sexta-feira, 13 de julho de 2007

Manteiga caseira


Depois de batida a nata, a gordura se separa do soro e forma uma massa coesa

Para quem não sabe, temos direito a uma cota de gorduras saturadas por dia. Se você, como eu, come muita fruta, verdura, peixes, carnes, aves e grãos variados e não come pipoca de microondas, sorvetes cremosos, bolos e biscoitos industrializados, batata frita, nuggets, maionese, sopas e cremes instantâneos, sanduíches gordos e muitos outros alimentos industrializados, pode ficar tranqüilo quando passar uma pontinha de faca de manteiga no seu pão quentinho. Eu não tenho medo de comida alguma. De tudo já comi e como sem culpas, se quiser ou precisar (acho que nunca comi nuggets; felizmente não foi preciso até hoje), mas simplesmente nada disso faz parte dos meus prazeres diários. Acho que de tanto trabalhar na Unilever com margarina – foram anos fazendo testes de performance da coisa na cozinha, não consigo vê-la como alimento. Quando olho para uma comida, quero saber o que estou comendo, o que são aqueles ingredientes que a compõe, de onde vieram. E gosto principalmente de acreditar que eu poderia fazer aquilo em casa, se quisesse. Por estas e por outras, prefiro minha manteiguinha a qualquer outra massaroca artificial sobre meu pão. E já aviso que vou voltar a usar banha de porco, na medida do bom senso, é claro, para fazer meu arroz de vez em quando, como minha avó fez a vida toda (e morreu com taxas de colesterol baixíssimas, de enfizema pulmonar por conta do cigarro de palha). É só comprar toucinho e derreter. Mas, por enquanto, vamos lá à manteiga do meu pai.
Receita da manteiga
Num pote, vá colocando a nata que sobrar do leite. É claro que se tiver leite fresco, mais nata vai conseguir em menos tempo, mas mesmo o leite que a gente usa na cidade pode render alguma gordurinha na superfície. Vá acumulando no freezer até conseguir uma boa quantia – pelo menos meio quilo. Se isto demorar mais que 2 ou 3 meses, a manteiga vai sair rançosa, então não demore muito. Descongele a nata e bata com colher de pau, numa tigela, até formar grumos de gordura. Meu pai prefere bater manualmente pois a manteiga sai com menos umidade e vai durar mais. Eu uso processador ou liquidificador quando sei que não vai mesmo durar mais que dois dias - é que feita assim, não sai todo o soro e a manteiga pode estragar mais rapidamente. Se bem que com 3 ou 4 dias ela ganha um sabor maravilhoso de queijo brie. Voltando à receita: Depois que formaram grumos, vá juntando água gelada e escorrendo para lavar bem e a gordura ficar bem limpa, sem soro. Enxágüe duas ou três vezes. Junte os grumos formando uma massa homogênea e sem água. Se quiser, junte sal a gosto, que também ajuda na conservação. Eu prefiro sem sal. Agora é só comer com o pão, cuja receita darei amanhã.

Neste ponto, já pode parar de bater

Para quem ainda tem medo de manteiga, aqui vai uma dica para deixá-la mais saudável:
deixe 200 g de manteiga amolecer bem até o ponto de pomada. Coloque numa tigela e vá batendo com batedor de arame (ou garfo) e juntando azeite extravirgem aos poucos (de 100 a 150 ml, conforme seu gosto), sem deixar quebrar a emulsão – por isso as duas gorduras têm que estar à temperatura ambiente. Pode ser guardada por vários dias na geladeira, pois como as duas gorduras têm ponto de fusão diferente, o azeite ganha firmeza e a manteiga, cremosidade. Assim, sai da geladeira pronta para passar no pão. Se adicionar ervas como alecrim, salsa, estragão, tomilho ou qualquer outra, pode temperar legumes cozidos ou passar nas fatias do pão amanhecido que serão levadas ao forno para tostar.

22 comentários:

Ananda disse...

pena q a gebte esqueceu de trazer a mnteiga do seu antônio, huuuum, tava uma delícia

Flor de Sal disse...

Fantástico! Mas é preciso muita paciência! Mas ke eu adorava barrar um pãozinho nessa manteiga, lá isso é verdade!!!!

fezoca disse...

Neide, seu blog eh um livro, estou lendo todos os capitulos e vou voltar pra folhear e reler mais vezes. Seus textos sao um primor, os assuntos tao variados, as fotos lindas. Virei sua fan, com licencinha, ja vou entrando e sentando... :-)) um beijo,

fezoca disse...

mais um comentario--eu vou fazer muitos! ;-)

gostei imensamente de ler o que voce escreveu sobre a sua alimentacao. eu peguei horror de coisas light/diet ha um tempo. acredito que numa alimentacao saudavel tem que haver gordura. uma senhora dos seus setenta anos, lindona, outro dia me falou que as mulheres da geracao dela estao todas enrrugadas e ressecadas por causa desse modismo de dietas sem gordura. eu acredito no bom-senso.

