quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pão de milho roxo

Chegaram em Porto Alegre ainda mornos


Veja também
Enquanto não testo as receitas da rosca de polvilho e da cuca que mencionei ontem, aqui vai a receita do pão de milho roxo. Queria fazer um pão especial pra levar para os amigos de Porto Alegre e a única coisa diferente que achei na despensa foi um pouco de milho roxo comprado na feirinha dos Bolivianos (Praça Kantuta, bairro do Pari, domingos à tarde). Como o milho é duro tal pedra e eu não tenho triturador, e como achei que conseguiria extrair melhor sua tinta (o pigmento antocianina) cozendo em água, assim o fiz. Lavei bem, cobri com água e deixei lá cozinhando em fogo baixo por umas duas horas ou até que os grãos começassem a trincar. Fui juntando água quente aos poucos, à medida que secava. Prontos, já não havia mais água, só os milhos cozidos. Aí foi só adptar à minha receita de sempre. Os pães poderiam ter crescido mais, porém o avião estava saindo e eu os botei ainda quentes na sacola. No Raio X da bagagem de mão, precisei desenrolar o pano de um deles pra mostrar o que eram aqueles blocos quentes e cheirosos. A sisudez do avaliador veio por terra quando sentiu o bafo inusitado de padaria. Sorriu e disse que o cheiro estava insuportavelmente bom e que atiçava a fome. Em Porto Alegre, comemos com as divinas chimias (a geléia dos gaúchos) de framboesa e de laranja, feitas pela Mariângela. E com quark, natas e coalhada seca de kefir. A alcaravia e a erva doce casaram bem com o milho e a textura ficou meio granulosa e interessante. Vamos à receita, caso alguém consiga os tais milho. Se não, substitua por arroz roxo. Será o meu próximo.

Cerâmica do Rui Gassen e chimias da Mariângela
Pão de milho roxo
1 xícara de milho roxo
1,5 xícara de água
2 xícaras de fermento natural (veja aqui também)
3 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de sal
Cerca de 900 g de farinha de trigo branca
½ xícara de azeite
½ colher (sopa) de sementes de erva-doce
½ colher (sopa) de sementes de alcaravia (kümmel)

Cozinhe o milho em água, em fogo baixo, por cerca de 2 horas ou até os grãos começarem a trincar. Espere secar toda a água. Passe para o copo do liquidificador ainda quente e bata com a água até os grãos ficarem bem triturados. Passe para uma tigela grande e junte o fermento natural, o açúcar, o sal e metade da farinha, aos poucos, mexendo com colher de pau. Junte, aos poucos, o azeite e misture bem até incorporar. Acrescente, aos poucos, a farinha de trigo, até formar uma massa que possa ser sovada numa superfície enfarinhada. Antes disso, junte as especiarias. Sove até a massa ficar lisa, brilhante e que não grude nas mãos. Volte a massa para a tigela, cubra com plástico e deixe crescer por cerca de 6 horas ou até dobrar de volume. Divida a massa em quatro partes, modele os pães, coloque-os em assadeira grande, deixando espaço entre eles, cubra com pano limpo e deixe crescer em lugar abafado (no forno desligado, por exemplo). Quando estiverem bem crescidos (de 1 a 2 horas - eles devem recuperar o volume perdido com o manuseiro para modelagem), pulverize água, polvilhe com farinha de trigo e dê uns talhos (antes de polvilhar, eu apoiei por cima umas tiras de massa e cortei com tesoura – só pra decorar). Leve para assar em forno quente (280 ºC) preaquecido e deixe por 10 minutos. Diminua a temperatura para 200 ºC e deixe assar por mais 50 minutos.

Rende: 4 pães

15 comentários:

Sabor do Amor disse...

Tem bom aspecto, deve ser muito bom. Parabéns! Bjs

Anônimo disse...

Passeando pelo blog COZINHA FÁCIL postado por LIRA varias fotos suas
sem os devidos créditos.
Até mais

Anônimo disse...

Passeando pelo blog COZINHA FÁCIL postado por LIRA varias fotos suas
sem os devidos créditos.
Até mais

Rita Palita disse...

Olá!
Pensando em todas as amigas que assim como nós fatalmente ganharam alguns kilinhos extras depois de casar e/ou depois de ter um blog culinário criamos o Rita Palita (http://ritapalita.blogspot.com), um blog de desafios dedicado a receitas saborosas porém SEMPRE leves.

Convidamos você a participar do nosso primeiro desafio!

Te esperamos por lá.

Bjkas

Glau, Renata e Rita Palita

Mariângela disse...

Neide,este pão,além de delicioso ,fica absurdamente lindo por ter esta cor roxa de berinjela(de milho). Sabor divino, visual idem.Estou comendo o meu último,degustando cada pedacinho,beijo!

lucia disse...

hum, bastou ler os comentarios para ter a confirmacao que sao deliciosos...

Odete disse...

Sera que daria pra substituir o milho roxo por fuba do mesmo milho. Porque esse fuba roxo ja vi por aqui, agora o milho em graos nao.

Bjs

Neide Rigo disse...

Odete,
pode usar, sim. Mas neste caso vai ter que mexer na água e na farinha. Talvez fosse melhor seguir uma receita tradicional de pão de fubá e substituí-lo pelo fubá roxo. Acho que esta receita cairá melhor: http://come-se.blogspot.com/2007/10/broinhas-de-fub.html
Um abraço,
N

clau disse...

Ola Neide.
Como se ve, parecem bons demais. Mas como eu nao posso sentir nem o gosto e nem cheiro, devo dizer que amei a decoraçao dos seus paes!!
Estou procurando decifrar, qdo e como foram feitas. E se seria, por acaso, farinha polvilhada com um molde ou a mao livre, enfim...
Lindos demais...!
Bjs!

Neide Rigo disse...

Clau,
imediatamente antes de assar, pulverizei com água, apoiei por cima umas tiras de massa que tinha reservado, polvilhei com farinha de trigo, fiz uns picotes com tesoura nas tiras e uns talhos na massa com bisturi. Só isto.
Beijo,N

Odete disse...

Muito obrigada Neide, voce como sempre super gentil.

bjs

Anna disse...

Diferente nunca tinha visto, vou testar.
Gostei de conhecer seu blog, vou voltar sempre.
Beijos

Anônimo disse...

Fui ao Peru de moto e consegui trazer vinte grãos de mulho roxo. Plantei-os em minha residência no litoral norte paulista no começo de fevereiro. Apos várias tempestades e vendavais, consegui manter em pé onze pes de quase dois metros de altura mas ainda não apareceram as espigas. Fico-lhe grato pela receita, pois, farei belos e gostosos pães.

Anônimo disse...

Eu fiz a receita do pão do milho conforme a receita, e numa 2° vez que fiz utilizei o farinha de milho roxo e ambos os resultados foram excelentes e desde já peço autorização para traduzir para o espanhol e divulgar a receita no blogue de minha amiga e publica-la num jornal da minha terra. te dando os os devidos creditos

meu nome é Pachyta, Estou na casa de uma amiga minha portanto vou utilizar o e'mail dela."eu_charito@yahoo.com.br"

MuitoObrigada:

QUE DEUS TE ABENÇOE E PROTEJA HOJE E SEMPRE

Neide Rigo disse...

Pachyta, pode usar sim. Qual é o seu blog?
Um abraço, N