quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Sacolas duráveis, consumo consciente

Sacolas de plástico estão em baixa, são cafonas e danosas para o meio ambiente. Tem lá sua utilidade como recurso poético quando uma ou duas flutuam sensualmente nos filmes Beleza Americana ou no nosso Santiago (do João Moreira Salles), mas de resto todo mundo já sabe da sua má fama justificada. Não podemos mais aceitar supermercados embalando 1 quilinho de alimento em cada sacolinha plástica ou embutindo duas delas para suportar peso maior. A Revista Página 22 da Fundação Getúlio Vargas deste mês, já nas bancas, é sobre Comida - crescimento demográfico, modelos inovadores de produção, políticas de acesso e crise ambiental gerada pela forma moderna de consumo. Num dos artigos sobre embalagens Carolina Costa fala sobre o abuso de embalagens descartáveis amparado no argumento da assepsia. E sobre o preço alto que estamos pagando por isto. Cita ainda exemplos de boicote às sacolas plásticas. Em Butão, por exemplo, elas são absolutamente proibidas desde 1999. Neste mesmo ano elas foram banidas da ilha francesa da Córsega e Khumbu, no Nepal. A partir daí, outros paises aderiram à campanha. Em Taiwan, Bangladesh, Ruanda, partes da Índia e África do Sul, o uso destas ofensivas sacolinhas pode virar caso de polícia. Mas nunca é tarde para começar a fazer alguma coisa. E o Brasil começa a acordar.

Hoje, dia 12 de setembro, tem início a campanha
“Eu não sou de plástico”, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente, que visa incentivar os consumidores a diminuir o uso de sacolas plásticas. Faz parte da campanha a exposição de sacolas de mais de 100 estilistas de várias partes do Brasil, organizada pela Lilian Pacce. Durante o evento, a Secretaria vai distribuir para os convidados sacolas de pano feitas por costureiras do Terceiro Setor. E está estudando medidas legais para que as de plásticos sejam substituídas por sacolas duráveis. Pelo menos a Associação Paulista de Supermercados - APAS já confirmou sua adesão à campanha e vai tratar de convencer todos os seus associados. Veremos.

Estes são para ser levados aos supermercados, em dia de compras maiores (sacos de açúcar ou farinha, de algodão cru, baratíssimos, também servem)

Enquanto isso, vamos fazendo a nossa parte. Já há algum tempo minha irmã Suzana e eu usamos nossas próprias sacolas e recusamos sacolas desnecessárias seja em supermercados, vídeo-locadora ou farmácias, até que resolvemos lançar nossa grife Ecorreta. Está ainda começando, os primeiros produtos foram feitos por mim, depois por costureira de Fartura, mas ainda estamos nos acertando, tentando arrumar tempo para conciliar nossas atividades com o empreendimento idealista. E acima da nossa ambição como empresárias (a gente não leva o menor jeito para ganhar dinheiro, e isto não é um auto-elogio, mas uma hora aprende) está o desejo de um mundo melhor para nossos filhos e gerações.

Sacola de saco

Mesmo quem não queira ou não possa investir numa sacola poderosa ou não tenha muita habilidade com máquinas de costura, ainda assim poderá ser o criador de uma boa sacola de pano ao custo irrisório. Uma vez, em Tiradentes, precisei de uma e estava sem dinheiro para comprar. Fui a um supermercado mequetrefe e vi, junto aos panos de limpeza, um saco de açúcar, ainda com as costuras, para ser usado como pano de chão. Paguei menos que R$ 2,00 e fui para o hotel. Tinha na bolsa fio dental, tesourinha de unha e uma agulha. Bastaram para que aquele saco se transformasse numa sacola em menos de meia hora. Coisa meio bicho-grilo, mas e daí? Ela agüentou firme e forte uma escultura em madeira bem pesada.

Esta, de saco, fiz ontem em 1 hora, incluindo o bordadinho prosaico para alegrar
Oficina: compre um saco limpo costurado, de açúcar ou farinha, em qualquer supermercado ou sacaria (lojas que vendem artigos para panos-de-prato e que tais) e corte duas tiras de 6 centímetros na parte de cima do saco, para fazer as alças (60 centímetro estará bom para o comprimento delas). Se não tiver linha, repuxe algumas da própria trama do pano. Faça barra nas alças e na borda do saco e pregue as alças com uma costura bem reforçada. Prontinho, tem aí sua sacola.
Serviço
Lançamento da campanha Eu não sou de plástico
Data: 12 de setembro de 2007 (quarta-feira)
Horário: 18h30m

Local: Porão das Artes – Parque Ibirapuera (Av. Pedro Álvares Cabral s/n – Portão 3)

19 comentários:

fezoca disse...

