terça-feira, 12 de agosto de 2008

Um bitelo de um taro (inhame)


Por aqui, vai ter taro até acabar a batatona de dois quilos e meio. A vantagem é que taros (antes, conhecidos como inhames) duram uma eternidade fora da geladeira, em local fresco. É um ótimo recurso energético que substitui o pão no café da manhã (cozido, com manteiga) e as batatas nos cozidos, inhoques, purês, bolinhos, sopas, gratinados. Assim como a mandioca, pode fazer escondidinhos, pães macios, sopas, suflês e que tais. E em comparação com a batata, além de durar mais, não é tóxico quando começa a brotar, diferente daquela que, em poucos dias brota, fica esverdeada e vira uma bomba de solanina, um componente tóxico aumentado nestas situações. Outra coisa boa é que taros são rústicos no cultivo – estes, de Fartura, crescem no brejo, sem cuidado algum. E, mesmo os vendidos no mercado levam muito menos ou nenhum defensivo químico. Já as batatas.....

17 comentários:

dri disse...

Olá Neide!
Este post sobre inhame/taro fez-me lembrar a minha infância na Madeira.
Que saudade que me agora,ao lembrar-me que o comia,muitas vezes,ao pequeno almoço.Cozido em água e sal,descascado,cortado em fatias de aproximadamente 2cm,douradas na manteiga de ambos os lados e...degustadas com prazer depois de di-vi-na-men-te regadas com melaço!...
Que maldade Neide.É que eu não como isso há 33 anos!!!
Ai...
Vou.Um beijo

Angela disse...

Oi Neide,
Puxa, o inhame (nunca vou conseguir chamar de taro) está mesmo na moda! É gostoso e faz bem! :)
Eu e minha irmã colocamos outro dia no nosso blog uma receitinha de sopa bem gostosa:
http://alimentissimo.wordpress.com/2008/08/01/sopa-creme-de-inhame/
Um abraço!

Pedrita disse...

eu adoro inhame, acho que terei dificuldade de me acostumar com o nome de taro. além de não gostar muito desse nome que usam agora. acho inhame tão auditivo e simpático. uma sopa de inhame me soa mais simpática do que uma sopa de taro. beijos, pedrita

Fer Guimaraes Rosa disse...

Neide, mudaram o nome do inhame? Eu nao sabia. No seculo passado, altamente influenciada pela Sonia Hirsch, eu fiz um nhoque de inhame que ficou uma delicia. Minha mae tambem eh fanzoca do inhame, tambem porque ela ainda eh altamente influenciada pela Sonia Hirsch. :-)

beijo,

Mari Rezende disse...

Neide, eu também adoro inhame! Vivo substituindo a batata em receitas por ele... Além de ser mais nutritivo, a consistência fica mais cremosa!
Beijinhos

Odete disse...

Neide que tarozao! Comi muito desses na minha infancia e gosto imenso. No Hawaii eh largamente cultivado - varios tipos.La tive a oportunidade de comer diferentes pratos feitos com taro. Ah, tem ainda um paozinho azulado e delicioso servido nas entradas. Aqui onde moro eh facilmente encontrado em mercados asiaticos.
Otimo post, como sempre.
beijo

Ana disse...

Como assim, taro ???
Eu só conhecia por inhame.
Você hein !!!!

Neide Rigo disse...

Dri, não sabia que na Ilha da Madeira havia chuchu e taros. Assim, dourados na manteiga, realmente são muito bons. Se sobrar, faço um pouco assim.

Angela, para mim o inhame sempre esteve em alta, pois desde pequena adoro. Sua sopa está com uma cara ótima. Parabéns.


Pedrita e Fer,
o nome taro é para diferenciar do inhame (yam). Também gosto de inhame, mas causa muita confusão.

Fer, inhoque está na lista aqui.

beijo,n

Neide Rigo disse...

Odete,
tem um post meu em que mostro este taro roxo lá do Havaí:
http://come-se.blogspot.com/2007/06/inhames-e-cars.html

Ana,
pois é, o nome agora é taro. Veja aqui, onde explico sobre isto: http://come-se.blogspot.com/2008/06/car-do-ar-car-moela-ou-inhame-do-ar.html

Um abraço,
N

clau disse...

Oi Neide.
Sabe que vc esta começando a se tornar, digamos assim, indispensavel?
Supriu a minha ignorancia em nao saber deste novo nome do inhame e da toxina da batata que brota.
Entao lhe pergunto, meio preocupada: nem descascando e cozinhando, nao daria para usar-la mais...?
E outra coisa, la no Hawai servem uma espécie de pure feito com um tipo de inhame local: vc saberia alguma coisa a este respeito?
Pq eu apostaria que sim!
Bjs!

Neide Rigo disse...

Oi, clau,
A solanina não é degradada com o calor. Então, batatas verdes e brotadas não devem ser usadas.
Quanto ao inhame, não é o poi de que fala? Veja o post
http://come-se.blogspot.com/2007/06/inhames-e-cars.html - tem lá uma foto deste cará havaiano sendo trabalhado.

beijos,
Neide

Fabrícia disse...

Nossa que enorme ....acho que nunca me preocupei em fazer a distinção mas hoje em dia a coisa é diferente. Aqui no Canadá encontramos inhame que acredito vir do Haiti...sem muita certeza.
Bjs.

Vera Falcão disse...

Oi, Neide, sou maluca por inhame, como diariamente, faço sucos incríveis com ele (cru + uma fruta + água) e em várias outras preparações. Fiquei fã há uns vinte e tantos anos, quando li sobre esse cabeludo num livro da Sonia Hirsch. Depois que vc conhece o inhame (e também o cará), a batata-inglesa perde a poli position no circuito dos tubérculos (ou raízes... qual o termo mais adequado?).

bjs

Anônimo disse...

Porque mudar o nome para taro, meu Deus. Inhame é um nome tão suculento e fofo. Em MG vai continuar Inhame, pra quê globalizar? :))

Priya disse...

Neide, estou num mundo de descobertas sem fim. Obrigada pelo compartilhar. Descobri que aqui no sítio, no brejo, temos uma enorme área de Taro. Parece os trezentos de esparta, pois, quando o sol está alto, aquelas centenas de folhas se voram para o sol parecendo os escudos dos heróis de outrora. Chamamos de 300 da abundância. Hoje fiz um escondidinho, mas ainda não peguei o ponto, ele fica aguado, parece absorver mais água do que a batata e o aipim. E ficou lilás, lindinho! Agradeço teu compartilhar e farei algumas receitas... beijo grande!

Leticia Cinto disse...

Oi Neide! Estava fuçando seu blog, procurando se tem problema comer batata-doce brotada... Pelo que entendi, taro (inhame) não faz. E a batata-doce hein? Comprei uma roxa lindona e a deixei enfeitando a fruteira... quando fui ver, tinha já um brotão! Bjs

Prof. Emilson Damasceno de Andrade disse...

Minha mãe, de 91 anos, tem duas tias, uma de 102 e outra de 101 anos. O que elas tem em comum?!
Comem inhame cozido no café da manhã, substituindo o pão.
E eu, que não sou bobo, já faço isso há alguns anos, além de um prato de frutas da estação no café da manhã, junto da minha Gracinha (minha mulher) e um leite de soja ou suco verde.
Um abraço a todos por aqui!