Neide Rigo disse...

Pôxa, Fer, que honra te ver aqui no meu blog. E mais ainda por ter gostado. Parece que temos pensamentos parecidos com relação à alimentação. Também tenho pavor a coisas lights (e diets, só pra quem realmente precisa) e uso sempre que possível alimentos naturais e orgânicos. Apesar de ser nutricionista, ou talvez por conta disto, tenho horror à palavra dieta e acho que temos que comer comida de verdade. Demais, até água faz mal. Volte sempre, por favor.

Eliana Scaramal disse...

Neide cheguei até aqui através da Fer (chucrute com salsicha) e faço das palavras dela aí em cima as minhas, estou completamente apaixonada. Já li vários posts e vou ler todos. :)

Anônimo disse...

Gostei dessa mué

Anônimo disse...

mMuito bom

Anônimo disse...

Neide eu estava com uma porçao de nata e fui procurar ajuda e te encontrei e fiz como voce disse e deu certo ficou uma daélicia obrigado LOURDES.

Érika Kika disse...

Oi Neide,
espero que você leia meio comentário. Como se junta a nata? Eu uso leite integral de caixinha mas raramente ficam um pedacinhos de nada de nata.
Bjs

Neide Rigo disse...

Érika, o ideal é usar leite cru. Estes longa vida são difíceis mesmo de formar nata, pois são homogeneizados. Um abraço, N

cassia disse...

olá neide.. adorei essa receita. fico maravilhosa; que delicia,nunca mais vo joga minhas nata fora e nem compra manteiga no mercado hum eu adoro manteiga; obrigada;;; um beijo; com pão caseiro,, hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm rasras...

Jana Maria. disse...

Oi Neide, sua manteiga parece que ficou amarelinha eu bati até com batedeira e só consigo uma massa branca que tem até gosto de manteiga mais parece chantilly! Alguma dica? Bjssss

Anônimo disse...

Oi Neide!

Passeio com frequência por aqui... Aí hoje passei no ponto no chantilly e eis que cheguei ao ponto de manteiga. Temperei com azeite conforme sua sugestão, ficou muito bom, agora estou ansiosa para o pão que está crescendo ficar pronto e apreciar esses dois sabores da infância!!!

Abraços
Tatiane Oliveira

obelix disse...

Gostaria de saber se a nata colhida do leite que foi fervido tbm pode ser batida, pq lembro do meu pai fazer manteiga apenas da nata do leite cru, depois o leite já bastante ácido e coalhado era transformado em requeijão.
Obriga
Rosa Maria

Neide Rigo disse...

Rosa,
para a manteiga, a nata é fresca, crua.

Um abraço, n

Documentários Vários disse...

eu amo esse blog

Aline Santos disse...

É INCRÍVEL COMO VOCÊ PENSE SOBRE COMIDA E.X.A.T.A.M.E.N.T.E IGUAL A MIM(OU EU A VOCÊ)O CARINHO,O AMOR PELO QUE FAZ,A SIMPLICIDADE. LEIO TODOS OS DIAS SEU BLOG,NO TRABALHO,EM CASA,VICIEI. E ADIVINHA EM QUE QUERO ME FORMAR ? NUTRIÇÃO ! ACHO QUE SOU VOCÊ AMANHÃ ! APRENDI A TE ADIMIRAR MUITO. COM CERTEZA,DENTRE MUITOS,GANHOU MAIS UMA FÃZOCA ! MUITA FELICIDADE E SAÚDE PARA CONTINUAR ESCREVENDO ESSE BLOG LINDO DE VIVER !

Edi Rigo disse...

Oi, Neide !!!!
Sempre que vou ao "oráculo" :-) buscar alguma coisa gostosa, aparece voc... i.é, o "come-se".
Compro leite do dono da vaca, guardo a nata e faço manteiga. Fica ótima mas em poucos dias fica rançosa - justamente uma solução para isto que procurava. Lendo seu artigo já aprendi mais coisas a respeito, obrigado, vc é ótima !!!
Edi Rigo

Neide Rigo disse...

Edi,
que privilégio, hem?
talvez esteja deixando a manteiga com muita umidade. Pode ser isto?

Somos parentes?

Um abraço, n

Waleska disse...

Neide... sempre que busco coisas interessantes sobre o tipo de alimentação que quero ter, puf! aparece esse seu blog lindo! Vim te agradecer por compartilhar informações tão preciosas, por escrever de um jeito lindo, as fotos deste blog são uma delícia de ver! Acho que vou ter que te colocar na minha barra de favoritos... Amo o COME-SE!!!

Neide Rigo disse...

Walesca! Obrigada!
Que bom saber que o blog lhe serve.
Um abraço,n