Neide, San Francisco tambem baniu as plastilentas. Aqui todos os supermercados tem a alternativa das sacolas de papel e alguns perguntam se voce quer plastico ou papel. Outros nem te dao escolha, eh so papel mesmo. E se voce leva as suas sacolas, ganha um descontinho. Eu tenho muitas sacoletas de pano e algumas cestas de fibras, que deixo no carro e uso a beça. Gostaria muito de ver todo mundo levando a sua sacolinha no super ai no Brasil, e que as pessoas facam isso com consciencia e nao somente por modismo. bj! ;-*

Ana Elisa disse...

Sensacional! Parabéns pela atitude! Tento sempre enfiar as compras nas minhas bolsas-saco (uso dessas no dia-a-dia) ou na mochila, ou então levo meu sacolão de lona de feira quando pretendo comprar muita coisa. Aqui nos jardins, todo mundo te olha no supermercado como se você fosse maluca, por sair colocando seus produtos no sacolão. Pelo menos no Santa Luzia você tem a opção da sacola de papel. Abraços!

Carla disse...

Muitos parabéns! Adorei este seu post sobre os sacos de plástico!

Quando vou às compras (das poucas vezes, porque na maioria das vezes vai a mãe) tento trazer o menor número de sacos possível.

Gostava que em Portugal tomassem uma atitude firme sobre o uso excessivo de sacos de plástico. É uma vergonha a quantidade de sacos que vão parar todos os dias ao nosso ambiente. Contudo na cadeia de supermercados onde sou cliente, começaram a cobrar pelos sacos plásticos. São apenas 0,02€ mas é o suficiente (segundo as estatísticas feitas pelo supermercado) para baixar em quase 50% o consumo de sacos de plástico. Quero ver se arranjo também uma sacola para as compras. Aqui em Portugal ainda não chegou a moda dos sacos de papel não sendo do meu conhecimento o prós e contras deste material. É preferível mesmo termos um saco ecológico que dá para as nossas compras, os seus sacos são lindos!

Tudo para salvar o nosso querido Planeta!

Bjs e boa sorte com o seu negócio! =)

Verena disse...

Neide, há tempos tenho visto vários artigos sobre as Ecobags e confesso que acho que por aqui as coisas vão demorar um pouco a mudar, de outro lado há pessoas como você, a Dani Toré, a Fer, a Bia, dentre outras blogueiras conscientes e antenadas que dão o toque ao mundo.
Vou tentar começar mudando o hábito em casa, já algumas vezes levei minha sacola para o supermercado, mas na maioria das vezes esqueço...tenho que deixar no carro e usar mais.
Obrigada pelo post e boa sorte na empresa.
Um abraço forte.



www.mangiachetefabene.wordpress.com

Sill disse...

Neide! Estou de volta a SP e vou querer uma sacola de pano da nova grife! Além de ecologicamente correta é chiquérrima! Trouxe o fuba de canjiquinha de BH p vc! Agora não temos desculpas p não marcarmos para comer o chocolate sueco que eu trouxe! bj Sill

Marizé disse...

Ainda bem que há pessoas assim! Parabéns! Vamos seguir os passos das nossas avós e levar a nossa cesta ao mercado!

Céres disse...

vim ao teu blog por indicação da articulista da Folha. foi das melhores coisas que fiz nos últimos dias. adorei! estarei aqui todos os dias. quanto a campanha já estou nela. venho fazendo sacolas e presenteando as amigas faz algum tempo. também pretendo fazre algumas para vender - pode ser que comprando as pessoas passem a usá-las.

Ivana Arruda Leite disse...

Neide, querida, que sucesso! Parabéns!!! Você merece. Escrevi no Doidivana sobre o orgulho e a alegria de ser sua prima, além de sua fã. Beijos mil

juliano machado disse...

Vim cá por indicação da Nina na Folha e me deparo com esse blogue delicioso, bem escrito, inteligente e personalíssimo. Já virei leitor.

