quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dia da Mandioca ou Sopa de sagu com caldo de mandioca


Só neste post, quatro ingredientes de uma só espécie vegetal. Mas tem muito mais.
Talvez, mais apropriado que comemorar o dia do Descobrimento do Brasil, afinal já estava pra lá de descoberto, seja mesmo celebrar hoje o Dia da Mandioca, instituído em 2007 pela Embrapa. Neste momento, lá na Câmara Municipal de Cruz das Almas (BA), o pesquisador e entusiasta da raíz, Joselito Motta, está conferindo a palestra “Uma exaltação à raiz do Brasil: do descobrimento aos dias atuais". Enquanto ele fala - ia começar às 15 horas-, lá fora o assunto continua sendo a raiz. Na área externa da Câmara e nas padarias, pizzarias e restaurantes da cidade, haverá degustação de mingau de tapioca, pão com fécula, pizzaioca (a pizza feita com massa de tapioca) e maniçoba, aquele prato feito com as folhas da mandioca e carnes secas.
E por aqui também prestei minha homenagem pequena e solitária com a Eliana que, como boa baiana, só tem a agradecer às raizes deste Brasil. Faz tempo que tinha esta ideia, de uma sopa com sagu, que é feito com o amido de mandioca, e o caldo extraído da raiz triturada. Fosse este caldo extraído da mandioca brava, fosse mais concentrado, fermentado e temperado, poderíamos chamá-lo de tucupi. Mas é só um caldo mesmo, com o sabor bom da mandioca mansa, macaxeira ou aipim. A sopa ficou refrescante, meio baiana, meio asiática e caiu bem com um friozinho leve que vem chegando. Não pensem que joguei fora a massa que restou, afinal é com ela que é feita a bijajica - não o biscoito, mas o cuscuz de Paulo Lopes - SC, com amendoim cru. E a goma, que em 1 hora já tinha acentado, usei para fazer 8 tapioquinhas que comemos com manteiga acompanhando o café.
Mesmo na mandioca mansa e branca, o caldo extraído é amarelo.

Sopa de sagu com caldo de mandioca
800 g de mandioca
1 litro de água
250 g de cubos de carne de frango (peito ou filé de coxa e sobrecoxa)
1 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de pimentas ardidas e doces, picadas
1 fatia de gengibre ralada
1 dente de alho inteiro
1 raminho de alfavaca
2 colheres (sopa) de coentro picado
1/2 xícara de bolinhas de sagu de mandioca
1 xícara de leite de coco
1 colher (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de cebolinha picada
Corte a mandioca em cubos e bata no liquidificador com a água até ficar uma mistura cremosa. Faça isto em duas vezes para não sobrecarregar o aparelho. Coe em pano, apertando bem. Recolha o suco numa jarra e reserve a massa, para fazer bijajica (ou bolo etc). Você deverá obter cerca de 1 litro de líquido. Epere 1 hora para acentar o amido no fundo do recipiente. Despeje o suco com cuidado (para não misturar de novo com o amido) numa panela. Reserve a goma sedimentada para fazer tapioquinhas. Bem, ao suco de mandioca da panela, junte os cubos de carne de frango, o sal, as pimentas, o gengibre, o alho inteiro, a alfavaca e metade do coentro picado. Leve ao fogo alto e deixe até ferver. Abaixe o fogo e junte as bolinhas de sagu. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, por cerca de meia hora ou até o sagu ficar transparente. Se for preciso, junte mais água quente. Despeje o leite de coco e espere voltar a ferver. Desligue o fogo, acrescente o suco de limão, o restante do coentro e a cebolinha e sirva.

Rende: 4 porções



A goma que ficou no fundo da jarra foi seca na superfície com um guardanapo de papel e, depois, os torrões foram passados por peneira sobre uma frigideira antiaderente. No fogo, o amido se junta e coagula. Neste momento, basta virar para cozinhar do outro lado.

E comer ainda quente com manteiga. Nhac. Rendeu 8 tapioquinhas. O passo-a-passo mais completo você poderá ver AQUI.
A bijajica, cuja receita está AQUI.

9 comentários:

mariacarambola disse...

Quanta coisa gostosa com mandioca. Eu gosto mesmo é da vaca atolada que minha avó costumava fazer, costela com mandioca derretendo, uma delícia. Bjos

www.pastificio.blogspot.com disse...

Neide, que delícia de sopa. Hummmmmm. Com o frio que já nos assola aqui em Curitiba fiquei com vontade de preparar esta receita hoje mesmo.
Boa noite
Josi Basso
pastificio.blogspot.com

Silvia - BH disse...

Dei uma olhada http://www.onavegador.com.br/, Instituto Maniva para ver se havia alguma menção quanto à data no Projeto Mandioca.

Por enquanto minha experiencia com Slow Food limita-se às notícias que tenho pela internet. Tudo muito interessante, mas bem que gostaria de ver coisas acontecerem aqui por perto.

A DONA DO MUNDO disse...

sabe que vc me fez lembrar da berereca, um tipo de tapioca, de massa de mandioca, que se come com manteiga, mas não sei como se faz, vou pro sitio pesquisar
bj

gasparzinha disse...

Eu gosto muito de mandioca, mas jamais pensei, como boa portuguesa, que o seu aproveitamente pudesse ser tão variado.
Adoro o seu blog - fantástico!
:)

Paulão disse...

Do mesmo jeito que me supreendi com essa receita, pois é a primeira vez que vejo um receita de sagu que não seja doce, garanto que vou surpreender muita gente também, e vai ser nesse fim de semana mesmo.

Amanda Scapini disse...

Amo mandioca. Uma sopinha de mandioca com linguiça fresca desmanchada e frita até quase virar torresminho então... nossa.

Neide, vc já viu por aí um sagu MUITO grande, umas bolonas que devem ter mais que o dobro desse sagu normal que nós encontramos nos mercados?
Os japoneses fazem o pobá com elas.

Bejos!

Neide Rigo disse...

Josi,
depois me conte como ficou.

Oi, Silvia, a data ainda é uma coisa nova.

Paulão, de vez em quando vejo por aí o sagu como acompanhamento salgado. Como ele é neutro, aceita bem doce ou salgado.

Amanda, já comprei destes sagus grandes na Liberdade. E foi lá também que já tomei pobá com canudão.

Um abraço,
N

Carmen disse...

Otra receta de mandioca y yo que no le agarro el punto correcto
8-(

Saludos Neide