segunda-feira, 21 de maio de 2007

Jaracatiá, a tâmara dos trópicos


Aqui em São Paulo quase ninguém conhece o jaracatiá, mas quem é íntimo dos doces da roça sabe bem o que é o mamão-do-mato, mamão-bravo ou chamburu, espontâneo nas nossas paisagens. Este parente do mamão (Jaracatia dodecaphylla A.DC) faz parte das minhas melhores lembranças de menina. Passávamos as férias no sítio dos meus avós, no Paraná. No meio do cafezal o jaracatiazeiro era quase praga. Os frutos, pequenos, quase sem sementes, precisam ser deixados de molho para sair a seiva leitosa (papaína, como o mamão), e depois viram geléias e doces em calda como este da foto, feito pela Evanilda Perissinotto, no almoço do Slow Food, em Piracicaba. Mas o que eu comia era feito com o miolo do tronco e não com os frutos. Já vi este doce ser chamado de doce de pau (também tem doce de pau de mamão, em Goiás). Como se trata de uma árvore mole como o mamoeiro – mais alta e ramificada que ele, mas igualmente mole, não sei se tempestades ou mãos interesseiras a derrubavam. O fato é que logo o tronco macio de miolo branco e crocante era descascado e ralado. Lavado, espremido, cozido com açúcar e cravo, virava uma espécie de cocada de sabor incomparável. Cresci, envelheci e nunca mais comi o tal doce. Por isso, quando a Evanilda me contou que serviria doce de jaracatiá, não agüentei de tanta euforia, afinal a planta já figura nas listas de espécies em risco de extinção em vários estados e até no Cerrado, onde crescia em abundância. Minha surpresa foi que o doce dela é uma compota feita com os frutos que sabem a tâmaras, simplesmente maravilhosos. Muito mais sustentável, mais Slow Food que o doce de tronco, que exige que se mate a planta pra ralar o pau . Fiquei sabendo que a iguaria é símbolo da cidade de São Pedro, o que garante a sobrevivência da espécie pelo menos por lá. A saudade ainda continua, mas agora só como se souber que a árvore caiu com o vento. Ou que foi cortado a um palmo do chão. Segundo minha mãe, assim a planta rebrota. Rente ao chão, morre. E se for cortada muito alto, apodrece.
Serviço: A Embrapa Cerrados venderá mudas a partir de outubro (ainda estão pequenas, em tubetes). É só ligar para lá: (61) 3388-9898 (a informação apareceu no último Caderno Agrícola do jornal Estadão)

34 comentários:

Anônimo disse...

Adorei esta matéria da neide sobre o jaracatiá. Me deu uma saudade danada de Icaraíma-PR onde morei até o ano de 1978 e comia um doce de jaracatiá, que pelo que ela explica devia ser do tronco, de-li-ci-o-so...
Depois que vim pra São Paulo nunca mais ví.
Neide, voce me fez relembrar uma época deliciosa da minha vida.
um beijo...
Carlos Araújo
carlos_salva@ig.com.br

nazareth disse...

Gostei da reportagem, se for por mim o jaracatieiro nunca vai ser extinto, tenho tres árvores no meu quintal. Sempre faço doce do miolo da árvore, é muito gostoso, só uso os galhos para não estragar o tronco, as frutas os pássaros comem.Abraços à todos
Edson Silva
Arapoti-Paraná

eva disse...

Sou do RGS e moro e Brasília. Vou sempre ao sul . Da última vez trouxe "pau" ralado. Fiz docinnho p/festa com coco ralado, leite de coco e leite condensado. É um "resgate" delicioso!!! Eva

Neide Rigo disse...

Oi, Eva,
deve ter ficado muito bom. Vou pra PoA neste fim de semana. Será que acho pau ralado por lá?
bjs, n

Ricardo disse...

