segunda-feira, 2 de julho de 2007

Folhas de caril, curry leaves, neem doce, meetha neem, kari-pattha, kari phulia - tudo a mesma coisa. Só não confunda com neem ou nim amargo

Neem amargo, folhas de bordas irregulares. E folhas de curry, bordas lisas - esmague entre dedos uma folha de pitanga com duas de tangerina e terá um leve idéia do seu aroma.

O Globo Rural deste domingo mostrou uma árvore que vem fazendo sucesso por aqui. Todo mundo já deve ter ouvido falar no neem ou nim (Azadirachta indica), a árvore indiana que contém em suas folhas, frutos e sementes substância de ação carrapaticida, bactericida e praguicida e úteis tanto na agricultura orgânica como na medicina e cosmética ayurvédicas (acho que já temos por aqui pasta de dente e cremes). Mas não é dela que quero falar. É que no meio da reportagem de ontem foi dito que a folhinha fazia parte da dieta de Mahatma Gandhi. Tudo bem que provavelmente ele já tivesse renunciado aos prazeres da carne, nos dois sentidos, mas me parece pouco provável que a erva amarga que mata pulgão fosse o tempero do seu chutney. Mas vai saber... O que usa como erva aromática na Índia (mais no Sul), Malásia e Sri Lanka são as folhas da Murraya koenigii, árvore de outra espécie, embora tenham formato das folhas parecido (basta ver a foto). Embora apenas a primeira seja aromática, as duas são medicinais. Aliás, neem, significa em sânscrito “cura para todos os males”. Hoje têm sido feitos estudos mostrando os efeitos benéficos da M.koenigii no tratamento do diabetes, já que seu extrato parece bloquear o funcionamento da alfa-amilase, uma enzima envolvida no funcionamento do pâncreas.
O fato é que cobicei a tal erva (a aromática, pois a outra a gente compra em qualquer viveiro) durante os anos que ainda não conhecia pessoalmente Nina Horta, desde que ela, numa crônica na Folha de São Paulo, nos conta a saga para conseguir uma muda de uma senhora indiana. Nem imaginava como seria o aroma, mas desejava ardentemente ter meu próprio pé da coisa, pois várias receitas indianas pediam as tais curry leaves. Hoje minha árvore, que ganhei da própria Nina, cresce vigorosa no sítio. E para garantir abastecimento para sempre, também plantei no clube da prefeitura, aqui perto. No sítio tenho os dois tipos.

Mas, se você quer mesmo sentir o sabor de um autêntico caril ou Kari do sul da Índia ou do Sri Lanka, esta erva é imprescindível. Na língua hindi ela é chamada de meetha neem ou kari-pattha - respectivamente, neem doce e folha de caril (em inglês é curry leaf). Kari é o nome dos ensopados e molhos indianos ricamente condimentados. E, se as especiarias usadas nestes pratos variam de acordo com o cozinheiro, as folhinhas são presença constante e isto há séculos. Tanto que receberam nome revelador de sua função - outro motivo de confusão, já que o pó de curry ou caril que conhecemos é invenção dos ingleses, no século 18, como forma de resumir as massalas (misturas de especiarias feitas na hora) usadas nos Karis e cujo aroma nada tem que ver com estas folhas, de perfume muito mais sutil, cítrico, fresco e penetrante. Infelizmente ainda não há cultivo comercial no Brasil, mas já há lojas de temperos que vendem a erva seca. Diferente daqueles temperos fortes, amargos, picantes, ácidos ou acres que exigem uma certa sabedoria indiana para se acertar na dosagem e na combinação, as folhas de curry encantam à primeira vista, interagem bem com outros temperos e o excesso nunca desagrada.

