quarta-feira, 3 de março de 2010

Pimentões orgânicos, coloridos, minis e recheados


Comprei estes pimentões coloridos na feira de orgânicos do Parque da Água Branca, no sábado, do Sítio Jatobá. De sabor não diferem muito dos pimentões comuns e grandes, mas o formato arrendodado e as cores atrativas parecem pedir um recheio. Foi o que fiz.
Antes da receita, porém, vale lembrar que os pimentões estão entre as culturas mais perigosas no que se refere ao uso indiscriminado de agrotóxicos. Basta lembrar dos resultados do último programa de análise de resíduos de agrotóxicos em alimentos, da Anvisa, em 2008, em que cerca de 65% das 101 amostras de pimentão de mercado analisadas apresentavam irregularidades quanto ao limite máxico permitido de determinados produtos e ainda uso de substâncias não permitidas para a cultura, como é o caso do dicofol, organoclorado perigosíssimo não só para a saúde humana mas também para o meio ambiente. Entre os não autorizados, além do dicofol, veja só os outros: bifentrina, bromopropilato, carbendazim, cipermetrina, clorpirifós, endossulfam, esfenvalerato, fempropatrina, fenarimol, lambdacialotrina, metamidofós, permetrina, procimidona, procloraz, profenofós, tebuconazol e triazofós (ah, sim, alguns desses podem ser usados no tomate...). Por isto comi estes pimentõezinhos com desejo multiplicado.
E por isto também recomendo a leitura destes dois textos para quem tem tempo e interesse para saber mais sobre uso e abuso de agrotóxicos na cultura de frutas e hortaliças:

Agrotóxicos em hortaliças: segurança alimentar, riscos socioambientais e políticas públicas para promoção da saúde. Clique aqui. Artigo de Vicente Eduardo Soares de Almeida e Nirlene Junqueira Vilela, pesquisadores da Embrapa Hortaliças, e Fernando Ferreira Carneiro, professor da Unb, publicado na Tempus. Actas em Saúde Coletiva, vol. 4, n. 4, p. 84-99. 2009
Nota técnica para divulgação dos resultados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos – PARA, de 2008. Clique aqui. Publicado pela Anvisa.

Pimentões minis recheados
6 pimentões minis e coloridos - 180 g (se não encontrar, use metades de pimentões comuns, dos menores)
1 colher (sopa) de banha, manteiga ou azeite
1 dente de alho finamente picado
3 colheres (sopa) de cebola picada
100 g de acém - picado finamente na ponta da faca
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de colorau
Meia pimenta dedo-de-moça sem sementes picada finamente
Meio tomate ralado (de modo a ficar com a pele entre sua mão e o ralador)
1/4 de xícara de pão integral esmigalhado (usei um caseiro que tinha aqui, mas pode usar qualquer pão)
3 folhas de alfavacão picadas (ou use manjericão)
1/2 xícara de cebolinha picada
Faça um corte em volta do pedúnculo de cada pimentão e descarte-o. Com uma colherzinha, tire todas as sementes. Reserve os pimentões. Numa frigideira, aqueça a banha, coloque o alho e deixe começar a dourar. Junte a cebola e espere murchar. Adicione a carne, o sal, o colorau e a pimenta e cozinhe, mexendo, até ficar cozida e bem soltinha. Junte o tomate ralado e espere a mistura ferver. Coloque o pão e cozinhe até que resulte numa mistura cremosa. Prove o tempero e corrija, se necessário. No final, junte a alfavaca e a cebolinha, misture e desligue o fogo. Recheie os pimentões, apoie-os sobre uma travessa refratária de modo que fiquem em pé (se precisar, ajeite-os sobre sal grosso) e leve ao forno médio por cerca de 40 minutos ou até que os pimentões comecem a murchar.
Rendimento: dá pra três, com arroz e salada (e sobraram umas 3 colheres de sopa de recheio)
Nota: com carne de porco também vai bem.

6 comentários:

Odete disse...

Bonitos aos olhos e bons no paladar.
Otimos artigos.

bjs

Mariângela disse...

Neide,ontem olha a coincidência,estava com estes pimentõezinhos na mão ,orgânicos,e não comprei por não saber direito o que fazer.Agora já sei. Que outro nome tem "acém",aqui no sul não se conhece esta denominação.Beijo!

Neide Rigo disse...

Mari,
O acém faz parte da dianteira do boi e como acontece com todos os cortes, os nomes variam Brasil afora. Pode ser encontrado como agulha, lombo-de-agulha, lombinho-do-acém, lombo-d´acém, tirante entre outros. Em espanhol é chamado de aguja; em francês, basses côtes e, em inglês, chuck roll (alguns outros nomes alternativos são boneless chuck fillet, boneless chuck roll, chuck tender, e scotch tender). Será algum desses aí?
beijos, n

Bombom disse...

Como os olhos também comem, fica um prato bem alegre e colorido. Aqui em casa não tem muita saída porque o Marido não gosta nem do cheiro...mas o recheio, pode bem servir para outras iguarias! Bjs. Bombom

adriana lucena disse...

quero as sementes! por favor, diga que guardou algumas e vai levar pra mim em Brasilia...
bjs

Ana disse...

Eu havia visto a pesquisa sobre os agrotóxicos quando divulgaram. Salvei os dois arquivos para "degustar", com raiva é claro.
Tenho comprado pimentões feios e pequenos, direto de um produtor num mercado livre daqui. Quando perguntaram em casa o porquê, disse que era tentativa de levar menos porcaria, seguindo a máxima de que em princípio não levaram agrotóxicos e outras coisas.