Procurando informações sobre o jaracatiá, acabei nesta página. Retornei, hoje, de Bonito-MS, onde existe uma senhora que faz bombons recheados de doce de pau de jaracatiá. Contou-nos ela que hj extraem a parte necessária do tronco da árvore para fazer o doce sem matar a árvore; parece que cobrem a parte aberta do tronco de onde tiraram um pedaço para fazer o doce, com argila e, com o tempo, a planta se recupera. Em se tratando de Bonito, verdadeira meca da ecologia, deve ser verdade. Parece que há duas ameaças a menos: a de se extinguir o jaracatiá, e a de nunca mais poder saborear seu doce.

LIANE MARIA disse...

Olá!!!
adorei esta reportagem pois somente assim consegui saber o nome científico desta planta.Quando ainda menina minha mãe fazia doce dos ramos desta planta, somente sabia o nome em alemão.Neste final de semana caminhando no mato encontrei uma árvore linda não resisti e colhi um ramo para fazer o tão delicioso doce.
Abraços
Liane Maria Sulzbach
Estrela/RS

ademar disse...

è pena que a maioria dos brasileiros não têm memória e não dão valor às nossas coisas mais simples mas muito tradicionais. adorei a reportagem sobre o jaracaiá pois me remeteu à minha infancia lá em Nhandeara-SP, onde tinha muitos pés desta àrvore tão importante. Aliás lá ainda tem uma já bem velhinha. Abraços a todos.

Anônimo disse...

ops. eu quis dizer JARACATIÁ

CELESTINO FERREIRA GASTALDI disse...

Puxa vida!!! Que saudades do doce de Jaracatiá. Eu morei na cidade de Nova Olimpia no Noroeste do Paraná e um médico muito bom de Umuarama receitou o tal doce de Jaracatiá com melado de Cana de açucar e cravo da índia em um tacho até dar o ponto certo da consistência do doce. Tudo isso envazado em latas de 20litros.Sempre que dava vontade de comer doces, lá íamos nós para a lata de doce.
Segundo o médico, o doce além de gostoso servia para combater verminoses.(vermes em geral).
Que maravilha poder reelembrar os bons tempos e que vontade de comer o doce feito do pau de jaracatiá.

Anônimo disse...

Doce do polpa do tronco do jaracatiá é bom mesmo!
Eu comi quando criança em 1964 e nunca mais esqueci.
Pena que não se faz replantio e se faça um montão de doce.

Lice Camargo disse...

Realmente. A compota do Jaracatiá é uma delicia. Sou de São Pedro e apreciamos muito este fruto por aqui. Dizemos que quem o come, se torna um filho de São Pedro :) Legal saber que o fruto é reconhecido assim :)

Anônimo disse...

OLHA NEIDE, SOU OSCAR DO NASCIMENTO, CONTADOR MAS GOSTO DE PLANTAS FRUTIFERAS, CONHECI O JARACATIÁ NO CENTRO DA CIDADE DE PATO BRANCO/PR, NA CASA DE UM AMIGO, O SABOR E O AROMA O PERFUME QUE EZALA E MUITO DIVINO, GOSTARIA DE SABER COMO FAZER OBTER PELO MENOS UMA MUDA, ESTOU COM ALGUNS FRUTOS MAS NÃO SEI FAZER PARA GERMINAR, GOSTEI MUITO DE SUA MATERIA.
oscar@proser.com.br
46-3262-2795.

Anônimo disse...

oscar@proserv.com.br

estou corrigindo meu e-mail.

Anônimo disse...

Neide, tambem conheci nesta mesma cidade duas outras plantas:
Balsamo de Israel - perfume muito bom;
Mirá, plantas de jardim ou hortas.

Oscar do Nascimento

Anônimo disse...

Gostei da reportagem, faz me lembrar o tempo de criança na Cidade de Araxá, quando provei este fruto, mas o que mais eu gostei foi do doce que minhas tias faziam, qualquer dia eu volto la, sei onde tem uma arvore muito grande de facil acesso com apenas um galho dela da para fazer doce..

