terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

É comida pra cachorro


Era só o que faltava. No fim do ano havia visto na Cobasi estes panetones para cachorros e não sei porque me lembrei daqueles biscoitos de lama comidos pelos haitianos. Depois, no nosso piquenique, quando levei um panetone caseiro, alguém também chegou contando o absurdo da novidade. Mas também, estamos numa época em que gente come uma misturinha até simpática que atende pelo brochante nome de "ração humana" em vez de mix de cereais, mix de grãos ou qualquer outra coisa. Até o nome "multimistura" consegue ser mais agradável e aguçar mais sentidos que "ração".
Quanto ao mimo de cachorro, está lá no rótulo "o delicioso sabor do verdadeiro panettone" ou "a pet dog traz para o seu cão a doce tradição italiana, com uma receita que combina qualidade e sabor". Como o produto é proibido apenas na alimentação de ruminantes, comprei pra mim. Só pra provar, lógico. Afinal, agora, mais de um mês após o Natal o produto parece encalhado e custava apenas R$ 1,80 ou coisa parecida. Era bem mais caro, me lembro.
Abri a caixa (veja bem, panetone pra cachorro precisa ser embalado com saco plástico e caixa quadrada de papelão, tal qual o de gente, o globo que se aqueça!) e já achei insuportável o cheiro da tradicional essência artificial de panetone. Mas ainda assim provei um pedaço. Eliana também quis experimentar e disse que até prefere este, só com uvas passas, àqueles cheio de frutas enjoativas. Pra mim, deu no mesmo.
Pela tabela nutricional do rótulo percebe-se que é cheio de gordura vegetal hidrogenada - a julgar pela gramagem de gordura trans -, e aquela porcariada toda que entra nos panetones comerciais. A única diferença é que não leva ovos e tem sacarina, além de açúcar.
Agora, claro, o problema não é nem este. É que cachorrinhos que não comem panetone crescem traumatizados. Eventualmente encontram seus priminhos ou vizinhos e podem ter que ouvir coisas do tipo Uauau, você não come panetone no Natal?, Uauau, nem ganha presente do Nicolau? Acho até que exagero com a Dendê, mas panetone realmente me chocou.
A coisa por aqui também encalhou. Agora está às formigas. Até dei uma lasca pra Dendê que olhava curiosa da mesma forma que faria se eu mexesse numa folha de couve amarelada e furada de bicho. Ela pegou, correu para baixo da mesa para onde costuma levar coisas esquisitas e lá lambeu, lambeu, cheirou, virou o nariz e acabou engolindo sem mastigar. Não veio pedir mais.
A viralatinha come ração e o máximo que fiz quando ela chegou ainda bebê foi escolher algumas marcas e promover uma degustação às cegas para que ela escolhesse a que mais lhe apetecesse independente de grife e preço. Pois, já que a dieta é monótona, que seja do seu gosto. Escolheu a mais cara, para nosso azar.
Agora quer ver a bichinha feliz mesmo é quando é agraciada com um bagaço de laranja. Gosta também de folhas velhas ou até podres de couve, que encontra no jardim. Imagine o bafo depois! Adora alho, com quem briga antes de engolir. E gelo, fica alucinada com gelo. Nunca gostou de morder sapatos nem pés de mesa, mas tem uma queda especial por esponjas com espuma de sabão, sabonete de qualquer tipo, creme hidratante, água de box e miolo de papelão do papel higiênico. Ah, claro, faz questão de mastigar fios elétricos que deem choque.
Nota: Dendê não ficou com nenhuma seqüela do choque elétrico que levou. Já meu joelho ainda não dobra, e só vou saber o que realmente aconteceu lá dentro quando chegar o resultado da ressonância.

11 comentários:

Afrika disse...

Valha-nos Deus! O que esta gente (fabricantes) inventam pra vender.

Digamos que dar panetone ou qualquer outra coisa doce (rebuçados, caramelos, gelados, doces, ect) não e' bom pra nenhum animal. Eles tem o níveis de diabetes mais altos que os dos humanos, logo qualquer ingestão de açúcar ira levar a que esses níveis aumentem mais rapidamente que o dos seres humanos, podendo levar a cegueira e muitas outras complicações que consequentemente levarão a morte :(

A primera cadela que tive a idade de 12 anos, ficou cega devido a excesso de açúcar no sangue e tudo porque nos não sabíamos que os animais não podiam ou não deviam comer coisas doces. Quando soubemos ja era tarde de mais, os diabetes tinham levado a outras complicações que fizeram com que ela morresse cedo :(

Anônimo disse...

Tadinha da Dendê, panetone pra cachorro, era só o que faltava!!
Um beijo Neide, adoro seu blog!!
Paulo Machado.
www.chefpaulo.zip.net

Mariângela disse...

quanta frescuragem !!

Penha Souza disse...

Neide, isso mostra o grau de alienação a que se chegou. Não tenho nada contra mimar cachorro, faço muito denguinho pro meu amigão, mas essa de panetone, eu hein! Ele se regala é com pão seco, o ossinho que sobra no prato, e é claro, o bendito rolinho do papel hiegiênico (a Dendê não está sózinha nessa).
Isso parece coisa de dementado, sô!

Anônimo disse...

E aquelas caniches (poodles) com tiaras de diamantes, deitadas em almofadas de cetim?
Como elas seriam felizes dando uma boa corrida atrás de um gato vadio e rebolando-se em coisas bem fedorentas...
Nada que uma banhoca, com sabão azul e branco, não resolvesse!
Manuela Soares

Anônimo disse...

Neide, você é genial! chorei de rir (estava precisando) com o seu post. Será que os meus cachorros estão traumatizados por não terem comido panetone canino no Natal? Vou procurar um psicólogo veterinário de plantão... Eles gostam de pão francês bem fresquinho, ficam loucos com o cheiro. A minha gatinha branca gosta de sagú com leite.
A receita da sua gororoba é muito boa, eu faço uns cozidos vegetarianos no melhor estilo gororoba com ingredientes variados (tudo o que vou achando na geladeira e nas prateleiras da cozinha). Beijão. Chus

Deh disse...

Eu já achava que sapato pra cachorro era o fim da linha, dizia que quando viesse a revolução as pessoas que calçam seus cães iam pro paredão de bate-pronto. Mas essa do panetone de cachorro me deixou pasma.

clau disse...

O PòsNatal nos presenteia com inumeras e economicas novidades, mm que venham a ser aquelas tradicionais.
E esta deste panetone é grande! rss
Coisa nao inventam...?
Mande um meu beijinho meu para a fofa da Dende, ok?
Tudo de bom.
Bjs!

Anônimo disse...

Pobrezinhos dos cães... Comida industrializada não é bom nem para gente nem para os animais, só quem ganha com isso são os fabricantes. Meus cachorros não comem nem ração (comer todo dia a mesma gororoba, seca, cheia de corantes e conservantes é triste). Neste site: www.cachorroverde.com.br tem todas as dicas de como alimentar cães e gatos com comida de verdade (e o melhor é que sai mais barato do que comprar ração). Abraços, Kika

Daniel Brazil disse...

Nossa, Neide, entramos na mesma sintonia. Veja só o que escrevi essa semana:
http://danbrazil.wordpress.com/2011/11/17/bimbalham-os-sinos/

Um beijo!

Carlos e Erika Carvalho disse...

Existe receita de panettone canino sem gordura e sem açúcar e os pets adoram.