quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Descobri Fartura em Portugal

Já falei tanto aqui de Fartura, a cidade de São Paulo à beira da represa de Xavantes, fronteira com o Paraná, onde moram meus pais, mas não imaginava que encontraria tanta Fartura também em portugal. Em Beja, na Olivipax e Vinipax, feira de vinhos e azeites alentejanos, do lado de fora não faltavam barraquinhas de farturas, churros e malacuecos que são frituras feitas com massa de farinha cozida.
Posso estar redondamente equivocada e, se estiver, peço desculpas aos amigos portugueses, que poderão complementar este post, mas, pelo que entendi, farturas e malacuecos parecem ser a mesma coisa, parecidos com churros, só que mais aerados, feitos com fermento. Churros são mais finos e densos. Todos fritos em imersão, são crocantes e passados na canela com açúcar. Churros podem ser recheados.
Eu nem ia comer, pois não sou muito dos doces, mas a Luiza Fecarotta (jornalista de comida da Folha de São Paulo) acabou me convencendo. E não me arrependi.
Luiza Fecarotta e a carinha de felicidade

11 comentários:

nana disse...

Ai, que vontade!

ameixa seca disse...

Sou super fã de farturas e churros e desconhecia por completo os malacuecos (adorei o nome he he)! Aqui no Norte de Portugal nunca ouvi falar de malacuecos, deve ser costume Alentejano!
Também fico feliz de comer uma fartura, é uma fartura de felicidade :)

Conversa Inútil de Roderick disse...

Fartura sabe bem, mas só de vez em quando. Engorda muito e faz mal porque tem muita gordura do óleo onde é frita.

Conversa Inútil de Roderick disse...

Ah! Também nunca tinha ouvido falar do termo Malacuecos!!! Deve ser o nome que os espanhóis dão às farturas.

Anônimo disse...

mudando de assunto, já tentei várias vezes entrar no site da ciprest nesse link si do lado e não consigo. o q acontece?

Obrigado

Neide Rigo disse...

Ameixa e Roderick,

me parece que malacueco é o nome das farturas no Alentejo (e talvez na vizinha Espanha).

Roderick,
o que não pode é comer a toda hora. Realmente são bem calóricos.

Anônimo (como é seu nome?), por aqui o link funciona bem. De qualquer forma, anote aí: http://www.ciprest.com.br/

Um abraço,
N

Mariângela disse...

eu adoro churros ,há anos não como,aqui só vende na rua e eu não tenho coragem,e que eu saiba,nenhum local bacana oferece nas sobremesas,beijo!

Anônimo disse...

As Farturas, são uma guloseima muito típica em todas as festas e feiras de Portugal.São feitas com farinha amassada com um pouco de água e sal, bicarbonato de sódio e um pouco de fermento em pó. Depois essa massa é frita em óleo fervente com a ajuda de um grande saco de pasteleiro, como se fosse uma serpentina.Quando está loirinha retira-se do lume e coloca-se sobre papel absorvente e corta-se em pedaços de cerca de 10 cm.Passa-se por açúcar e canela e já está! Já os Churros são uma especialidade espanhola muito comum ao pequeno almoço com uma chávena de chocolate quente.A massa é semelhante, mas são feitos com um saco mais estreito, ficando mais fininhos e por isso, mais estaladiços.
Adorei a tua reportagem sobre estes dias em Portugal. Se cá voltares com mais tempo, tens de visitar o Museu do Pão que fica em Seia, na Serra da Estrela.Bjs. Bombom

Neide Rigo disse...

Mariângela,
desde que o churro não seja recheado, é uma das comidas mais seguras para se comer na rua, pois não leva nenhum ingrediente potencialmente perecível e é frito em gordura quentíssima (é claro, tem a qualidade da gordura e tal, mas de vez em quando vá lá).

Bombom,
obrigada pelo complemento.

Um beijo,
N

Isabel disse...

Adoro farturas e churros mas há anos que não como, são muito calóricos!!!
Mas de vez em quando podemos e devemos comer uma fartura!
Malacueco é o termo espanhol para um doce praticamente igual à fartura e que passou a fronteira :)
Bjs

Maria das Graças disse...

No Ceará, há 40 anos atrás, comíamos no lanche da tarde e se chamavam "ilhoses". Talvez devido ao formato, arredondados. A massa é a mesma utilizada nas "farturas" portuguesas. Secava-se no papel de pão (naquela época era o que existia) e polvilhava-se com açúcar e canela. Era uma festa no lanche da tarde.