Savio
saviolmoura@hotmail.com

Anônimo disse...

eu faço esse doce ,ralo e faço como se estivesse fazendo cocada,no meu sitio tem essa arvore pego um tronco quando cai,
é uma delicia,

edneiamachado@bol.com.br

Silvia disse...

Não, conhecia Jaracatiá, estive recentemente em MS mais especificamente em Bonito e trouxe o doce e tomei o sorvete, adorei pena que não torouxe mais, pois é uma delicia, de agora em diante onde eu encontrar esse doce estarei lá para saborea-lo é simplesmente delicioso.

nazareth disse...

Li o omentario da Silvia, que esteve em Bonito-MS., e tomou sorvete de jaracatiá, nunca ouvi falar em sorvete dessa fruta, mas vou tentar fazer e depois eu conto no que deu. Abraço p/todos.

Neide Rigo disse...

Bom saber que tantos apreciam este doce e que há muitas iniciativas hoje para salvar esta fruta deliciosa.

O sorvete fez vontade. Nazareth, se fizer a receita, por favor me conte.

Um abraço,
N

Damaris disse...

Fiquei muito surpresa ao ver que não foi só a minha infancia que foi marcada pelo doce de Jaracatiá. Entrei no site por acaso, queria ver a forma correta de escrever a palvra e me deparei com o comentário da Neide, com riqueza de detalhes ao descrever o doce do miolo da arvore. Minha infancia inteira eu convivi com este doce, meu pai tinha uma fabrica de doce de Jaracatiá, aliás eu trabalhei muito, desde os 6 anos embrulahndo estes doces com as minhas pequenas maozinhas para ser vendido. Meu pai nos sustentava com a fabricação de tal doce. O que me deixou triste foi saber que a arvore está quase extinta e que de alguma forma, por falta de intrução, meu pai tenha participado em cortar tantas arvores. Amei a matéria, me reportou para minha infancia.

Damaris /Jaragua do Sul. SC

Anônimo disse...

adorei

Valdeni disse...

Amei esse post
Sou de Arapongas no Paraná e a última vez que vi um pé de jaracatiá foi em um sítio onde moramos em Aricanduva patrimônio de Arapongas,to louco para provar esse fruto novamente se alguem souber onde eu possa encontra o fruta na capital paulista me avise.
Grato Professor Valdeni
valdenieduca@gmail.com

Neide Rigo disse...

Professor Valdeni!
Por aqui nunca vi, mas em Águas de São Pedro, perto daqui, tem e é a fruta símbolo de lá. Você deve encontrar mudas em alguns viveiros - tente aqueles linkados aqui no blog.
Obs. minha mãe morou, quando criança, em Arapongas.

Um abraço,
N

Anônimo disse...

Neide, obrigado por mais essa informação, lembrada de sua infância. Há dois anos um amigo meu, da Escola de Florestas (Sr. Ico), da UFPR, falou-me desse vegetal, que eu considero uma maravilhosa curiosidade da natureza. É lamentável que as indústriais alimentícias, diretamente responsáveis pela nossa alimentação, não procurem explorar essas maravilhosas e possa, fornecer assim, produtos mais naturais. Um beijão e Feliz 2010. Meu e-mail é odilsonpai@ibest.com.br

oneilundin disse...

JARACATIÁ: É POSSÍVEL USAR SEM
MATAR A PLANTA.

OLÁ, HOJE ESTAMOS MATANDO A SAUDADE DO DOCE DE JARACATIÁ EM
GIRUÁ, RS. MINHA MÃE ESTÁ COMENTANDO QUE ESSE DOCE FOI A SOBRESA NA SUA FESTA DE CASAMENTO, NOS IDOS DE 60. NO TERRENO DELA TEM UM PÉ FRONDOSO.
APROVEITO PARA CONFIRMAR A INFORMÇÃO DE QUE É POSSÍVEL RETIRAR O MIOLO, TAPAR COM A CASCA, FECHAR COM ARGILA, PERMITINDO A RECUPERAÇÃO DA PARTE RETIRADA. ASSISTI ESSA REPORTAGEM NO GLOBO RURAL.
FIQUEI CURIOSO COM O SORVETE: É DO FRUTO OU DA POLPA?
ABRAÇOS. ONEI LUNDIN.
oneilundin@hotmail.com

Hélio disse...

