sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Nigauri



Este foi o que ganhei da Marisa, do blog Delícia (e agora também do blog do Alho Negro). Depois de dois dias, estava maduro
Deveria ter preparado assim que ganhei, quando estava firme, verde, íntegro. Guardei, no entanto, na geladeira num saquinho. Em dois dias o legume tinha rachado mostrando sementes tremendamente vermelhos e brilhosos, provalmente porque estava já no auge do desenvolvimento. Neste ponto, assim, depois demaduro, fica mais mole, mais gelatinoso, mas ainda assim dá para comer - não fica muito bonito, razão pela qual não fiz foto do prato pronto, mas estava gostoso. Isto, pra quem gosta de amargo, muito amargo, que fique claro. Se estiver verde, pode ser quardado por até uma semana na geladeira.
Este legume é fruto de uma cucurbitácea asiática (Momordica charantia), tendo a Índia oriental e sul da China como possíveis centros de domesticação. Hoje é largamente cultivado em todo o mundo justamente pelo valor de seus frutos imaturos e amargos - embora as folhas novas e bem macias sejam também comestíveis.

Sua principal marca é mesmo o amargor. Por isso, em várias línguas essa característica é ressaltada no próprio nome. Nigauri, nome mais comum no Brasil devido à forte presença dos japoneses, vem de nigai (amargo) mais uri (pepino). O mesmo acontece nas Filipinas, onde é conhecido como Amargozo, além de Ampalaya. Na língua inglesa, é bitter melon (melão amargo) ou bitter gourd (abóbora amarga), lembrando que o melão, a abóbora e o pepino são também cucurbitáceas. Por seu valor na medicina popular, é também conhecida na língua inglesa como balsam pear ou balsam apple.
O princípio amargo que dá nome ao fruto é um alcalóide, momordicina, e não a cucurbitacina, comum em outros membros das cucurbitáceas como o pepino.


Há variedades brancas e verdes (estes, comprei no bairro da Liberdade). O miolo, verde ou maduro, deve ser descartado

Trata-se de uma planta trepadeira, melhor adaptada em climas quentes e moderados e cresce bem em vários tipos de solos. O fruto é sempre comprido como um pepino, porém mais bojudo e com a casca toda cheia de protuberâncias que lhe dá uma aparência curiosa.
Há vários grupos hortícolas que variam no tamanho, na coloração e estilo, havendo os mais claros, mais bojudos, com menos protuberância e até os de formato cônico. E o grau de amargor também pode variar de acordo com os diferentes tipos de nigauri e do estágio de maturação - geralmente os menores e verde-escuros são mais amargos enquanto que os mais claros, amarelados, são mais suaves.
Os frutos podem ser consumidos em qualquer estágio, mas são tipicamente colhidos quando atingem o ponto máximo do desenvolvimento, estando ainda verdes, mas com polpa firme e crocante. Se amadurecem, ficam como o meu, com polpa mais gelatinosa e sementes vermelhas.

Melão-de-caetano, em Fartura
Pertence à mesma espécie, mas à variedade diferente, que o melão-de-são-caetano, encontrado abundantemente por aqui, na zona rural, bem menor, alongado, afilado nas pontas e com casca fina e quinada - quando maduro, ganha tom laranja vivo e se abre como uma flor deixando à mostra as sementes avermelhadas e adocicadas (as do nigauri não são adocicadas, têm gosto de dedo). Em alguns lugares, principalmente no Sul, o nigauri é também chamado de melão-de-são-caetano.
Além da cozinha: o legume é cultivado ainda pelas várias propriedades medicinais a ele atribuídas, entre elas a de reduzir o açúcar do sangue, de curar males estomacais etc. Atualmente vem sendo notícia entre os asiáticos por seus apregoados benefícios contra a AIDS, embora não tenha sido nada comprovado ainda. Mas na medicina popular o alimento amargo sempre foi tido como remédio para as doenças de estômago e fígado. O seu amargor, embora seja um sabor a ser adquirido por uns, é uma característica muito desejada para outros que incluem nesse grupo o jiló, a alcaparra, o almeirão e tantos outros alimentos apreciados justamente por essa característica. Sobre amargos, veja mais aqui.

Na cozinha: já fiz refogado com shoyo, cozido no vapor e temperado com pimenta e gergelim preto e também frito, que fica uma delícia. Mas como ele podem ser feitos omeletes, saladas e pratos principais quando combinado com carnes e frutos do mar, como fazem os filipinos - o prato Pinakbet combina diversos vegetais como abóbora, berinjela, vagem e nigauri em molho pastoso e picante de camarão. Já os chineses o preparam refogado ou recheado com carne de porco e cozido no vapor. No Japão é comum refogá-lo com missô e açúcar (foi a dica que dona Margareth Ono me deu), entre tantos outros pratos. E os indianos fazem vários tipos de curries temperado com especiarias como cúrcuma. Nos mercado dos países asiáticos ele pode ser encontrado não só fresco, mas também enlatado ou seco.

