segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Taiobas mansas, taiobas bravas


Neste feriado aniversário de São Paulo rumamos para Ubatuba, casa do Guilherme, namorado da Ananda. Mais que a praia, a parte gostosa foi cozinhar para gente que gosta de comer. Jovens, surfistas, famintos, não-avessos à novidades. Pra variar, fui sem cardápio nem idéia do que comeríamos, além das alheiras e da berinjela agridoce que levei pronta. Mas carrego comigo uns ingredientes curingas – pimentões coloridos, cebolas de duas cores, muito alho, pimenta e limão. E uma latinha com especiarias variadas - cuminho, grãos de coentro e de mostarda, cúrcuma, cardamomo. Com isto dá pra fazer o diabo na cozinha. De resto, é ver o que tem de bom no mercado de peixes, na feira e no mato ao redor. Descobri naquele pedaço de mata atlântica mamão verde aos montes, que usei para uma salada estilo tailandesa, e taiobas por todo canto. Bastaram duas folhas enormes, junto com seus talos, para fazer um prato leve e nutritivo que acompanhou o xarel com manteiga de manjericão, especialidade do Guilherme (o peixe aberto, que estava muito fresco no mercado, cortado em postas, seco e besuntado com manteiga temperada com sal e muito manjericão – assa na brasa e come sem a pele. Dos Deuses!).
A foto está feia, mas o prato é bonito e saboroso, garanto.
Para fazer a taioba: as folhas foram separadas do talo e picadas em tiras grossas. Descasquei os talos quase como aspargos, puxando a película com uma faca (um descascador de legumes também funciona) e cortados em pedaços. Como se faz com espinafre, passando-o por água fervente para eliminar parte do ácido oxálico, fazemos o mesmo, e pelo mesmo motivo, com os talos e folhas de taioba para deixá-los mais suaves, sem aquela picância característica. Na água já salgada (1 colher de sobremesa de sal para 2 litros de água) e fervente, joguei os talos e cozinhei por 1 minuto. Acrescentei as folhas e desliguei o fogo. Esperei 30 segundos e escorri. Numa frigideira, dourei em azeite uns 4 dentes de alho finamente picado, mas não amassado, juntei 1 pimenta dedo-de-moça picada, sem sementes e, em seguida, a taioba aferventada. Bastou misturar com delicadeza e levar à mesa. Não sobrou nada.

Aqui, os dois tipos: a brava, com talos escuros e a parte de cima do coração terminando antes de começar o talo; e a comestível, verde mais claro, tanto o talo quanto a folha, nervuras claras, em Y e lobos que se juntam exatamente onde começa o talo (embora isto também aconteça com outras variedades bravas, mas com talos bem roxos, que é um bom parâmetro para diferenciá-las).

Originária da América do Sul, a taioba (Xanthosoma sagittifolium) é muito similar na aparência ao inhame (Colocasia esculenta),natural do Sudeste da Ásia. Desde que a conheci, quando ainda era criança, nunca me confundi ao colher delas no mato - hoje tenho no meu quintal, no sítio, na casa dos amigos que me permitem plantá-la. Mas há quem tenha dificuldade em diferencia-la da taioba brava (Colocasia sculenta, var. antiquorum), venenosa por causa do grande teor de oxalato de cálcio, que podem causar reações fortíssimas (edemas, vômitos, asfixia). As folhas de taiobas são verdes uniformemente, incluindo os talos (pecíolos) e nervuras. E são muito macias. Quando cozidas, tornam-se quase cremosas. Cordiformes, tem os dois lobos do coração se encontrando exatamente na junção do pecíolo. Já o encontro destes dois lobos, na taioba-brava, se dá antes da inserção do talo, que tem coloração arroxeada. Mas, na dúvida, não coma. Pergunte a quem conhece.
Ou compre: em algumas lojas do bairro da Liberdade, aqui em São Paulo você pode encontrar as folhas e os talos separados. Já vi também na feira de Orgânicos, no Parque da Água Branca.
Agora está em plena safra, pois gosta de chuvas, solos úmidos. Riquíssima em pró-vitamina A e antioxidantes, a taioba é uma ótima opção ao espinafre em várias preparações. A batata também se come, como inhame, mas é assunto para outra vez.
Veja também, no Come-se: Inhames e carás

45 comentários:

Lílian disse...

Neide, admiro quem olha para o "o pé de alguma coisa comestível" e sabe do que se trata!
: )

Ananda disse...

uhmmmm... podia ter tido mais 1 mês de comida do mato e boa vida.... adorei mãe! heheh

laila disse...

estou com a lilian! eu nao atreveria a procurar taioba, mesmo com suas explicações...ai já penso se me confundo e beleléu!mas ficou com uma carinha boa sua taioba! bjos

Sill disse...

Neide, vc conheceu o meu paraíso!! Temos q marcar um dia de irmos juntas p lá p eu aprender esses truques todos pq vai ser lá q passarei a parte boa da minha vida...rs... o pedaço mais lindo do mundo!! bj Sill

Vitor Hugo disse...

