segunda-feira, 10 de março de 2008

Caril seco de jiló


Já disse aqui que repito a mesma formulazinha de caril para vários legumes. Então, o jiló fiz igual ao quiabo. Lavei bem e cozinhei os legumes inteiros no vapor, na cesta de bambu, por cerca de 7 minutos ou cozinharia até que ficassem macios. Poderia cozinhar em cima do arroz ou numa cuscuzeira, desde que fosse no vapor, para não perder nada. Parti em quadro e segui o mesmo jeito usado para fazer o quiabo, só que juntei uma colherinha de chá de açúcar mascavo. Quem gosta de jiló, vai adorar o resultado. Quem não gosta, acho que continua não gostando, porque não posso iludi-los: embora cremoso, com um crocantinho aqui e ali, perfumado de especiarias e algo adocicado, continua amargo que nem jiló. Eu gosto tanto que deixo sempre pro final, pra comer só ele, devagar, saboreando, curtindo.

9 comentários:

Letrícia disse...

Acho que no final você estava se referindo ao jiló, quando disse que continuava amarguinho, né?

Poxa, nunca comi jiló. Tenho curiosidade.

Neide Rigo disse...

Oi, Letrícia. Super obrigada pelo alerta. Já arrumei lá. Você deveria experimentar. De repente se descobre da turma que ama jiló. Mas, se não for, já vai saber na primeira mordida.
beijos, n

Akinogal disse...

See Here

Bia Belliard disse...

Eu sou da turma de gosta do jilo, mas vou ficar na vontade, toda vez que venho aqui no teu canto me da uma saudade !! Da vontade de pegar o aviao e ir correndo para o Brasil ! beijinhos

Rogério disse...

Neide,
Jiló eu como de joelhos...é tradição na família a gente comer...há várias gerações. Vou ver se encontro por aqui e, se puder, farei esta receita hoje mesmo!
Abraço
Rogério

André Leemax disse...

Adorei o blog, parabéns. Fiz algo não muito comum pra mim, li quase todas as postagens...ou seja, degluti seu blog...rs...sensacional, sobretudo, saber do turu!...mais uma vez, parabéns!
André Leemax

Eduardo Luz disse...

Neide, jiló é dose!!! Como ultimamente estou experimentando de novo um montão de coisas, farei este curry e darei a minha amargosa opinião !

Foca disse...

Hummm, vou ter que experimentar esse caril do nosso amigo jiló, pobre renegado entre os legumes nobres! Adoro seu amarguinho característico, e me encheu a boca d'água imaginar ele cremoso por dentro e croque por fora, todo perfumado, como se fosse pro baile de sábado... =]
seu blog é uma simpatia, Neide, assim como os textos. Venho visitar sempre. ;)
bjocas da Foca

Agdah disse...

Meus pais vai adorar.