quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Trinta e duas bananas. Ou bolo de banana do sítio


Aproveitei o mel de jataí que ganhei dos amigos Rui e Mariângela e reguei o pedaço de bolo - redondo aqui por força de um cortador de biscoito (sobre cerâmica também do Rui Gassen).
O chato é que elas não são programáveis. Quando resolvem amadurecer, são todas de uma só vez. Em câmaras de climatização as bananas do comércio são expostas ao gás etileno para apressar o amadurecimento. Mas, deixadas seguindo o rumo natural, as bananas liberam muito etileno especialmente durante o verão, quando já estão no ponto e foram colhidas, e amadurecem rapidamente.
Meus pais trouxeram uns três cachos destas bananinhas pequenas, feiinhas e super doces. E a maioria sobrou pra mim. Um doce feito com elas, bem apurado, é gostoso, a Ananda adora e sempre ganha da avó um vidro, que chega com um quê defumado do fogão de lenha. Mas acho um bolo mais útil, porque congelo em pedaços grandes que descongelam bem e rápido e vou tirando aos poucos ou quando chega uma visita inesperada. Agora mesmo ofereci com mel de jataí e cafezinho pra minha irmã que esteve aqui.
Fiz uma massa simples de bolo branco e espalhei numa forma bem grande para que por cima conseguisse colocar o máximo de banana possível e que no final a proporção de banana fose maior que a de massa. Mas, se quiser, você pode inverter isto variando o tamanho da forma e a quantidade de fruta. Consegui enfileirar bem ajustadas trinta e duas bananas pequenas, maduras mas não molengas. Joguei por cima uma farofa de cuca que ajudou a absorver a umidade da banana e nhac.



Bolo de banana
5 ovos
2 xícaras de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de leite aquecido com 100 g de manteiga
1 colher (sopa) de fermento em pó
32 bananas nanicas pequenas ou quanto couber na sua forma
Para a farofa
1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de açúcar
100 g de manteiga
1 colher (sopa) de canela em pó
Raspinhas de um limão rosa
Na batedeira, bata os ovos até ficarem homogêneos. Junte o açúcar aos poucos e bata até formar uma espuma bem fofa e volumosa. Junte alternadamente o leite com a manteiga derretida e a farinha com o fermento. Despeje numa assadeira grande untada e enfarinhada. Ajeite por cima as bananas inteiras e cubra com uma farofa feita com a farinha, açúcar, manteiga e canela (é só misturar tudo com um garfo). Espalhe por cima casquinha de limão. Asse em forno médio por cerca de 1 hora ou até dourar.
Rende:
40 pedaços

5 comentários:

happynest disse...

ôôô Neide....que maldade!
Eu tentando entrar numa dieta pós Festas para perder alguns quilos e me deparo com essa beleza! Deu fome na hora...
Beijos
Rosemary

Anônimo disse...

Nossa fiz hoje para aproveitar umas bananas meio passadas que eu tinha e ficou maravilhoso!!! Amei... obrigada bjos

Michele de Lucca

daniela espinoza disse...

tô indo fazer

Carlos Amaral disse...

Desenterrando tópicos passados... Mas valeu a pena!! Neide, obrigado por compartilhar conosco essa maravilha!! Tinha umas bananas a mais na fruteira (compra dobrada, um de casa comprou e o outro também!), bem maduras, pedindo pra serem usadas. Bananas prata, mesmo. Fiz essa receita hoje, só o q mudei foi que usei leite de amêndoas caseiro, pois minha esposa é intolerante à lactose. Perfeito, maravilhoso! Estou escrevendo em meio a nhacs no bolo ainda quentinho!! Tudo de bom!
Um grande abraço e uma semana iluminada!!

Neide Rigo disse...

Carlos,
fico tão feliz de saber. Obrigada por comentar. Um abraço, n