comida de infãncia, tirando as que a mão obrigava a comer, eram todas boas.
bjs, lelé

Cesar disse...

Lambari frito é bom demais, com fubá, farinha ...
Compro num hortifruti perto de casa.Nunca vi um grande, sempre estão bem pequenos. É bom assim, igual manjubinha, não sobra nada.

clau disse...

No meu imaginario, com legado do Monteiro Lobato e ainda mais pq eu nunca experimentei, lambari seria é cheinho de espinhos...
Pq ja a sardinha, temperadinha e passada no fuba e frita, eu acho um "must" de tanto boa!
Bjs!

ĵåииå jōåиïņhå disse...

hummmmm delícia!!! me lembra muito meu pai ... sempre vai pescar e a gente saboreia o resultado depois =)

Luiz Carlos Santos disse...

O Q da questão é saber como limpar as piabas. Têm muitas dicas, mas a mais simples foi uma peneira de pedreiro para tirar as escamas.