Tem que tirar o miolo. Você pode cortar o legume ao meio e tirar o cerne com uma colher fina. Basta, então, fatiar

Pode também cortar o legume de comprido e tirar a polpa raspando com uma colher. Aqui, cozido no vapor e passado em temperos como óleo de gergelim, alho, gengibre, pimenta e gergelim
Agora, temperado com shoyo, missô, alho, gengibre, pimenta, gergelim e açúcar

E aqui, frito como chips e coberto com temperos (depois de fatiados, polvilhei com sal, deixei perder umidade e sequei bem - assim fica mais suave)
Outras dicas de preparo
Para tirar o excesso de amargor do nigauri, envolva os pedaços em sal - o suco começará a drenar. Comprima os pedaços para sair todo o suco e enxague. Outra forma de amenizar o amargor é cortar em pedaços, aferventar por 3 minutos, escorrer e polvilhar com um pouco de açúcar. Pode ser consumido também cru com molho vinagrete.
Para fazer um caril indiano, corte 500 g de nigauri em pequenos pedaços, adicione 2 colheres (sopa) de sal, 2 colheres (sopa) de pó de cúrcuma e deixe por 15 minutos. Aqueça 6 colheres (sopa) de óleo numa frigideira, adicione ½ colher de sopa de grãos de mostarda. Quando elas começarem a estourar, adicione o nigauri espremido (portanto, parte daquele sal será descartado), uma pitada de pimenta em pó e mexa bem até cozinhar. Sirva com arroz branco.
Para prepará-lo recheado como na China, faça o recheio com 500 g de carne de porco moída, 1 fatia de gengibre ralada, 2 cebolas picadas, 1,5 colher (sopa) de saquê, xerez ou cachaça, ½ colher (sopa) de sal e ½ de açúcar, 1 colher (sopa) de molho de soja, 1 ovo batido, 1 colher (chá) de maisena. Corte o nigauri em fatias de 2,5 centímetros, retire as sementes e coloque o recheio. Cozinhe sobre um prato, no vapor, em panela fechada, por 20 minutos. Junte o líquido que escorreu no prato com caldo de galinha, sal, um pouco de saquê e de óleo de gergelim. Engrosse com um pouco de maisena e sirva com o nigauri recheado.
Para fazer salada filipina com camarão, pique em palitos 400 g de nigauri, polvilhe um pouco de sal - quando soltar bastante água, esprema, enxágüe e escorra. Misture com 150 g de camarão cozido, 1 colher (sopa) de vinagre, 3 de óleo vegetal, ½ de açúcar, 1 cebola fatiada. Misture tudo e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Sirva gelada.
Outra forma chinesa de preparo: retire as sementes de 400 g de nigauri, corte em fatias e passe em água fervente por 2 minutos ou então polvilhe sal, escorra e enxágue (ambos procedimentos para diminuir o amargo). Numa panela do tipo wok, em fogo alto, refogue 3 dentes de alho picado em 2 colheres (sopa) de óleo. Adicione o nigauri e refogue, mexendo, por 2 minutos. Junte 2 colheres (sopa) de molho de soja, 1 de sherry ou saquê, 3 de água, 2 colheres (chá) de açúcar. Aqueça por 2 minutos, junte 2 colheres (chá) de óleo de gergelim e sirva.

21 comentários:

Anônimo disse...

Oi Neide, ganhei uns da dona Margarethe a mãe da Marisa, e tb, alguns amadureçeram, eu sequei as sementes para plantar, ja fiz nigauri até na carne moida ficou muito gostoso,e da para fazer até conserva, fica bom tb.foi bom você ter falado pois e muito pouco cosumido aqui no Brasil, e pelo que dizem faz muito bem ã saúde.bjs. até(Diulza)

Marcia H disse...

Neide,
vi isso na lojinha tailandesa, onde compro tapioca, coco, etc. nao sabia como comer e as pessoas q lá trabalham nao falam alemao, daí fica dificil conseguir explicacao. Agora vou criar coragem e testar.

Henrique Cortat disse...

Olá!

Muito interessante esse post! Sempre quis saber sobre esse nigauri.. Sempre gosto de saber sobre esses ingredientes diferentes. Parabens!