Onde encontrar (pelo menos, já teve - ligue para confirmar):
Bombay Herbs & Spices - Alameda Rocha Azevedo, 856 Tel. 3083. 3999

Dicas
de uso
· As folhas frescas são sempre melhores, pois são mais flexíveis e podem ser comidas. Mas as secas também conservam bastante o aroma, que vai para o caldo, e podem ser tiradas depois do prato pronto. Outra maneira de usar as secas é tostar com outras especiarias e triturar tudo junto.
· Se tiver as folhas frescas, embrulhe os galhinhos em saco plástico e congele. As secas devem ser guardadas em vidros escuros, em local seco e arejado.
· Use em pratos vegetarianos como caris e chutneys ou em frangos e peixes. Combine com sementes de mostarda, gengibre, cúrcuma, cominho, grãos de coentro e outros temperos indianos. Mas se quiser conhecê-la no íntimo, comece adicionando as folhinhas em frango com molho ou lentilhas ensopadas, sem outros temperos além de sal, óleo e cebola. Depois parta para as combinações mais complexas.

Aqui uma receitinha fácil e um bom começo para conhecer a ervinha. Use qualquer outra lentilha no lugar da lentilha-rosa. E ainda se não conseguir de jeito nenhum a folha de caril, experimente temperar com folhas de pitanga e de limão ou tangerina juntas.

LENTILHAS VERMELHAS COM CEBOLA ROXA À MODA DO SRI-LANKA

1 cebola roxa grande fatiada bem fina
2 colheres (sopa) de óleo de amendoim
1 pimenta malagueta ou dedo-de-moça, sem sementes, picada
1 colher (chá) de cúrcuma (açafrão-da-terra)
250 g de lentilhas vermelhas
12 folhinhas de caril (ou um galho)
1 xícara de leite de coco
1 xícara de caldo de legumes
1 pedaço de canela

Numa panela, refogue a cebola no óleo até ficar dourada. Se quiser, adicione umas gotas de limão ou vinagre para acentuar a cor. Separe e reserve metade da cebola para decorar. Junte a pimenta, a cúrcuma, a lentilha, as folhas de caril e os ingredientes restantes. Cozinhe até o líquido reduzir quase todo e a lentilha ficar macia e cremosa. Se necessário, junte mais água. Prove o sal e corrija, se necessário (se usar caldo industrializado, não é necessário adicionar sal). Retire a canela e as folhas de caril caso tenha usado a erva seca. Passe para uma travessa, decore com as cebolas reservadas e folhinhas de caril. Sirva com arroz branco ou pão indiano.
Dá para 4 porções

31 comentários:

Natural Naturalmente disse...

Não sei o que gostei mais se foi da receita ou da explicação sobre as folhas. A verdade é que li o post todo com muito prazer e atenção. Vou procurar as folhinhas, a de pitanga tenho certeza que não acharei, em Lisboa, o resto é um questão de ir pesquisando. Obrigada. Parabéns
Mácia
www.medicinasnaturais@gmail.com

Anônimo disse...

Neide
Pode-se encontrar a planta do curry na Fazenda Citra:
http://www.fazendacitra.com.br/dierberger/component/option,com_wrapper/Itemid,41/
Tarcisio

Anônimo disse...

Kari- pattha produtosa Sri Maa

www.srimaa.com.br

Vivianne Mesquita disse...

Tive uma surpresa muito agradável ao encontrar seu blog. Muito bom gosto e informações excelentes!!

Parabéns!!

Nadia Marrach disse...

Ontem ,enfim, conheci o kari-pattha. Minha amiga indiana, a Indú, tem um pé plantado na sua antiga casa, que agora está alugada. Com receio de que algum desavisado corte, ela teve a idéia de me levar lá para tirar as mudinhas que nacem ao redor da árvore, para que eu plante na minha casa e garanta um fornnecimento permanente de folhas para os seus deliciosos "kari". O perfume é maravilhoso e, seguindo a sua idéia do suco com limão e folhas de pitanga, eu fiz,
um com as folhas do kari-patha. Ficou ótimo!!Nem a Indú conhecia esta maneira de usa-las. Já indiquei seu blog para ela!

Neide Rigo disse...

Nadia, que ótima ideia a do suco. Eu mesma não tinha pensado nisto. Outro dia descobri um pé kari patta na calçada de uma casa no meu bairro. Deve ser casa de alguma indiana.
Um abraço, N

Gastão Silva disse...

