segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Pra começar


Sendo férias, até lavar roupa na mão é bom - desde que tenha sol.

Diferente de muita gente, tenho problemas com datas. Deve ser porque nasci no dia 19 e fui registrada no dia 20. Oficialmente, dia 20, e para o bolo com os amigos, 19. Também não tenho a grande data de casamento e sim algumas outras menores, porém importantes, diluídas ao longo de 27 anos de convivência com o Marcos, que algumas vezes comemoramos, outras, não. Mas seguimos firmes, fortes e grudados. Por isto talvez tenha tanta dificuldade em lidar com datas como Natal e Ano Novo. O que acontece é que vou deixando chegar a data sem dar muita importância e, quando vejo, passou sem muito alarde nemTPM. Não tenho aquela coisa de fazer compras, garantir roupa nova e resolver pendências antes que o ano termine ou ficar arrumando gavetas, fazendo pedidos e promessas antes da meia noite. Nem ligando ou mandando email para amigos com quem não falei durante o ano todo. Deixo pra pensar em tudo isto no começo do ano. E não exatamente no primeiro dia, mas na primeira segunda-feira útil do ano, que no caso é hoje, a segundona-mor de 2009. Aí sim decido coisas, resolvo pendências, programo a vida e até faço promessas e me comprometo a ser uma pessoa melhor. Lerda como uma lesma, vou desejando aqui e acolá feliz ano novo para os amigos, respondendo emails, atualizando agenda.

Uma das decisões para este ano é que vou atender ao telefone mais vezes em vez de esperar que me deixem recados na secretária eletrônica. Este é um dos meus principais defeitos: odeio falar ao telefone. Mas vou me esforçar. Já, em relação ao celular, continuo não ligando o aparelho, não levando comigo, não carregando a bateria.... Por sorte, funciono bem no email. Outra coisa boa que decidi é que vou me exercitar mais, já que decididamente não pretendo comer menos. E pelo menos isto comecei a cumprir: andei e corri hoje na praça.
Outras decisões não me tornam necessariamente uma pessoa melhor, afinal melhorias têm que ter limites. A partir de hoje deixo de ser doadora de kefir. Já doei para todos os amigos que queriam e para todos que chegaram a mim através de comunidades do Orkut e de postagens sobre o assunto aqui no Come-se. Mas, depois da abordagem de muita gente sem educação, o grande basta chegou nestes últimos dias, com uma moça a quem respondi gentilmente por email, dei o endereço da minha casa e pedi que me avisasse quando viria buscar para que eu me programasse e ela não perdesse a viagem. Mas esta ignorou o meu pedido, mesmo tendo lido e respondido meu email, e chegou numa hora em que eu tinha acabado de entrar em casa – ou seja, quase perdeu a vinda. Mas o cúmulo mesmo foi que ela nem sabia o meu nome. Eu vim buscar kefir. Eu esqueci o nome da mulher com quem falei por email, disse ela ao Marcos se referindo a mim. Dei o kefir num saquinho, ela agradeceu malemá como se eu não estivesse fazendo mais que a obrigação e tchau, tchau. Foi a última. Agora, kefir só para amigos ou amigos de amigos. Sinto pelas pessoas educadas e gentis a quem já doei ou por aquelas que poderiam receber. Mas já ultrapassei umas cem doações e está bom assim.
Outra coisa que não farei mais é ficar esclarecendo a cada cliente da Entreminas ou Dallora que liga aqui que ele ligou errado, que o final do telefone da empresa que ele quer é 77 e que o meu se diferencia por apenas um dígito. A maioria desliga na minha cara sem pedir desculpas, dizer obrigado e sem terminar de ouvir o número certo (para, em seguida, repetir o erro). Acho que de hoje em diante só vou dizer: não, não é aqui. Também sinto pelos dois ou três educados que talvez me ligassem neste ano. Mas só hoje foram duas ligações com gente do outro tipo (tirando por aí, as previsões de gentileza não são das melhores). Eu bem que tentei.

Mas chega de reclamações, vamos aos comes. Não cozinhei muito nestas pequenas férias, mas comi bastante. Começando pelos poucos dias que fiquei no sítio em Fartura comendo galinhas caipiras, porquinhos gordos e muita banana e lichia, produção nossa. Passei do ano velho para o novo aqui em casa comemorando só com o Marcos, comendo lentilhas com vieiras e tomando espumante. Passamos suavemente sem contagem regressiva para nos abraçarmos. E foi muito bom. Principalmente porque pudemos aproveitar os outros dias passeando na São Paulo vazia. Se bem que todo mundo que ficou na cidade parece ter ido ver as raposas voadoras (vulgos morcegos) no Aquário de São Paulo, que no sábado à tarde lotou. E ainda fomos passear pela Liberdade, comer comida japonesa, beber cervejas no Frangó e cachaça Coluninha de Minas Gerais no Mocotó, com muita comida boa. Agora é arregaçar as mangas, botar o avental e mãos à obra.
Algumas fotos

Cacho de banana figo, em Fartura-SP

Uvas, em Fartura

Pimenta-cumari em Fartura

Melão-de-são-caetano, em Fartura

Pista no Clube da Cidade (ou Pelezão), no bairro da Lapa, aqui em São Paulo

O melhor menu de cervejas para acompanhar a melhor coxinha de São Paulo, no Frangó

Bolinho de tapioca com queijo coalho, no Mocotó


Famíia unida pelo Mocotó

Cunhado Darly e Kalil, seu filho, com a cachaça Coluninha, do primo


Caldo de piranha. Ops: piranha no Aquário de São Paulo, onde fomos ver as raposas voadoras.

16 comentários:

Mariângela disse...

querida amiga,identificação TOTAL, tenho um problema sério com telefones em geral,não gosto de conversar no telefone,gosto do olho no olho,e sobre celulares,nem uma palavra pois tu já sabes que deste estou longe,acho que é um problema pessoal com tanta tecnologia disponível e mais vontade de viver com os pés na terra e na grama,como naquela fotinha tua no varal.De resto,como diz o Inagaki,assino em cima,em baixo e dos lados das tuas palavras,beijo!

Simone Izumi disse...

Ai Neide...faz tempo que não dava tanta risada com um post...
É isso aí, a beleza está na simplicidade das coisas...e que assim seja sempre!
Ótimo ano para vc!!
bjs

Carol disse...

Ola Neide, quanto tempo!! Fiquei muito feliz ao entrar no site da WK e ver que você irá dar uma aula lá esse ano. Claro, tenha certeza que estarei lá. Você sabe que acho seu trabalho sensacional, você é inteligentíssima e espero um dia saber ao menos metade doque você sabe. Um grande beijo a ti!!

mariliafig disse...

Feliz Ano Novo!! Adorei o post. Incrível como existem pessoas mal educadas neste mundo.....
Já Fartura....que não se perca pelo nome!!
beijo

rachel disse...

Neide, nos falamos uma vez sobre a diferença entre tapioca e sagu, mediadas pela Nina. Agora notei uma coincidência engraçada: estávamos lado-a-lado no Mocotó, no domingo, mas só percebi agora, quando vi a foto no seu post. Eu estava na mesa redonda ao lado da sua. Como não te conheço pessoalmente, não pude me apresentar. Fica a historinha. Beijo

Neide Rigo disse...

Oi, Rachel,
eu me lembro sim do nosso contato. Pôxa, que pena que não nos falamos lá. Eu me lembro vagamente da mesa redonda. Mas agora você já me conhece. Vai ser um prazer te conhecer. Beijos, N

Geovana disse...

Olá Neide!
Sou fã do seu blog, entro para dar uma espiada sempre que posso, mas nunca havia comentado nenhum post. Desta vez não resisti e resolvi perguntar se você tem uma foto do pé de lichia que comentou neste post.
É que eu adoro esta fruta e vou comprar uma muda para somar ao pomar que pretendo ter em Jambeiro/SP. Fiquei curiosa em saber a altura dele.

Não tenha pressa, responda quando puder.

