sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Favas ganhadas. Feijão-fava roxinho, de Pernambuco, com especiarias e tamarindo


À esquerda, o feijão-fava. À direita, mais avermelhado, o feijão comum. Amplie a foto e perceba que o feijão-fava em uns riscos em raios, em direção à lateral branca. Já o feijão (na ampliação vai ver que estava congelado), tem coloração uniforme.


À esquerda, o feijão-fava hidratado e à direita, o feijão comum

Aqui, já cozidos. Feijão-fava à esquerda. O feijão, à direita, usei aqui.
Mesmo sem saber que sairia uma matéria sobre estes feijões-favas no Paladar, Eliana, que trabalha comigo, encomendou de uma amiga, que foi de férias pra Pernambuco, um pouquinho destas favas roxinhas e pequenas que chegaram há uns 15 dias
Embora eu já tivesse comprado do feijão-fava roxinho no Mercado da Lapa, não me lembrava que este tipo fosse tão parecido com um feijão comum, um Phaseolus vulgaris. Acontece que eu havia acabado de trazer um feijão roxinho de Carlópolis-PR . Então coloquei os dois de molho e as diferenças começaram a aparecer. O feijão-fava ganhou formato de rim como é clássico na espécie e perdeu parte da cor, deixando os raios mais à mostra. Já o feijão comum manteve o formato mais cilíndrico. Deveria ter dado uma fervura prévia no feijão-fava, já que pode conter glicosídeos cianogênicos como todos da espécie, mas esqueci e ainda assim não ficou nem um pouco amargo, o que é bom sinal.
Cozinhei os dois sem presssão, depois de um demolho de 6 horas. Demoraram mais ou menos 1 hora. Fui colocando água quente aos poucos para que não sobrasse líquido algum. Agora, que eu já tinha dois tipos de feijão cozido e comprovado a diferença, usei um para fazer com arroz e, com o feijão-fava, fiz um refogado à moda indiana com um fundinho agridoce, mas usando apenas os denominadores comuns, ou seja, os temperos que se usam lá e cá. Lá vai:

Feijão-fava roxinho com especiarias e tamarindo
2 colheres (sopa) de azeite
3 dentes de alho
1/2 cebola picada
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de grãos de coentro triturado na hora
1 colher (chá) de cominho triturado na hora
2 colheres (chá) de curcuma em pó
1 pedaço de pimentão verde (50 g)
1 tomate sem pele picado
1 pimenta dedo-de-moça vermelha, picada
1,5 xic. de feijão-fava cozido
2 xícaras de água quente
1/4 de xícara de suco ou água de tamarindo
4 colheres (sopa) de salsinha picada
Numa panela, aqueça o azeite e doure aí o alho. Junte a cebola e deixe murchar. Adicione o sal, o coentro, o cominho e a cúrcuma e refogue, mexendo, por 1 minuto. Adicione o pimentão, o tomate, a pimenta, o feijão e a água quente. Deixe ferver por cerca de 20 minutos, em fogo baixo, até estar tudo macio e as favas, com tempero bem incorporado. Se precisar, junte um pouco mais de água quente. Junte o tamarindo e misture. Prove o tempero e corrija, se necessário. Desligue o fogo, junte a salsinha e sirva com arroz.
Rende: de 4 a 6 porções
E nhac!
Logo depois chegou uma caixinha de Sedex com tipos diferentes, lisos e rajados. Foi presente de um leitor de Poá, Edison Aparecido Elvira, que trabalha como técnico agrícola e já tinha percebido que eu gostava destes feijões. Obrigada, Edison!

14 comentários:

Maria das Graças disse...

Nossa! Gosto muito de favas mas hoje é difícil de encontrar aqui no Rio. Trago sempre quando vou para o interior de São Paulo ou de Minas.

MILZA disse...

Oi Neide.
Sabe, eu tento gostar de favas mas ela tem um gosto forte q. me atrapalha vou tentar mai uma vez com o suco de tamarindo.Quem sabe? A foto esta atraente pelo menos ja comi com os olhos. Ta gostooooso!
beijos
Milza

Anônimo disse...