Parabéns.

Nine disse...

Ola neide ,tb apareci aqui pela coluna da nina horta que leio sempre e adorei!Eu ja levo sacolas de pano em todos os lugares ,e é verdade como disse a sua outra leitora que o pessoal até do super olha meio estranho qdo a gente diz que nao precisa dos sacos plasticos.Gostaria que alem da iniciativa citada, o comércio em geral fizesse pg sacolas ,na Fr ou a gente leva sacola ou paga por ela!abs

Mariângela disse...

Neide, já estou nessa há anos,desde que morava na Alemanha há mais de 15 anos atrás e por aqui nem se falava no assunto,acho que um dia a gente chega lá,tem que ter um começo e fico feliz por fazer a minha parte,tuas sacolas estão lindonas,parabéns,beijo!

ML disse...

Olás!
Sou de BH e adorei a dica. Este fim de semana já vou providenciar minha sacolinha de saco, uma lindeza a sua! Tb tento fazer uns movimentos por aqui e atualmente consegui divulgar um pouco a política dos 4R's onde trabalho: Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Como produzimos muito rejeito de papel, atualmente fazemos um bloquinho aproveitando o verso das folhas que está fazendo muito sucesso!
Adorei o blog, apesar de não ser uma exímia cozinheira...
Abs,
Maria Luiza

Carolina Cruz disse...

Neide! Tudo bom?

Sou Carolina Cruz. Hoje, estava eu pegando o meu jornal e abrindo na Folha Ilustrada, de repente encontrei uma matéria falando sobre seu blog. Achei bem bacana e como a curiosidade foi mais forte, não pude deixar de entrar. Muito interessante o blog, gostei mesmo.

E sobre a matéria. Em alguns estou vendo que em alguns lugares do Brasil a sacola de plástico já está banida, né?! Infelizmente aqui na minha cidade ainda não...

Bom, te linkarei! =D

:***

Neide Rigo disse...

Que bom saber de outras experiências mundo afora e que muita gente já se preocupa com isto. Como disse Al Gore, em seu documentário, às vezes a gente precisa levar um susto para começar a fazer alguma coisa. Nunca é tarde para começar. Obrigada. bjs, n

Ludmila Carvalho disse...

Neide, aqui em Montreal acontece uma coisa engraçada. A campanha para usar sacolas de pano ou re-utilizáveis é enorme, e alguns mercados vendem por um dólar ou dão de graça em promoções. Mas por outro lado, os funcionários do caixa não foram instruídos a contribuir na campanha, e já começam automaticamente a colocar tudo nas sacolas de plástico. Eu tenho que dizer que não precisa, muitos deles me olham como se fosse maluca. E já vi alguns colocando o saco de plástico dentro do saco de pano, coisa mais improdutiva não há. Eu só uso mesmo para embrulhar carnes, e só quando não tem o saco de papel.

Andréa disse...

Neide,
Vim parar aqui no seu blog só agora e adorei. Amo comida também e vi aqui dicas bem bacanas.
Eu tb aboli as sacolinhas de plástico há um tempo. Se a compra é pequena, tenho sempre no carro uma daquelas sacolas de feira antigas, sabe.... se a compra for maior, peço caixas de papelão. O problema é que muitos supermercados não têm na mão caixas de papelão. Ás vezes preciso chamar o gerente, e ele acaba conseguindo umas caixinhas. Mas é um trampo. Acho que as próprias lojas deveriam oferecer opções, não acha?? E padaria então, eles sempre colocam o pão em sacos de papel e depois no de plástico... um absurdo!!!
O jeito é a gente ir espalhando essa campanha, né??
Bjs
Andréa

solange_kahl disse...

Neide, dê uma olhadinha no meu flickr, ja aderi a idéia, vamos fazer a nossa parte... Bjs
http://www.flickr.com/photos/soarteira/

solange_kahl disse...

Neide peguei a sua materia sobre bolsas emprestada com os devidos créditos e coloquei no meu flickr, se você na achar prudente o uso por favor me avise que retiro..

Karla disse...

Neide, infelizmente em Brasília, que teria que ser exemplo, ainda não temos essa consciência. Estou tranquila pois já uso há muito tempo. Aprendi com minha Vó. Como posso adquirir uma sua, vi no site da Fernanda. Bjs! :)