quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O que é, o que é? Bacalhava ou bacalhuva?


Esta é só uma brincadeira minha sobre uma palmeira de Rugendas
Mas agora é sério: ontem, na mostra sobre a Expedição Langsdorff, no Centro Cultural Banco do Brasil, embaixo de uma aquarela de Aimé-Adrien Taunay (ou Amado Adriano Taunay, artista que entrou para a equipe depois de Rugendas abandonar a empreidada por se desentender com o chefe da missão), aparecia a legenda "Índio bororo retornando de uma caçada. A carne de jacaré (crocodilo) é para eles saborosa e, como o coco de bacalhava, é a base de sua nutrição". Já, na própria aquarela, a legenda com letra caprichada do artista dizia que o jacaré (crocodilo) avec le coco de bacalhuva era a base do menu. Com e não como. Bacalhuva e não bacalhava (o que será que descobriu sobre o fruto, hermético em qualquer uma das grafias, a pessoa que traduziu as legendas?)
Voltei pra casa encafifada sobre que coco era aquele. Pesquisei os dicionários, livros dos viajantes e nenhuma resposta. Gooogle, Google acadêmico, Google imagens, Arquivo do Museu da Casa Brasileira e nada. Aí fiquei imaginando um coco diferente, quem sabe na forma de bacalhau. Encontrei várias palmeiras no livro do Rugendas, "Viagem Pitoresca através do Brasil" (com trabalhos que o artista levou com ele quando abandonou a equipe, quebrando o contrato). Encontrei várias palmeiras, mas nada que me remetesse àquela bacalhuva ou lhava. Até brinquei de redesenhar uma delas, imaginando um coco-bacalhau, enquanto não parava de pensar: bacalhuva, bacalhava; bacalhava, bacachuva. Escrevendo o post e pensando: bacalhava, bacalhuva.... De repende, quase agora, já quase clicando "publicar mensagem", errei de pensamento e saiu bacalhava, bacalhuva, bocalhuva. E plim!!!
Será bocaiúva? Alguém aí, vizinhança dos bororos, saberia me dizer?

8 comentários:

Anônimo disse...

bacaiúva , coquinho de bacaiúva, palmeira comum no cerrado e no pantanal de mato grosso

Anônimo disse...

Neide me lembro, que em Goiás, pertos da caçimbas, existia umas palmeiras, com uma casca aberta como esta e o cacho ficava dentro, mais não sei o nome, parece um peixe aberto, talves seja a confusão do nome,por isto, vou dar uma pesquisada tb, minha irmã deve lembrar ver se consigo foto. beijos(Diulza)

Neide Rigo disse...

Anônimo, bocaiuva é um coquinho, sim, eu sei. Só queria saber se bacalhava é o mesmo que bocaiuva. Obrigada, de qualquer forma.

Diulza, ficou claro que este dezenho é invenção, né? Foi só uma brincadeira - substituindo coco por bacalhau (pelo menos foi o que tentei dezenhar...)

Um abraço, N

Imigrantes Italianos disse...

Neide, em meu sítio em Estiva Gerbi, pertim de Mogi-Guaçu (SP), temos essa palmeira, que sempre conheci como "bacauveira" e que produz cachos de "bacaúvas", que em minha infância adorava chupar quando estavam bem madurinhas. O espinho da bacauveira é terrível.
Lea Beraldo

Ana disse...

Neide:
Imaginei algumas coisas:
Rugendas era alemão e Aime Taunay francês. A língua francesa é derivada do latim e sabemos que assim também nosso Português e espanhol (que são bem parecidos).No espanhol os ll viram ch (exemplo lluva = chuva).Por isso as diferenças lingúisticas e a questão do tronco linguístico dos bororos pode ter feito uma mistureba. Resumindo:na minha tosca teoria acabamos por ter a palmeira da BACABA, pois tudo não passou das dificuldades de entendimento entre o francês, algum tradutor e algum índio dos bororos.
Que tal ? ahahaah...foi o que pude arranjar.

ivan brandao disse...

meu nome é ivan brandão de Itanhaém-SP e aqui conhecemos um coquinho selvagem e é conhecido como brejaúva.Trata-se de uma Palmeira , muito espinhosa selvagem, que dá um cacho com varios coquinhos externamente espinhudos e por dentro dá um coquinho branco delicioso. Quando novo é molinho e quando velho endurece. tem a mesma textura do côco que conhecemos . fone 013.78098507
email ivanbrandao_ita@hotmail.com
Um abraço, voce é muito competente .

Anônimo disse...

Minha mãe é nascida em Santa Bárbara D Oeste - SP, mas viveu a vida toda em Americana e fala bacaiúva mesmo, hoje está extinta aqui na nossa região, muita poluição e corte ilegal para tirar o palmito fez com que a bacaiúva acabasse por aqui. Minha mãe disse que era o melhor palmito do mundo.

Anônimo disse...

Minha mãe é nascida em Santa Bárbara D Oeste - SP, mas viveu a vida toda em Americana e fala bacaiúva mesmo, hoje está extinta aqui na nossa região, muita poluição e corte ilegal para tirar o palmito fez com que a bacaiúva acabasse por aqui. Minha mãe disse que era o melhor palmito do mundo.

Darlene