Oi Neide,

Que lindinhos esses feijoes. A natureza e suas tintas, cada qual mais bonita que a outra.
Tenho tido pouco tempo para o mundo virtual, mas sempre que da' passo por aqui. Pena que o pouco tempo nao me deixa ler com calma para tentar assimilar tantas e boas informaçoes.
O que houve com o joelho? Espero que seja uma coisa passageira e logo, logo voce esquece esses dias de imobilizaçao.
Continuo no Rio. Depois te escrevo com mais calma.
Um beijo
Gabi (gabgaby)

everardo disse...

po esse blog é um verdadeiro sonho, gostei muito e vou colocar nos favoritos pra poder dar uma passada aqui de vez em quando. Parabéns.

coraçãodemaçã disse...

Viva Neide: como grande comedora de feijões, feijõezinhos, feijocas, favas e família próxima ou alargada vistam-se eles de cores simples ou se exibam em espalhafatosos e exuberantes padrões cromáticos agradeço a sua apetitosa receita.
Irei experimentá-la um deste dias em que estiver para aí virada.
Obrigada
Beijos da Dri

clau disse...

Neide, meus parabéns pelo que foi publicado, ali no caderno Paladar, sobre vc e as "suas" favas.
Em tempo: eu tb achei super legal o seu colarzinho comestivel!
E nao adianta fazer feijao para disfarçar, ok? rss rss
Bjs!

Dani Franken disse...

Deu água na boca!
Bj
Dani

Anônimo disse...

Olá Neide,

Acabei de conhecer seu blog e adorei. Parabéns!
A Milza comentou que a fava têm um gosto forte. Não sei se ela se referiu ao amargor que normalmente permanece mesmo depois de cozida. Eu costumo fever por três minutos, quatro vezes, sempre trocando a água entre cada fervura. Depois disso eu cozinho, tempero e o amargor desaparece. Já ouvi relatos de um amigo do RS que lá se come a fava ainda verde. Embora apaixonado por feijão verde, como a esmagadora maioria dos nordestinos, e casado com uma gaúcha, ainda não tive a oportunidade de expeirmentar a fava verde.
Saudações,
Fabrício.

Neide Rigo disse...

Oi, Fabrício! Eu também costumo aferventar antes de botar a água final. Fica mais suave. Eu já comi destas favas verdes, são muito boas.
Um abraço e obrigada pelo comentário!
N

Anônimo disse...

Neide. Já lhe escrevi para saber a respeito da batata doce roxa. Agora,passando novamente por seu blog ( através de um comentário à respeito de ARARUTA ) estou me deparando com outro item de meu interesse e paixão: FAVAS.
Consegui, justo nesta semana, sementes de FAVA VERMELHA totalmente diferente das por você apresentadas. Não sei nada sobre ela. Como estou plantando da fava branca comum, em meu sítio, plantarei desta também. Caso interesse mande-me seu endereço que lhe enviarei algumas sementes para que possa semeá-las também. Ainda nesta semana farei umas fotos das sementes. São de uma cor vinho escuro com uma listra branca tomando 1/4 da linha lateral onde normalmente seria apenas um ponto branco. Muito bonita. Espero que seja gostosa como a outra.
A respeito da araruta também estou plantando em meu sítio. Pretendo fazê-lo em larga escala.Pena eu ter sido bancário portanto tempo. Só agora (creio) despertei real interesse pela culinária, plantações . Estou sempre visitando seu blog já que temos o mesmo interesse em " RESGATAR O TEMPO ".
Desculpe pelo enorme espaço tomado. Fique com Deus e parabéns pelo blog.
MAZOLA

Neide Rigo disse...

Mazola,
infelizmente não tenho mais onde plantar. Mas assim que tiver, vou querer sementes, sim. Obrigada! (esta eu não conheço).
Um abraço, N

Anônimo disse...

gostaria que me enviassem sementes de favas diferentes para plantar
email- jotamoreira44@gmail.com
end. rua barão do triunfo,1132
rio tinto paraiba cep. 58297-000
joao moreira de andrade
muito grato

Deus abençoe a quem me enviar

jonilson correa da silva disse...

eu gostaria de receber de vc semente de fava,sera qe vc poderia me enviar?meu endereço e este.manaus,am./rua otoniel alencar n:451 bairro colonia terra nova 3. antiga rio piorini .
email-jonilson_dx@hotmail.com

tel:(92)93176775/ 93153882

falar : jonilson ou adriana.

Anônimo disse...

gostaria de receber semente s de fejão fava de varias cores meu contato pr.geasimiranda@hotmail.com (74.99572937)