Achei uma arvore e com frutos semelhantes aqui na UFSCar, o fruto tem um formato ligeiramente diferente das fotos que acho na rede. Pus a foto no meu blog, quantas variedades exitem?

luiz disse...

Luiz
Gostei da materia,tava procurando relembrar a existencia do jaracatiá.
No final da decada de 60 em Iporã PR na minha infancia quando se realizavam os festejos de casamento, serviam doce de mamão e jaracatiá, eu achava o doce de jaracatiá 10 vezes melhor que o de mamão.Hoje moro em SP capital e o mais proximo que cheguei deste doce foi com a reportagem da Neide.
Vai aí uma sugestão para quem tem um sitio iniciar uma plantaçao de jaracatiá organico e lançar o produto no mercado: serei um apreciador pelo sabor do doce e pela saudade.

nazareth disse...

Olá, o doce com leite de coco e coco ralado fica uma delicia, tentei fazer o sorvete com a fruta mas não deu certo não.

Anônimo disse...

Oi, meu nome é Denise. Cheguei ontem de Bonito (MS) e não conhecia jaracatiá, comi o bombom, é uma delícia. A pessoa que foi citada anteriormente ainda faz estes bombons.

Anônimo disse...

Vim aqui p/ me consolar um pouco.
Na minha juventude comia o doce de jaracatiá(ralado) no estadio de futebol em Londrina .Qdo havia jogos eles vendiam em pedaços.De tanto cortarem as arvores de modo criminoso tosando rente ao chao esta fruta nao existe mais na cidade. Foi entao que viajando p/ O sul do estado, na serra do cadeado, avistei um jaracatiazeiro na frente de uma casa. O dono da casa me deu uma muda que plantei nos fuindos de meu consultorio. A arvore cresceu (faz uns 4 anos q plantei). Ocorre q me aposentei e aluguei a casa. Esqueci-me de dizer ao inquilino pra nao cortar nenhuma arvore dali. Há 2 dias atras fiquei sabendo atraves de meu pai que tinham cortado meu jaracatiazeiro rente ao chão pq ""aquilo nao era fruta"" Por isto estou de luto.meu nome é jose carlos . abraços

Anônimo disse...

Quanto tempo leva para o jaracatia dar frutos?

Anônimo disse...

EU CONHEÇO ESTA FRUTA DESDE BOLIVIA COM O NOME DE GARGATEA E MUITOS LUGARES DE AMERICA DO SUL A CONHECEM COMO PAPAYA SILVESTRE E EM QUESHUA SE CONHECE PELO NOME DE MITO O KHEMISH.EM ALGUNS LUGARES DA AMERICA A CONHECEM COMO PAPAYIUELA (É CLASIFICADA COMO CARICAE CARCIFOLIA, FORA OUTROS SINONIMOS)

joao fernandes disse...

boa noite pessoal . eu tenho aum casa em campo grande e gostaria de plantar umas mudas por la. hoje estou morando em osasco sao paulo como faço para conseguir umas mudas.

paulo disse...

Hoje pela manhã, tomando café com minha esposa,e comendo mamão,lembrei e comentei com ela sobre a semente de mamão e dos doces que minha vó fazia quando eu era criança,entre eles o jaracatiá,porém eu conhecia como aracatiá no interior do RS,só quem saboreou este doce sabe que o sabor é incrível, e dá uma saudade daqueles bons e velhos tempos de criança.parabéns pra aquelas pessoas que cultivam e protegem esta arvore maravilhosa.espero que minhas filhas provem um dia este delicioso doce.um abraço!
Paulo Henrique
pauloh.pulga@gmail.com