sexta-feira, 11 de maio de 2007

Batatas de fritar e de assar




Muita gente já deve ter visto no super batatas de fritar e batatas de assar. É claro que devem ter nome estas cultivares, mas não me preocupei em procurar. Só queria testar se a vocação de cada uma se confirmava ou não. Comecei por assar os dois tipos. Ainda não fritei, mas o teste de assamento mostrou que pelo menos já tenho meia verdade. A de assar é mesmo ideal para assar. Pesei antes e depois e vi que perdeu menos umidade, ou seja ficou mais cremosa, macia ao corte e saborosa e a outra mais seca, mais sem-graçona. A que era para fritar e foi assada contra-gosto perdeu mais água e ficou mais seca (o que é um bom indício de que quando frita ficará sequinha) e rachada no centro. Se bem que Ananda e eu, as duas degustadoras oficiais, depois de termos avaliado seriamente as características organolépticas dos tubérculos, julgamos melhor enfiar o pé na jaca cobrindo os dois tipos com bastante queijo gorgonzola e parmesão ralados que se fundiram sobre as batatas quentes e a partir daí, para fritar ou para fritar.... o que importa? Alguns dados: peso antes, depois e porcentagem de perda de umidade: De fritar: 256g, 233g, 8,98%; de assar: 281g, 267 g, 4,98%. O teste de fritura talvez faça amanhã. É mais chatinho, pois tenho que pesar antes e depois o óleo para ver o grau de absorção de gordura etc. Mas farei.

Nenhum comentário: