sexta-feira, 7 de março de 2008

Jaca, muita jaca. Ou caril de caroços de jaca


Dentro do coco, os caroços sem a pele dura

Quem leu os posts anteriores, sabe que estou com o freezer cheio de jaca. Seus caroços são energéticos (135 Cal/100 g), ricos em carboidratos complexos e fitonutrientes. E sem esta de achar que é coisa de pobre aproveitar tudo o que um alimento tem a oferecer. Jogar no lixo este alimento é perder a chance de saborear uma iguaria, cujo sabor tem um quê de castanha portuguesa menos adocicada, com temperinho equilibrado e longuínquo da fruta. Podem ser assados ou cozidos, uma alternativa às batatas.
O chato é tirar a pele quebradiça que recobre os caroços, uma mistura de crosta de camarão e pergaminho do alho. Mas, desde que ela se rompa, você conseguirá tira-la facilmente com a ponta de uma faquinha. Para isto, cozinhe por cerca de 30 minutos em água salgada, asse no forno ou toste na frigideira.

Escolhi uma receita do Sri Lanka porque estou na fase sudeste asiático – gosto do tipo de comida típica desta região que inclui muitos grãos, vegetais, temperos frescos, pimentas, especiarias e pouca proteína animal. É assim que como. Gosto também da forma como utilizam frutas verdes feito legumes e aproveitam o máximo potencial de cada coisa. É o caso dos caroços de jaca, que entram em caris como uma hortaliça qualquer.
Aqui vai a receitinha vegetariana que serviu de prato principal no jantar de ontem, com arroz branco e jilós. Adaptada do livro “The food of Sri Lanka”, de Douglas Bullis and Wendy Hutton. Editora Periplus.




Atrás, meu pezinho de neem
Jackfruit seed curry
ou caril de caroços de jaca
Ingredientes
300 g de caroços de jaca cozidos, com a pele dura removida
Meia cebola picada em quadrados
2 pimentas dedo-de-moça, sem sementes, picada
1 colher (chá) de pó de curry
2 colheres (sopa) de suco de limão
1 colher (chá) de pó de cúrcuma (usei 1 colher de sopa de cúrcuma fresca ralada)
1 galho de folhas de curry (neem doce)
1 xícara de leite de coco fino
1 colher (chá) de sal
¼ de xícara de leite de coco grosso (primeira extração)
200 g de folhas de espinafre

Modo de fazer: numa panela de barro, combine todos os ingredientes, menos o leite de coco grosso e o espinafre. Leve ao fogo e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos ou até os caroços ficarem bem macios. Junte o leite de coco grosso e deixe ferver. Adicione o espinafre, misture e cozinhe por mais 2 minutos. Confira o sal e corrija, se necessário. Sirva com arroz branco ou integral e outros legumes cozidos.

Rende: 5 a 6 porções

Obs: se você não tem folhas de neem, coloque outra erva de sua preferência, que também vai funcionar. Uma dica são folhas de coentro. Embora as folhas não sejam muito usadas no Sri Lanka - preferem os grãos-, elas combinam com o sabor cítrico do molho. Se não gostar de coentro, bote salsa, que não faz feito em nenhum prato salgado.

Aliás ...
Falando em desperdícios, vejam o premiadíssimo curta do Jorge Furtado, Ilha das Flores, que já tem quase 20 anos e o recado continua o mesmo, com o agravante que a situação piorou.

Vejam Parte 1 e Parte 2.
Vejam também o post de hoje da Fernanda, no Chucrute com Salsicha, sobre Michael Polland.

16 comentários:

Carol disse...

Nossa Neide,uns dois dias sem visitar seu blog e encontro tudo isso de novidade!! Olha, perto de minha casa, tem uma casa que tem um pé enorme de jaca, e todo ano quando está em época,vocêprecisa ver como aquilo fica...A dona da casa sai distribuindo jaca pra todo mundo!!! Nunca achei que pudessem ser tão utilizadas assim..Adorei as receitas. GrandeBeijo

fezoca disse...

Neide, nem sei onde e cmo comecar a comentar qdo venho aqui! Sao tantas coisas bacanas, que condiz com tudo o que eu acredito e tento praticar. Ah, se eu tivesse acesso a jacas... ;-) Comi essa fruta apenas uma vez, em toda a minha vida. Foi falta mesmo de oportunidade. Estou encantada com o fato de que se ode usar ate os carocos. E que receita!

Assisti a esse filme do Jorge Furtado na escola, colegial.... no seculo passado. Foi um CHOQUE na epoca. Tantos anos se passaram e esse filme ainda esta atualissimo.

um beijo,

Laurinha disse...

... total desconhecimento/ignorância de que os caroços são comestíveis, e de como prepará-los... bacana!

Beijinhos,

Rogério disse...

Neide, você salvou a pátria. Há séculos que procuro aqui no Brasil estas folhas de curry...tenho em casa um vidrinho das folhas "freeze dried", que uso só nas ocasiões especialíssimas! Agora vou procurar na Bombay.

Quando à Jaca, adoro. De qualquer jeito. O doce com uma colherda de catupiry é delicioso...os caroços eu não conhecia, fiquei curioso e assim que puder vou experimentar.

Parabéns mais uma vez!
Rogério

Marcia H disse...

uhm Neide caroco de jaca cozido, depois seco ao forno com sal é o perfeito acompanhamento para uma cerva gelada.

Eu nao conhecia o filme, me deixou muito abalada, e pensar que a situacao deve estar ainda pior do que em 89 - obrigada por repartir tantas coisas boas conosco.

laila disse...

ambas as fotos estao lindas!!!fiquei super com vonade desse delicioso caril...já comi os caroços e sao eralemnte gostosos!!bjs

Ana disse...

Olá "professora" Neide.
Que encanto esse caril.
Primeiramente quero dizer que tô com ciúme desse seu pé de neem.
No ano passado, este filme ilustrou as comemorações da semana do meio ambiente que fizemos na empresa onde trabalho. Mostra tanta incoerência né. E é bem como vc citou, tem gente que acha que é coisa de pobre evitar desperdício e aproveitar aquilo que a natureza nos oferta.
Sou representante do COEP na minha empresa e semana que vem farei o curso "Cozinha Brasil" oferecido no SESC. Certamente vou ter histórias pra contar.

Que seu fim de semana produza novos e maravilhosos posts para nós.
Um abração da Ana.

Eduardo Luz disse...

Nossa, comida do Sri Lanka ! Esta eu gostei muito (daí deve sair um belo menu, heim ! ! Acho que terei que usar coentro pois o meu neem vai demorar um pouquinho !
E também tô avisando que deu pau no servidor e eu perdi o post e os comentários. Mas, de qualquer maneira eu consegui não reconhecer a Nina mas, já entrei em contato com ela e inclusive, me autorizou a usar a (espetacular) crônica dela !

Agdah disse...

Segundo meu pai, no interior, come-se muito ensopadinho com caroços de jaca. Me disseram que dentre todas os benefícios, ainda ajudam a combater hipertensão, câncer e envelhecimento.

lucia disse...

Oi Neide
Obrigada eolas receitas!!!
AbraçOS pelo nosso dia!

Nani do Paulo disse...

Jaca?! Eu amo jaca, pena que é tão dificil achar uma por aqui onde mora.
Beijos

João Gabriel Margutti Amstalden disse...

Olá Neide!

Muito bacana o seu blog. Seguinte eu ía cozinhar os caroços da jaca, mas minha mãe disse que eles estaam muito pequenos e que não valia a pena, apesar da jaca estar uma delícia, eu comi 15 bagos de uma vez pra vc ter uma idéia. Enfim, o tamanho do caroço é relevante?

Neide Rigo disse...

João, o caroço é comestível em qualquer estágio. Um abraço, N

Anônimo disse...

Neide,cozinhei caroços de jaca com carne na panela de pressão,realmente fica uma delicia...Essa castanha lembra um pouco o pinhão,mas é mais saborosa.Grande abraço,obrigada pelas receitas.

Anônimo disse...

ola neide,adoreiii tem um pé de jaca carregadissimo em frente a minha casa nunca aproveitei os caroços... valeuu!!!!
sou Eliane de Atibaia SP

banda subverso disse...

deve ficar gostoso com um peixe frito. sem carne não dá.