quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Pimentas? Presente!

Hoje o caderno Paladar traz boas ideias de presentes comestíveis e bebíbeis para o Natal. Tem biscoitinhos amanteigados, limoncello, conserva de limão, marrom glacê, terrine e até conserva de pimenta da dona Neidoca aqui - minha mãozona aparece toda cheia lá no jornal, pode conferir.

A ideia era que cada membro da equipe do caderno anotasse como a coisa era feita e que reproduzisse ele próprio em sua casa para depois ser fotografada. Quem veio aqui foi a reporter Giovanna Tucci, aluna exemplar que reproduziu a receita com perfeição e até se atreveu a melhorá-la acrescentando anis-estrelado. Conservas são preparações versáteis, permitem inúmeras variações. E poderia ter colocado cravo também, que teria ficado bom.


Em frente ao Mercado da Lapa
Aproveitei a entrevista para comprar umas pimentas na barraca em frente ao Mercado da Lapa, que vende vários tipos. Fui também à Rua Tabatinguera e comprei uns vidrinhos para fazer meus próprios presentes, que já é hora. Aí foi só brincar. Marcos ajudou a escolhê-las, tirar cabinhos, fazer cortes. E eu fui mais ou menos na receita do meu pai, exímio fazedor de conservas e pimentas. Inventei uma de malagueta e cumari com mel de abelhas nativas (tiúba) e ficou sensacional - o melzinho picante dá pra usar como a geleia de pimenta.



Se a conserva é com vinagre e/ou cachaça, o líquido com temperos deve ser fervido e as pimentas aferventadas neste caldo por um minuto. É importante que elas sejam cortadas no cabinho, talhadas do lado ou dividida em pedaços se a pimenta for grande, para que não fiquem boiando - elas podem mofar.


No caso das conservas com azeite ou mel, melhor secar e desidratá-las ao forno, assim desinfetam, perdem umidade e fazem uma troca interessante com o meio

Malagueta e cumari no mel; cumari no azeite; fidalga na cachaça, dedo-de-moça no vinagre, monovarietais e misturebas. Prefiro juntar de-cheiro com de-cheiro (fidalgas, biquinho doce, cumari-do-pará, biquinho ardida, de-bode, murupi, doce do maranhão), doces ou ardidas.
Malagueta e cumari secas ao forno e imersas em mel de abelha nativa (aqui, mel de tiuba, mas pode ser de jataí ou de qualquer outra abelha, desde que esteja bem ácido). E se tiver um patuazinho de pimenta, não custa enfeitar a rolha.

Conserva de pimenta em cachaça e vinagre

½ xícara de vinagre de vinho branco
½ xícara de cachaça
½ colher (sopa) de açúcar
½ colher (chá) de sal
Opcional: 1 colher (chá) de grãos de coentro e/ou de mostarda, umas lâminas de alho, folhas de louro, 1 ou 2 cravos
Algum ramo de erva aromática, se quiser - manjericão, tomilho, orégano, alecrim, salvia
Pimentas frescas a gosto - de 1 a 2 xícaras dependendo da densidade da pimenta (malaguetas, dedo-de-moça, cumari, murupi, doce do maranhão, fidalga, biquinho doce, biquinho ardida etc)*
Modo de fazer: leve ao fogo o vinagre, a cachaça, o açúcar, o sal e o temperos. Deixe ferver 1 minuto. Junte as pimentas lavadas e ferva mais um minuto. Se for usar ervas, apenas lave bem e coloque no líquido quente quando já desligou o fogo e tire rapidamente. Separe as pimentas do líquido e ajeite-as, asssim como a erva aferventada, com pinça em vidros previamente aferventados por 5 minutos e ainda quentes (pinça também aferventada). Despeje o líquido ainda quente sobre as pimentas. Feche os vidros e deixe esfriar. De preferência, consuma depois de uma semana. Mas, se quiser, no mesmo dia. Quanto mais tempo passar, melhor. Conserve na geladeira (deve durar uns 3 meses ou mais). Se as pimentas forem absorvendo o líquido vá completando com mais infusão de temperos ou, se quiser, cubra com azeite.
Para durar por muito mais tempo, lave bem as pimentas e coloque em vidro de conserva. Despeje por cima a mistura de cachaça mesmo sem ferver e feche bem o vidro. Leve ao fogo uma panela grande com bastante água. Coloque no fundo um pano dobrado. Quando a água estiver fervendo, ponha os vidros fechados aí – coloque e tire rapidamente várias vezes até o vidro aquecer um pouco, para não ter choque térmico e rachar. A água deve cobrir o vidro. Se for preciso, despeje mais água quente sobre eles. Para isto devem estar vem tampados. Deixe ferver por 15 minutos. Retire os vidros, coloque-os sobre um pano dobrado (para não ter choque com a superfície fria), deixe esfriar e conserve por até 1 ano. Depois de aberto, conserve na geladeira.
Rende: cerca de 2 vidros de 200 g
* Nota
- A dedo-de-moça, divida em 2 ou 3 pedaços em cortes transversais ou corte em rodelas.
- A cumari-do-pará e todas as de cheiro casam bem com esta solução de cachaça.
- Não deixe de fazer um corte ao lado ou quando cortar os cabinhos, para que a solução entre no meio delas. Se não, o interior, com ar, pode embolorar ou ser criatório de outros microorganismos.
- Se usar a arriba-saia, prefira tirar as sementes para não ficar tão ardida e impossível de comer (só não esqueça de usar luvas para isso). Ela vai bem também na conserva só com vinagre.
Só com vinagre
Igual à conserva de cachaça e vinagre, porém, substitua a cachaça pela mesma quantidade de vinagre. O resto é igual. Casa bem com qualquer pimenta.

