segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Chivda de festas


Há alguns anos, Nina Horta me deu um pouco de um snack indiano, uma misturinha com grãos variados, crocantes e coloridos com o sabor e o aroma muito condimentados. Levava assafétida, cravo, sal, açúcar, cominho, pimenta e outras especiarias. Sem conseguir parar de comer e com necessidades enormes de comer mais, tentei advinhar os ingredientes, um a um. Bem, de tanto procurar, descobri o nome da mistura depois de já ter feito vários testes na cozinha, alguns desastrosos e desequilibrados em assafétida, pimenta e cravo. Chivda é o nome que vi escrito nos pacotes de misturinhas deste tipo. As variações são muitas, as receitas também. Por isto, acabei tirando uma coisa e outra e dosando para mais ou para menos os temperos conforme minha preferência. Mudo também toda vez que faço, de acordo com o que tenho na despensa. Mas, de um modo geral, mantenho sempre as mesmas especiarias. No começo, segui à risca algumas receitas e acrescentei grãos de ervilha, lentilha e grão de bico fritos, que confere à mistura um colorido lindo. Mas era necessário deixar tudo de molho durante várias horas, depois secar, fritar em bastante óleo e ainda se arriscar a levar um tiro destas sementes no olho, já que às vezes elas estouram como pipocas pesadas e fumegantes. Numa das vezes em que fiz, comprei estes grãos prontos e acrescentei à mistura. Experimentei e não aprovei, estavam meio rançosas. Para não estragar todo o preparo, levei horas para tirar os grãos um a um. E não fizeram falta. Então, hoje só coloco amendoim, indispensável a meu ver, e fica muito bom. Além de facilitar a vida, saiu muito mais barato. Ontem teve encontro do Slow Food e eu levei um pouco. Todo mundo gostou e pediu receita. Então, aqui vai minha versão que sempre faço para festas - com cerveja bem gelada vai muito bem. Come-se aos bocados.


CHIVDA - MISTURA DE GRÃOS INDIANA

4 colheres (sopa) de óleo
4 xícaras de floco de milho natural (ou use corn flakes tradicional - não tem problema que tenha um pouco de açúcar - o natural, genérico, sem açúcar, compro a granel no Mercado da Lapa)
¼ de xícara de pipoca de arroz (aqueles floquinhos - não usei desta vez e tudo bem)
1/2 xícara de amendoins crus (ou já compre torrados com sal)
5 ou 6 folhas de curry (usei 2 espiguinhas de folhas, porque gosto bastante e porque tenho no meu quintal - mas, se não tiver, use folhinhas de pitanga)
1 colher (sopa) de grãos de coentro
1 colher (sopa) de sementes de mostarda preta
¼ de xícara de castanha de caju torradas (não usei e tudo bem também)
¼ de xícara de ervilhas ou grão-de-bico torradas (encontrada em lojas árabes) (não usei)
¼ de xícara de uvas passas pretas
1 xicara de batata-palha

½ colher (sopa) de cúrcuma
½ colher (chá) de cravo em pó
1 colher (chá) de cominho tostado e triturado ou em pó
¼ colher (chá) de assafétida
(opcional) *
1/4 de de colher (chá) de pimenta calabresa em pó ou a gosto (usei pimenta vermelha seca em floquinhos bem miúdos)
1 colher (chá) de sal (mais ou menos de acordo com os ingredientes que vai escolher usar)
1 colher (chá) de sumac
(opcional) (pode ser encontrado em alguns supermercados - versões industrializadas desta mistura às vezes usam ácido cítrico - pois o sumac é uma semente azedinha, vermelha, em floquinhos. Mas se não encontrar, não use, que tudo bem também)
1/2 colher (sopa) de açúcar

Preaqueça 1 colher (sopa) do óleo numa frigideira bem grande e junte os flocos de milho e de arroz (se for usar). Mexe por cerca de 2 minutos - só para que fiquem bem crocantes. Deixe de lado. Aqueça mais 1 colher (sopa) de óleo e frite os amendoins, mexendo sempre, até que a pele comece a trincar e exalar cheiro amendoado. Reserve. Numa panela ou frigideira grande, aqueça o óleo restante e frite aí as folhinhas de curry, as sementes de mostarda e os grãos de cominho, mexendo sempre, até as especiarias começarem a pipocar - as folhinhas estarão crocantes neste ponto. Junte os flocos tostados reservados, o amendoim, a uva passa, a batata palha, os grãos e a castanha, se for usar. Misture rapidamente e tire do fogo. Polvilhe por cima as especiarias restantes, misture bem, prove o tempero e corrija, se necessário. Espere esfriar e conserve embalado em sacos plásticos que fechem hermeticamente até o momento de servir.

Rende: 10 porções

Nota: comprei assafétida (Ferula asafoetida) nova da Bombay, mas simplesmente não tinha cheiro de nada. Parecia adulterada. Nadinha de fétida. Vou ligar lá. Sorte que não tinha jogado fora a antiga que ainda estava boa, embora vencida, e a usei. O sabor é amargo e o cheiro é punjente, do tipo: é ruim, mas é bom. Aliás, nesta mistura, acho imprescindível. Claro, sem ela também dará certo, mas a mal-cheirosa faz toda a diferença. A especiaria é usada pelos indianos sobretudo no preparo de grãos, pois, além de conferir um sabor natural que lembra glutamato, tem o poder de afastar os gazes produzidos pelas leguminosas (lentilhas, ervilhas, grão de bico). Vem de uma resina extraída do rizoma de uma planta da mesma família do salsão e da cenoura.

5 comentários:

Eduardo Luz disse...

Achei esta receita o máximo! Ainda mais com este monte de não tinha/não usei !rs
E vou fazer pois tenho assafétida guardada há um tempão !

Ivana Arruda Leite disse...

Impossível esquecer essa misturinha que você fez um dia e eu tive a felicidade de comer. Saravá! Só de lembrar fico com a boca cheia de água. Beijos salivados

Simone Goes disse...

Hmmmm, deu água na boca... ainda mais agora que já é quase horinha do almoço. Que cara boa essa comida!! Meu estômago ficou se revolvendo. Vou já guardar esta receita para fazer no fim de semana. Bjs

Fer Guimaraes Rosa disse...

Neide, no mercadinho internacional do indiano aqui em Davis vende saquinhos com esses snacks--tem varias misturas. Uma vez eu fiz um jantar indiano [meio fajuto] pra uns amigos e comprei esses pacotinhos, mas nao fez muito sucesso. Talvez feito em casa seja mais fresquinho e gostoso. Mas eu tenho um serio problema com a assafétida. Nao dah, nao dah... Fomos uma vez num restaurante indiano nao americanizado e eu pedi varios pratos--um deles com um fedor horrivel de enxofre. Nao deu... Nunca mais voltamos, o Uriel pegou trauma. Somos muito ocidentalizados, talvez... ;-)

beijoo,

clau disse...

Neide, se vc tivesse colocado umas bolinhas vermelhas nesta sua plantinha ficava com a maior cara de Natal!
E aproveito para desejar a vc e a toda a sua familia um "Feliz Natal",aconchegante e muito alegre! E tb um Ano Novo tanto prospero qto foram todos os outros passados, se nao melhor!
Bjs!