quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Tem priprioca invadindo meu quintal

Lembra daquela priprioca que comprei aqui em São Paulo na feira de turismo? Falei dela AQUI.
Pois o que não usei no pudim, enterrei ao lado das galangas, aproveitando que as duas têm algumas notas em comum. Eu já havia desistido dela e nem imaginava que ainda estavam lá embaixo da terra. É que por várias vezes eu tive que replantá-las. Estava eu cá trabalhando e aparecia a Dendê correndo para se deitar sobre o tapete com as priprioquinhas nos dentes. Tinha que abrir a boca dela à força, tirava de lá as bolinhas todas machucadas e enfiava de novo na terra enquanto ela não via. Acho que fiz isto umas cinco vezes. Por isto, já tinha esquecido. Pelo jeito, a Dendê também.
Outro dia fui mexer nas galanhas e lá estava aquele capim fino, comprido e frágil, sustentado pelos talos das galangas já mais altos que eu. Mas o capim da priprioca era ainda mais alto - deve chegar a dois metros! Será o pripriocão? Bem, já que não ouso mais chamar meu quintal matagado de jardim, deixe que cresçam ao deus dará pripriocas, couves, galangas e cruás (achei dois hoje invadindo o telhado da vizinha).


Mais de 10 voltas no meu pulso nada fino!

3 comentários:

Dani - Paladar disse...

A natureza é mesmo cheia de surpresas. Seu quintal ta cada dia mais rico...rs

Bjs

Renato David disse...

Vc comercializa priprioca? eu preciso... :/

Vá Osório disse...

Oi! Tudo bom?
Eu gostaria de comprar priprioca! Não estou achando em lugar algum em São Paulo, nem no Instituto ATA.
Sou estudante de cozinha e preciso para um trabalho! saberia me dizer onde encontro? Nem que seja online mesmo! 🙂
Grata.
Vanessa.