Para conserva de azeite – bom para pimenta malagueta, cumari ou outras pequenas. Lave bem as pimentas, tire os cabinhos, espalhe-as sobre uma assadeira e leve ao forno bem quente para secar. Pode ser sobre carvão, para que fiquem com sabor defumado. Neste caso tem que ser vapt vupt. Quando estiverem meio murchas, arrume-as ainda quentes num vidro (lavado e seco no forno quente, emborcado). Despeje por cima azeite de oliva, alternando com grãos de sal grosso ou flor de sal (como o meio é gordura e não líquido, o sal não se dissolve e enfeita). O topo delas deve estar coberto com azeite. Quando as pimentas absorverem o azeite, coloque mais. Feche e conserve de preferência na geladeira.
E o tanto que sobrou virou molho de pimenta

10 comentários:

Heguiberto disse...

Oi Neide,
Você já viu por aí umas pimentas de nome 'pimientos de padrón'?
É um tipo de pimenta onde os pés produzem pimentas de vários níveis de picânica. Comê-las é como brincar de roleta-russa... algumas doces outras ardidinhas. Uma delícia! São do México originalmente mas foram levadas à Espanha pelos 'Conquistadores' agora a cidade de Padrón se clama a capital de tal pimenta. Deliciosas!
Escrevi um post sobre os pimientos de padrón alguns meses atrás: http://weirdcombinations.com/2009/08/pimientos-de-padron/

MILZA disse...

Neide, quantas horas tem no seu dia?
Adorei as receitas de conservas de pimenta. Antes n/ comia pimenta porque achava q. fazia mal ate descobrir q. na realidade a pimenta faz mto bem para a saude.
Ah, Tenho uma batedeira da Kitchenaid extra se vce quiser vem buscar.
Beijos
Milza

Neide Rigo disse...

Oi, Milza!
Eu adoraria fazer mais coisas - meu dia não dá pra nada. Como acontece com quase todo mundo.

Quanto à batedeira, já estou aí pra pegar. Mas aposto que mora bem longe... Obrigada.
beijos,
N

umconceicao@gmail.com disse...

Oi Neide
Adoro tudo que escreves , amei todas essas pimentas , quero fazer tudo até a geléia que eu só comia nas meninas da Senhora das Especiarias em Gonçalves, Vou procurar essa receita e o mel onde compro? Ah! não consigo acessar a receita da geléia tudo bem uma hora eu consigo!
Minha Yalodê onde compro um peru orgânico?
Afro beijos
Conceição

Neide Rigo disse...

Oi, Conceição. Foi bom te ver ontem. Vou tentar descobrir nome dos temperos que me deu.
Quanto à geleia de pimenta, copie e cole o link: http://come-se.blogspot.com/2009/04/geleia-de-pimenta-com-pectina-de-macas.html

O Mel de abelhas nativas, entre em contato com o Kalhil Pereira França - www.meliponariodosertao.blogspot.com - Mossoró-RN. Talvez ele possa lhe mandar.
O que usei é da Amavida - Projeto Abelhas Nativas da AMAVIDA - Associação Marinhense para a Conservação da Natureza. Veja mais aqui: www.projetoabelhasnativas.org. www.amavida.org.br. Email: pan@amavida.org.br.

Quanto ao Peru, se quiser ir buscar lá em Fartura... Sempre como perus orgânicos criados pela minha mãe, mas ela não vende, não. Uma pena (não, nem a pena, que vira peteca...)
Beijos,N

adriana lucena disse...

Neide, querida!
Ando sumida, né? louca com as encomendas de Natal (em Natal!) e sem computador no momento. Mas telefonaram tanto pra mim falando deste post que corri hoje pra uma lanhouse pra ver! Mais uma das muitas coincidências entre nós: comecei a história com as pimentas fazendo molho de presente de Natal pro amigos... No ano seguinte vieram as encomendas... o resto você já sabe! fiquei com água na boca e muito feliz com tudo isso!
abraço apimentado e de coração, adriana

Neide Rigo disse...

Adriana, Adriana pimenteira! Que bom que gostou das minhas humildes conservas, que não se comparam, é claro, com as da Quinta da Aroeira! Mas é só uma brincaderia. Pimenteira profissional mesmo é você! Beijos,
N

EUOSSOMP3 disse...

Carambaaaa...fiquei com água na boca vendo essas conservas de pimenta...eu adoro pimentas, aqui na minha região existem muitas espécies. Aaaa eu queria um de cada um desses seus potes. Bjs.

RÓGER

AH! Vizite meus sites:

WWW.EUOSSOMP3.CO.CC

WWW.SOMDENOVELAS.CO.CC

talita.arts.blogger disse...

Neide,
Parabéns pelo Blog ! Repleto de informações, fotos belíssimas e pela sua extrema boa vontade de participar as novidades para todos.

Amei.Ainda não tenho blog e não consegui um tempinho para trocar informações. Mas costumo telefonar para as Amigas e me comunicar também por email e Skype. Meu email: talitagigeck@yahoo.com.br

Bjs

isabel bareta disse...

Queria que você conseguisse pra mim nesse mercado lindo em frente a lapa pimenta de cheiro não picante,mas não misturada com outras quero sentir o sabor algumas pimentas em natura também servem compotas o que você achar melhor faz um ano que procuro e aceito depositar os valores de remessa.
Isabeljgbareta@gmail.com obrigada