Tenho uma árvore do caril num vaso, num apartamento, no Algave. Comprei-a no Dubai. Apanha bastante sol e este ano deu flores e um rebento que retirei e coloquei noutro vaso. Também este está a desenvolver-se bem. Das flores consegui um único pequeno fruto que está ainda a amadurecer na árvore, estou curioso em saber se vou obter sementes e se estas serão férteis.
Fiz uma poda da árvore e retirei as folhas e guardei-as num saco no congelador.
Gastão
vetsagitario@gmail.com

Neide Rigo disse...

Oi, Gastão!
A minha já deu flores, mas não frutos. Em compensação, a planta lança muitas mudas ao redor. É só tirar e replantar. As folhas, em saco plástico, podem ser guardados na geladeira por mais de um mês.
Um abraço, N

Gastão Silva disse...

Olá Neide
Como tinha contado havia um único fruto na minha árvore. Já estava com uma cor preta e pareceu-me suficientemente maduro, abri-o sem imaginar o que ia encontrar e para minha surpresa tinha uma única semente de um tamanho razoável. Semeei-a, estou curioso. Se houver nascimento dou conhecimento.
Tchau,
Gastão

Neide Rigo disse...

Gastão, você não é o sobrinho sortudo do Tio Patinhas? Tenho certeza que a semente única vai germinar. Se não germinar em um ano, cave o local e encontrará um pote de ouro. Depois me conte. Um abraço, N

Flávia Schiochet disse...

Neide, tenho vontade de te abraçar cada vez que dou um google em algo e acabo no seu blog. Tudo tão explicadinho e gostoso de ler! :)

Ganhei essas folhinhas secas da Bombay mês passado e, coitadas, esqueci delas. Vou aproveitar que em Curitiba a máxima da semana é de 20 graus (sim, em novembro!) e experimentá-las em uma sopa de lentilhas.

Abraço!

Neide Rigo disse...

Flavia,
tenho várias receitas com estas folhinhas. É só ver aí no buscador do Come-se. Acho que vai gostar.
Um abraço, N

Beiba disse...

Olá Neide, li esse artigo há um tempo quando procurava como encontrar curry leaves no Brasil. Morei muitos anos fora e minha melhor amiga (do Sri Lanka) fazia sambol, um chutney que adoro: coco ralado, dedo de moça, suco de limão, cebola, sal e curry leaves batidos no processador. Um arraso! Enfim, achei uma muda da Citra (achado num dos comentários) em BH, comprei, e ela acabou me dando vontade de aprender mais sobre jardinagem, principalmente quando ela pegou cochonilas (aprendi hoje na aula que é isso que minha planta tem). Estou super animada com o curso, não sabia nada de jardinagem e tenho mil planos pra meter a mão na terra com meu filho de 1 ano e meio. Ele já tem uma alimentação de dar inveja a qualquer nutricionista, agora então vai me ajudar a plantar o que come. Volto então aqui pra te agradecer por esse post que me ajudou tanto! Seu blog é realmente impressionante! Continue espalhando seu conhecimento com sucesso! Carol

Neide Rigo disse...

Beiba, fico feliz de saber. Tem a receita desta sambal? Deve ser muito bom. Nunca vi bater as folhas. Sempre inteiras. Fiquei curiosa para experimentar. Que bom que está aprendendo a cultivar.
Beijo, n

Uakari disse...

Acabei de voltar de Kerala, onde conheci essa planta. Tive contato com alguns chefs e vim bem equipado de receitas. Meu próximo desafio é encontrar essa planta. Em Kerala, toda casa tem a planta na horta, mas parece que por aqui é mais difícil encontrá-la. Trouxe uma semente, mas pode ser que não vingue. Os indianos não souberam dizer se era possível propagá-lo por meio de sementes, já que ele se multiplica muito facilmente pelas raízes. Na minha busca, esbarrei com seu blog, que já conhecia. Está de parabéns.

fernando allgayer disse...