Também gostaria de divulgar mais um novo blog de minha autoria sobre macaron! Ainda está no início, mas pretendo fazer algo bem bacana e especializado nesse doce que nem todos conhecem que é muito saboroso e exige muita técnica para ser elaborado. Entre e comente!

http://macaronperfeito.blogspot.com

Obrigado!

Henrique Cortat

CESAR disse...

Eu já comi nigauri, refogado com missô.
O que eu posso dizer é que o bicho é amargo, e bota amargo nisso ...

Ela disse...

Muito bonitas estas fotos, parabéns.

Verena disse...

Neide, nunca havia ouvido falar desse legume interessante e curioso!
Adorei a aula virtual!!!
Vivendo e aprendendo!
Beijocas!

Marisa Ono disse...

E pensar que mandamos só um nigauri achando que você talvez não gostasse...ler

Anônimo disse...

Neide você sempre mexendo com as lembranças de minha infância. Melão-de-São Caetano é uma plantinha muito comum na região onde nasci (Maranhão), lá além dos frutos docinhos a pessoa costumam usar também as folhas para lavar roupas. Elas fazem uma bucha com as folhas e ramas e esfregam na roupa para remover a sujeira mais pesada, é como uma pré-lavagem antes de passarem o sabão, ou até usam junto com o sabão.Acho que ele é um alvejante natural.Abraços!
Hildeny Medeiros

Neide Rigo disse...

Diulza, eu também guardei as sementes para plantar.

Márcia, agora já sabe!

Henrique, boa sorte no novo blog. Vou lá ver.

Cesar, mais amargo que ele acho que só jurubeba.

Ela e Verena, obrigada!

Marisa! Eu sou dos amargos. Gosto até de novalgina! Obrigadíssima!

Hildeny, fiquei louca de vontade de testar este novo uso.

Um abraço,
N

Marisa Ono disse...

Hoje dona M fritou 3 nigauris. Cortou fininho, salgou, espremeu. Não achou crocante o suficiente. Sugeri que ela juntasse um pouco de amido de milho ou polvilho. E não é que ficou mais sequinho? Comi como se fosse pipoca...

Anônimo disse...

Neide
Em Macau, chama-se amargoso.
Manuela S.

Ana disse...

Lá em Brotas,os melões de São Caetano também chamamos marmotas e as cercas ficam lindas quando eles se abrem, se não me engano no mês de julho.

amezzomo2002 disse...

Olá, Neide: Eu o conheço desde criança, quando no interior do RS o chamávamos de morangassá. Esperávamos que ele abrisse para comer seu arilo vermelho. Há uns anos atrás assisti uma reportagem no Globo Repórter que dizia que o local onde as pessoas são mais longevas é numa ilha do Japão e elas atribuem isso, principalmente a tal fruta. Creio que todas as variedades tem arilo doce, quando amadurescidas naturalmente. Pelo menos essa é a minha experiência. No orenite existem semenets de muitas variedades para vender. Já tive diversas delas. Veja minhas fotos em http://picasaweb.google.com.br/lh/view?q=momordica%20charantia&uname=Amezzomo2002&psc=S#

Neide Rigo disse...

Amezzomo,
obrigada pela informação. Não consegui abri o link. Mande de novo.
beijo, n

Marcos Hirata disse...

Olá gostei da matéria, lá no Japao, acostumei a comer crú, temperado com limao e shoyu.Acredito que por ser tao amargo deve fazer bem ao nosso organismo. Agora estou no Brasil enunca mais consegui encontrar.
Abraços, Marcos.

Anônimo disse...

Olá, Neide

Como todo bom japonês, meu pai planta no quintal de casa; esse ano só um pé já deu mais de 30 e continua produzindo; ainda mais com essa estação chuvosa. Detalhe: quanto mais clima seco, mais amargo se torna. Minha mãe prepara com missô, refogado sozinho ou com carne e legumes e faz salada, tipo vinagrete. Muito bom. Abraços. Karina Karigyo - São Pedro do Ivaí-PR.

Anônimo disse...

Valquiria disse...
tenho no meu quintal melão caetano adoro comer a polpa das sementes,é bem suave!

Marcelo Ramalho disse...

TENHO SEMENTES !

ZEMO disse...

Puxa vida, que coisa mais nostálgica... meu pai fazia sempre quando eu era criança, exatamente com missô e açúcar! Vou ter que plantar em casa! =)

Anônimo disse...

Acabei de assistir um vídeo no YouTube de uma indiana que sigo e ela preparou com as sementes.

Joselito Medeiros disse...

Tenho plantação quem se interessar posso vender ou negociar trabalhei muitos anos nas filipinas e Angola
84987562888