quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Festa de firma



Faz tempo que trabalho em casa, mas quando fui secretária em escritório já participei de muita festa de firma com amigo oculto e bilhetinhos secretos. Embora eu não sinta falta nenhuma de assinar ponto, cumprir horário e dizer bom dia pra chefe chato, os amigos secretos até que eram divertidos, momentos de conhecer melhor o colega do lado. Só não gostava quando em vez de dar dicas e sugestões de presentes os participantes pediam o cd xis de fulano, o tal perfume da moda da Boticário, o mocassim marrom número 40 da Birello ou a camiseta branca Pollo. Não tinha graça. Neste caso, eu preferia ficar fora da brincadeira e comprar meu próprio presente. O que eu gostava era da surpresa. Pra matar a saudade, entrei no amigo secreto de blogueiros de comida organizado pela Laila, que reuniu 41 pessoas desconhecidas (a maioria) e moradoras de lugares tão distantes quanto Canadá, Portugal, França ou Mirassol, cidade do interior de São Paulo onde mora a advogada Paula Amanda, para quem mandei uma sacola de pano e algumas especiarias que ela não tem lá. Os presentes, claro, foram itens de cozinha ou de comer. E, pelo que acompanhei, foram todos mimos de muito bom gosto e providenciais. Minha caixinha de surpresas veio de Salvador, enviada pela jornalista Camila Marinho, que durante a brincadeira assinou "Secretíssima", sem nenhuma pista. Logo de cara, abri o pacote maior. Colheres de servir feitas com madeira e casca de coco polida como jóia, um luxo só, lindas de causar inveja nos talheres óbvios de inox. E o pilão de madeira era o que faltava na minha coleção. Tenho um do mesmo modelo, só que menor e já rachado de tanto que eu uso. Então, chegou em ótima hora. Só com isto já estaria feliz da vida, mas vieram ainda porta-velas feito por ela, marcador de livro e uma baianinha fofa de cerâmica. Esta, infelizmente e apesar da embalagem cuidadosa, não resistiu aos sacolejos do transporte. Mas vou tentar colar. Isto sem falar no pacote de tempero baiano fresquíssimo (mistura à moda das massalas indianas que combina grãos de cominho e de coentro, pimenta-do-reino branca, pimenta seca, orégano seco e talvez cúrcuma triturados – foi o que identifiquei). Vou usar em ensopados de peixe e carne. A caixa veio preenchida com fitinhas do Senhor do Bonfim, que já me inspiraram algumas idéias na máquina de costura. Valeu, Camila!

8 comentários:

Marizé disse...

Que presentes fantásticos!

Você merece, a Camila e você têm ambas muito bom gosto.

Beijocas

P.S. Já foste espreitar o meu presente lá no "Tachos"?

risonha disse...

tudo lindo.. é muito giro ver como pessoas que nós nunca vimos na vida já sabem tanto sobre nós e conhecem os nossos gostos.

Laurinha disse...

Faço as minhas as palavras da Risonha - se ela me permite, que expressou com propriedade...

Super lindo o pilão e as colheres...

Bem-vinda!

Beijinhos,

Camila Marinho disse...

Neide, fico feliz em saber que gostou dos presentes! foram escolhidos com muito carinho!!! Agora, que pena que a baianinha quebrou!!! Não é possível. Era o presente que melhor estava embalado!!! Vou ver se consigo comprar outra como aquela pra você!!! No mais, um feliz 2008 pra você!!! Bjão

Eliana Scaramal disse...

Que lindos Neide!! Parabéns! Feliz 2008!!!

Paula Amanda disse...

Olá Neide querida!!!!

Que presentes lindos, parabéns, a Camila é mesmo caprichosa como você, pensa em todos os detalhes!!!!
Fitinhas do Senhor do Bonfim são uma tentação né????

Que legal saber que vc tem a máquina de pão tanto tempo, tinha medo de enjoar rápido, mas acho que não vou não, é bem divertido!!!
Também sou meio doidinha no quesito "regras de utilização das coisas"!!! Vc me deu uma boa idéia, vou tentar fazer e assar no forno convencional!
Mas a que horas eu abro a tampa para crescer e a que horas eu tiro a massa da máquina para moldar????

Abraços,
Paula Amanda

Neide Rigo disse...

Camila,
não se preocupe. Eu colei e ficou imperceptível.
beijos,
N

Neide Rigo disse...

Paula,
eu não fecho a tampa nunca. Mas deixo no modo massa básica (só amassar e crescer) - o ciclo é de 1h30m (20 minutos para amassar e o resto pra crescer - depois deste tempo, a máquina apita. Neste ponto, a massa está transbordando. Veja aqui: http://come-se.blogspot.com/2007/07/arte-de-fazer-po-no-inverno.html

Tenho certeza de que vai se divertir muito com ela. beijos, N