Neide:
Tu sabe qual é a plantinha branca acinzententada que chamam de curry também, parece aquelas plantas de jardinagem? Cmprei uma agropecuária e lantei em meu sítio, procurando por imagens no google aparece a lantinah que comprei, mas é diferente da sua. Ainda não usei a minha, fiquei curioso. Será que existe outro tipo e curry planta além do indiano?

fernando allgayer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fernando allgayer disse...

Neide:
Tu sabe qual é a plantinha branca acinzententada que chamam de curry também, parece aquelas plantas de jardinagem? Comprei numa agropecuária e plantei em meu sítio. Procurando por imagens no google aparece a plantinha que comprei, mas é diferente da sua. Ainda não usei a minha, fiquei curioso. Será que existe outro tipo de curry planta além do indiano?

Neide Rigo disse...

Fernando, eu tenho dela. É curry plant, se não me engano. A outra, esta da que falo, é curry leaves.
Qualquer hora, faço um post a respeito. Ela tem mais cheiro de curry que as folhas de caril.
Um abraço,n

Maria Conceição disse...

Querida
Tenho visto o blog para estudar, sempre com objetivos pontuais,mas agora eu quero saber se você já postou algo sobre a curry plant,eu tenho essa planta tá linda e grande, com cheiro forte de curry.Não é a arvore que você postou
Beijo grande

Neide Rigo disse...

Maria Conceição,
eu tenho esta planta mas ainda não falei dela aqui no blog. Em breve falarei. Um abraço,n

Neide Rigo disse...

Maria Conceição,
eu tenho esta planta mas ainda não falei dela aqui no blog. Em breve falarei. Um abraço,n

Kr. Eliane disse...

ESTOU ENCANTADA COM SEU BLOG!!!
QUANTA INFORMAÇÃO INTERESSANTE...
QUERO SEGUIR SEU BLOG E ESTAR SEMPRE ACOMPANHANDO SEUS POSTS E APRENDENDO SEMPRE ...
MUITO OBRIGADA..
:0))
ELIANE
http://elianeapkroker.blogspot.com.br/

Nancy Savini disse...

Eu moro em um retiro, Ashrama Ramakrishna em Embú Guaçú e temos um pé de Kari-Pattha de quase 3 metros de altura. Seu sabor e aroma são semelhantes às folhas de manga. Usamos em quase todos os pratos. Fica muito bom em qualquer tipo de molho e refogados de legumes. Dizem que fica muito saboroso em carnes vermelhas e frango também.
Vira e mexe aparecem algumas mudinhas em baixo da árvore.
Parabéns pelo Blog, vou acompanhar sempre!

Marcelo Aronovich disse...

Ola sendo Chef Ayurvedico e morei na Índia por um tempo ,voltei ao Rio de Janeiro com a dificílima tarefa de encontrar uma muda de Arvore do Caril ou kurry leafs,indispensáveis para a minha cozinha e trabalho , por favor alguém saberia onde encontrar? Estou meio desesperado!!

Muito Obrigado
Marcelo

Graça e Gamelas Vieira disse...

Bride arranja se uma muda? Gostaria tanto de ter uma plantinha ! Graça

Graça e Gamelas Vieira disse...

Gastao arranjava-se uma muda? Vivo no Porto É possível? Gostava mesmo muito! Graça

radha mangala disse...

Nós temos. 12 39711438 radha
12 997812875 whats

radha mangala disse...

Nós temos. 12 39711438 radha
12 997812875 whats

Anônimo disse...

Obrigada pelas informações, pelas dicas, enfim, aqui é tudo de bom. Consegui comprar curry folhas pela Bombay. Comprei na terça e me entregaram hoje aqui no Rio de Janeiro. Através de você também estou em contato com Radha Mangala, porque me interessei por ter também a planta.
Cris

Anônimo disse...

olá vivo perto de cidade de Porto em Portugal- onde posso comprar a planta? Sou uma Indiana desesperada- Pois nem sempre posso ir ao porto e quando vou não encontro as folha
grata para informação sobre venda de planta em portugal