quinta-feira, 2 de abril de 2009

Inventário da amargura


Jurubeba

Jurubeba, grapefruit ou toranja, almeirão, jiló, farinha de bró. Gueroba ou guariroba, pomelo, nigauri, uxi. Azeites e azeitonas, cidra, centeio, alguns vinhos e açaí. Chocolate, mate, chá, café, guaraná, tererê, chimarrão. Sementes de ameixa, amêndoa amarga, carne tostada, dente-de-leão. Serralha, serralhinha, chicória e kefir. Alcacuz, tremoço, certas favas e casca de limão.
Você se lembra de outros alimentos amargos? Algum típico na sua região? Gosta de amargos? Comentários são super bem-vindos.

23 comentários:

Letrícia disse...

Se eu não me engano, a farinha de quinua é amarguinha, também :-)

Rodrigo Chaves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Chaves disse...

Milome!!! Se não me engano é esse o nome! Experimentei um pouquinho quando estava no interior de Goiás.
É uma raiz dita medicinal e que o pessoal gosta de tomar/comer com cachaça.
O gosto não sai da boca de jeito nenhum!

Claudinha F. disse...

o Boldo, entra na categoria de chás?

Tá Bem Bom disse...

Olá, Catalonia tem um amarguinho delicioso e se for de broto então é só misturar um filezinho de alicce no tempero pra salada ficar...

Umberto disse...

Olá. Em Curitiba comemos uma raiz forte chamada CREM. É muito comum nas colônias poloneses, quando no domingo da páscoa, ela é comida com outras comidas "benzidas" no sábado anterior. Essa celebração no domingo leva o nome em polonês de "chentsonki" (não tenho idéia de como escreve :).

Grande abraço. Acompanho sempre o blog.

Umberto

Anônimo disse...

gariroba (um palmito da região centro oeste)

Marcia H disse...

vixe, milome se toma em cachaca, é ruim :-[

radicchio, aquela salada vermelha italiana, nao sei como chama em pt
frutos de alcaparra
ruibarbo
tamarindo
kim-chi
chucrute fresco
chicoria (ichorium endivia) - o broto

Anônimo disse...

cerveja, bitter melon, campari, quinino, curcuma (turmeric), cominho, aloe vera, todos os tipos de hotaliças qdo estão em fase de reprodução (defesa natural da planta para não permitir que outros animais não os 'nhacquem' e com isso possam dar continuidade ao ciclo da vida! Amargo é mais do que bom!
Heguiberto

Nhanduti de Atibaia disse...

Boldo, gente.
Não esqueçam do boldo.
Elizabeth

Gourmandise disse...

Engraçado, sempre falei jurubeba por simples brincadeira, sem imaginar como era de verdade....rs
Adoro nigauri refogado com alho e misso. Aliás o sabor amaros está presente na minha mesa desde criança.
bjos,
Nina.

Anônimo disse...

Kaiware (broto de nabo)!

Gina disse...

Agrião, rúcula, endívia, laranja-da-terra, espinafre, nabo, própolis e rabanete. Não sou muito fã dos amargos, embora coma, prefiro os azedinhos.
Beijos.

Neide Rigo disse...

Obrigada, pessoal. Havia me esquecido das ervas como boldo, carqueja, milfolhas. Sobre o cipó milome não sei nada, mas vou procurar saber. E ainda o crem, que tenho aqui. Se bem que colocaria o crem, a mostarda, o nabo, o rabanete, a rúcula, o agrião na categoria de "picantes", mais que amargos. E tem ainda o broto de bambu. De qualquer forma, obrigadíssima! Um abraço,
N

vp disse...

será que dá tempo de acrescentar amarguras na sua lista? alcachofra, fígado, lima da pérsia...
eu gosto dos amargos com um ligeiro tom de doçura. não sei explicar. uma vez tomei um licor de ervas portugues, que era isto: de uma doçura muito muito sutil e um arrazoado confuso de amargos. era muito bom. nunca mais ouvi falar.

Neide Rigo disse...

Veronika, bem lembrado. Lima-da-pérsia, alcachofra! Ah, o que seria de mim sem vocês! Eu adoro licores e bebidas amargas.
beijos,
n

Dricka disse...

Affe!Neide!!!
Como não gostar dos amarguinhos???
Eu adoro, só não curto a jurubeba.
bjs

clarice disse...

sabe uma coisa que é amarguinha, mas bem pouquinho? é o fromage blanc, desses que a gente compra aqui, eu já tinha reparado no pasquale, mas não tinda dado bola. essa semana comprei aqui pra casa e é amarguinho mesmo!
clarice

Gratão disse...

Neide, em algumas regiões de Goiás existe uma variedade de jurubeba do cerrado que só nasce junto a cupinzeiros. Ela é conhecida como jurubeba do cupim, parece ser mais amarga que a jurubeba comum e o pó das raízes e dos frutos é usado como digestivo.
Aqui no Tocantins temos o patizeiro ou patioba que é uma palmeira da mesma família da guariroba só é mais tenro e, na minha opinião, é mais saboroso também, dá pra fazer com ele uma excelente salada.
Tenha uma excelente semana.
Ciloé

Daniel Brazil disse...

Engraçado, vejo tanta gente confundir amargo com azedo que chego a pensar se não existe uma zona de intersecção entre estes sabores. Algumas pessoas conseguem distinguir bem, outras nem tanto...

Brígida disse...

A folha de stévia, se passar um pouquinho da conta fica amarga de tão doce.

Unknown disse...

Parece-me que se esqueceram do "pau-tenente" e da carqueja. Só para constar.
Silvio

Anônimo disse...

Parece-me que se esqueceram do "pau-tenente" e da carqueja. Só para constar.
Silvio