quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Salada de papaia verde



Outra coisa que a gente encontra no mato, além de taiobas: mamõezinhos verdes. Aos maduros, chegam primeiro os pássaros. Nos terrenos de mata na praia de Itamambuca encontramos vários pés carregados, sem dono. Minha avó os fazia como chuchu, em cubinhos, refogado no alho e azeite, cozido e temperado com muito cheiro-verde. Pode ir na sopa, fazer suflês e qualquer prato de legumes. Eu gosto de fazer salada à moda tailandesa, como já dei a receita aqui. Mas, lá, fiz com o que tinha à mão: rabanete, gergelim preto, salsinha, gengibre, alho frito, pimenta vermelha em flocos e limão.


Aqui vai a receita:



Salada de papaia verde com rabanete

1 mamão bem verde, com cerca de meio quilo
3 rabanetes médios
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de sal
4 colheres (sopa) de suco de limão Tahiti *
3 colheres (sopa) de cheiro-verde (salsa e cebolinha) picado
1 colher (chá) de gergelim preto tostado
4 dentes de alho picado e frito em pouco óleo até ficar crocante e escorrido
1 colher (chá) de pimenta-vermelha em flocos

Com uma faca afiada, faça vários riscos no mamão e deixe exudar a seiva por meia hora. Lave bem, descasque com descascador de legumes e rale no ralo grosso. Rale o rabanete com casca e junte ao mamão, assim como o açúcar e o sal diluídos no suco de limão, o cheiro-verde e o gergelim. Misture com cuidado e sirva a salada polvilhada com o alho frito e a pimenta.

Rende de 4 a 6 porções

* Rôti de main au citron




Todo mundo sabe que mão com limão não combina com sol. Provoca queimaduras graves e eu sempre tive o maior cuidado com isto, principalmente na praia. Mas, para fazer esta salada meti o mãozão para misturar melhor; em seguida, claro, não fui à praia nem me postei sob o sol. Como me queimei, então? Não sei. Só se foi a radiação do sol, pois almoçamos na varanda da casa. Mas cheguei em São Paulo com a mão já vermelha e inchada e eu nem percebi quando isto começou acontecer. Como se tivesse mergulhado a mão em água fervente. Logo surgiram bolhas no dorso e a dor passou a ser a de queimadura em óleo. Comecei a passar babosa de minuto em minuto. A Aloe vera é uma daquelas plantas amigas que não pode faltar no jardim de nenhum cozinheiro. Além de analgésico seu gel é cicatrizante e faz grudar no corpo a pele fina, solta pela bolha. Se eu puder não raspar esta pele morta em nenhuma quina de mesa – e isto vai exigir um esforço supremo, acho que vou conseguir faze-la secar no lugar, não contaminar nem inflamar. Pelo menos por uns dias me livro de lavar louça.

14 comentários:

Paula Amanda disse...

Amigaaaa!!!

Que coisa mais estranha, será que não foi também o leite do mamão verde?

Tomar que seque bem rapidinho e pare a dor.

Melhoras pra você,
Abraços
Paula Amanda

Neide Rigo disse...

Não, Paula. A papaína só agride tecidos já machucados. Na pele íntegra ele não faz nada. E quando entra num machucadinho, arde muito na hora. Mas logo ficará boa. Obrigada, beijos,n

Vitor Hugo disse...

Também havia pensado que fosse efeito da papaína, porém ela tem açõa antiinflamatória e ajuda na cricatrização.

Vai ver, foi o limão e sol mesmo. =/ Melhoras, =D

Marizé disse...

Adorei a foto da floresta e a receita da salada.

Fiquei preocupada com a sua mão, bolas, quêm diria que duas coisas tão boas como sol e limão fossem responsáveis por essa chaga.

As suas rápidas melhoras amiga.

Beijocas

Nunca treze à mesa. disse...

Ao ler o post, fiquei com vontade de rever o filme O CHEIRO DE PAPAIA VERDE.

As fotos ficaram lindas e estimo-lhe melhoras.

Davi Silva

Sill disse...

Nossa Neide, que loucura! Espero q vc melhore logo! Adorei a salada. Há mto tinha vontade, desde q vi o filme o cheiro do papaia verde...
Se cuida. bj Sill

bruna lyrio disse...

Olá, Neide! Escrevo para te desejar melhoras e para dizer que adorei o texto do Slow Food na revista Bons Fluidos, parabéns!
Um beijo,
Bruna.

Lia Beltrão disse...

Olá Neide,
Ví sua receita de salada de mamão verde e lembrei da minha infância!!
A salada era um pouco diferente: levava mamão verde, couve, cheiro verde e maionese. Mas a sua deve ser tão deliciosa quanto!
Pena ser tão difícil conseguir mamão verde nas cidades grandes...

Alessandra Kali disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alessandra Kali disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alessandra Kali disse...

Oi Neide.
Tenho acompanhado seu blog ultimamente, e te confesso que ele vem contribuindo muito para minha vida seguir harmônica e deliciosa. Sabores... slow food... Parabéns!
Vi sobre a sua queimadura. Na casca do limão temos as cumarinas, que dão cor à nossa pele, naturalmente derivadas do colesterol para sintetizar vitamina D. Elas sensibilizam a pele para a radiação UV. Na sombra você tem UV refletido, com menor intensidade do que no sol direto, mas o efeito da radiação é cumulativo. O que a cumarina faz é potencializar os efeitos da radiação (não é a luz, é o UV).
Te adianto que ter à mão óleo essencial de lavanda (de ação analgésica e citofilática) é excelente para emergências de cozinha, como cortes e queimaduras. Pode ser aplicado puro no local, inclusive junto com o gel da babosa.
Um abraço.
Alessandra Kali (aromaterapeuta, também amante da boa cozinha e do bem viver)
PS: gostaria de indicar seu blog em meu blog, mas ainda não aprendi como se faz.

Neide Rigo disse...

Oi, Alessandra!
obrigada pelas informações e a dica do óleo de lavanda. Felizmente desta vez deu tudo certo com o gel da babosa que traz um grande alívio e cicatriza rapidinho. E vou tomar cuidado da próxima vez, principalmente com o limão tahiti que é mais perigoso que os outros tipos. Não consegui comentar no seu blog. beijos, n

Obrigada a todos pela preocupação e votos de melhoras.

jossilane pelletier disse...

Amei a salada..parabens!

Anônimo disse...

Olá Neide, não vou me lembrar onde ví isso, mas ví alguma entrevista com algum especialista e ele disse que não há a necessidade de expor ao sol para se queimar com limão. Disse que o próprio ácido do limão pode causar queimaduras ao ficar em contato com a pele. Abraço, Fabiano