Um abraço e um excelente 2009!

Geovana

Neide Rigo disse...

Oi,Geovana. Obrigada!
Pedido atendido. Vou publicar a foto.
Beijos, volte sempre,
N

Neide Rigo disse...

Geovana,
fiz um pequeno post para as lichias, mas não estou conseguindo postar as fotos (problemas do blogger ou meu, de conexão lenta, não sei). Amanhã cedo tento de novo. Mas, se quiser, escreva pra o meu email neide.rigo@gmail.com e eu lhe respondo mandando a foto. Se não, espere até amanhã. Um abraço,
N

Anônimo disse...

Sou apaixonada por seu blog, sempre que tenho tempo passo por aqui... acho que fazia pelo menos vinte anos que não via um melão de são caetano...só quem teve uma infância em sítio conhece essas iguarias e sente saudades de um tempo que não volta mais....

Darlene

Ana disse...

Bom retorno ao blog.
Adorei o varal de roupas, posso imaginar o "ensaboa" no tanque, nas bacias, nos baldes.
Olha, também sou meio diferentona com essas histórias de datas, roupa nova, cartões, etc só por obrigação. Também prefiro deixar rolar pra poder me rolar lá pra Brotas isto sim.

Um beijo, agora tá na hora de vir visitar a Suzana por aqui....heheeh.Prometo que não vou pedir kefir;

O Mimeógrafo Pisca-Pisca disse...

Come-se melão de são caetano?

Neide Rigo disse...

Mimeógrafo,
as sementinhas do melão de são caetano são cobertas por uma massinha adocicada e só servem pra rolar na boca, quase uma brincadeira. Há uma variedade muito próxima, às vezes chamada de melão de são caetano também, que é comestível, embora muito amarga. É o nigauri. Um abraço,n

Catia Melick disse...

Vim parar aqui neste blog depois de falar com minha mae no Brasil sobre pimentas. Meu namorado tanto tenta encontrar a mais picante pra fazer molho mas meu paladar diz "nao faz nem cosegas na minha lingua". Dai, minha mae me falou da pimenta Comari, fui ao Google, e acabei aqui onda ja estou a quase meia hora, lendo tudo que se tinha de ler. Achei lindo seu blog. Tem tanto a ver comigo. Sou Carioca da Ilha de Jaguanum, Costa Verde, e moro em Allentown, Pensilvania. Temos quintal aqui mas nao muito sol, mas queria compartilhar com voce que fiz uma horta no telhado no terceiro andar da casa. Tenho que pular a janela e tudo pra chegar ate ela. Plantei tomates em baldes, pimentoes, abacate, couve, pepino, abobrinha em caixas de cerveja, pimenta de cheiro, pe pequeno e carregado, gira sol, para comer a semente nao so aprecia lo quando aberto, a tal da beldroegas cresce por todo lado e muita arugula que planto da propria semente que consegui de uma planta que deixei dar flor. Ja e minha terceira colheita de arugula que cresce bastante rapido e na caixa de cerveja. Fiquei surpresa de ver que no Brasil alguem faz uso da beldroega, que aprendi usar com meu namorado que e Sirio. Nao tem gosto nenhum, mas reconheco que tem valor nutritivo muito alto. As amigas Sirias ate dizem ser muito bom para o homem. Rssss, ou para nos mulheres...rssss. Amei ver diversidade gastronomica no seu blog. Amoooo comida Indiana. Como pode ate ter fotos de Indianos no Brasil com pe de curry!! Vou colocar este blog no meu favorito e vir aqui de vez em quando. Foi um prazer. Bjao e tudo de bom pra voce.

Catia Melick disse...

Catia Melick outra vez. Se tiver tempo, entra no meu orkut, Tabushi Melick Dib, e da uma olhadinha nas fotos da minha horta. Sera um prazer ve la por aqui. Bjao :)

Neide Rigo disse...

Oi, Kátia!
Que bom saber que gostou do come-se. Volte sempre. Estou curiosa pra ver sua horta. Vou lá no orkut procurar.
Um beijo, n