Só conhecia a "comigo ninguém pode" (Dieffenbachia picta Schott.) tendo o "veneno" físico de oxalato de cálcio.

Se não me falha a memória, na casa da minha vó tinha essas plantas. :)

lucia disse...

Neide
Que ótima postagem, além da taioba a manteiga de manjericão... de dar água na boca.
E confesso que não sabia diferenciar as taiobas, muito didática a sua explicação.
abraços

Eliana Scaramal disse...

Taioba é uma delícia! Adorei a dica de onde encontrar, Neide sabe tudo! :)

umconceicao@gmail.com disse...

Olá
Neide
Estou escrevendo um livro de memórias gastronomicas e gostaria de saber se você permite que eu coloque a foto da taioba que esta no seu blog , junto com os comentarios.
Abraço
Maria Conceição

Anônimo disse...

adorei as informações sobre alimentos fantásticos como o croá e a taioba (croá, eu só vi na feira, o aroma é bom , ainda não comi.Obrigada pelas informacões sobre como diferenciar a taioba mansa da brava.
Rosângela

Anônimo disse...

adorei as informações sobre alimentos fantásticos como o croá e a taioba (croá, eu só vi na feira, o aroma é bom , ainda não comi.Obrigada pelas informacões sobre como diferenciar a taioba mansa da brava.
Rosângela

shoo disse...

Na página:

http://www.fiocruz.br/sinitox/taiobabrava.htm

A foto da taioba brava está de acordo com sua descrição de taioba comestível! Será que a foto da fiocruz está incorreta??

Neide Rigo disse...

Oi, Shoo, um outro parâmetro para diferenciar taiobas bravas de taiobas comestíveis é a presença de uma linha contornando toda a borda da folha a poucos milímetros dela. Realmente aquela foto da Fiocruz é bem parecida com a minha. Mas tive a impressão de ser uma folha mais firme e pontuda.
Obrigada pela contribuição. Um abraço, N

Anônimo disse...

GOSTARIA DE UMA ORIENTAÇÃO ESTOU APAVORADA COMI TAIBA REFOGADA COM ALHO E MARGARINA , POREM ARDIA AO PONTO DE SUFOCAR MINHA GARGANTA AINDA QUEIMA COMO BRASA ... SERÁ QUE COMI A TAIBA VENENOSA ? COMO SABER EU COMPREI NA FEIRA ESSAS ERAM DE FOLHAS PEQUENAS DIGO MENORES QUE AS QUE SEMPRE COSTUMO COMPRAR ... POR FAVOR RESPONDA p/VAL
RIAJASOR@HOTMAIL.COM OBRIGADA

Clara Edwiges disse...

A-mo taioba. E meu irmão que sempre foi enjoado pra verdura também. Humm...

Oscar disse...

Brigadão, Neide; e parabéns pela brilhante explicação sobre as diferenças entre as taiobas, a brava e a comestível, esta última uma delícia de verdura. Graças a você hoje eu posso dizer de boca cheia (de taioba) que da próxima vez, saberei distinguir entre uma e outra.
Um grande abraço.
Oscar Lima caio_dilimma@hotmail.com

Oscar disse...

Oi, Neide, sou eu de novo.
Certa vez, quando eu não entendia nada de taioba (hoje sou catedrático, graças a você)eu acabei colhendo e preparando a tal taioba brava, aquela de talo roxo- escuro:minha boca boca ardeu como fogo e inchou feito um sapo.
Mais uma vez, muito obrigado pelas suas orientações e um grande abraço. Oscar
caio_dilimma@hotmail.com

Glaucia disse...

gostei, pricipalmente da diferenciação entre as taiobas, muito explicativo. Moro em
Ubatuba, e um sonho que meu marido tem é de fazer workshops de culinaria natural em nossa ilha. O q vc acha de amadurecer a idéia?

Neide Rigo disse...

Oi, Glaucia!
Obrigada. Acho ótima a ideia. Potencial, Ubatuba tem.
Beijos,
N

marlicebaia disse...

Neide,bisbilhotando,encontrei sua explicação sobre as taiobas amei.Parabéns,por alimentar e bem os jovens,com delícias naturais.Copiei.marlicebaia@hotmail.com-Goiânia-Goiás

Anônimo disse...

Neide, adoro taioba, encontrei no mato umas follhas tão grandes que pareciam um guarda-chuva. Lindas!!! Estou com.Segundo li no seu artigo trata-se de taioba, porém o que acho estranho é o tamanho das folhas.Se puder,me oriente, por favor.A taioba pode dar folhas tão grandes?(uns 60cm do encontro do caule ate a ponta.
Obrigada.
Maria Silveira.
mfreitassilveira@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Excelente a informação, bem detalhada mesmo. Assim, fica fácil diferenciar as espécies de taiobas.
Muito obrigado

José Guedes
guedes.1@hotmail.com

Anônimo disse...

Meu quintal é lotado de taiobas e inhame, porém a muito tempo uma vez fomos comer e pinicava de mais nunca mais comemos e o inhame também pinicava na panela, e esses dia vi um home dizer que emagreceu 35 kilos comendo taioba na televisão e eu preciso emagrecer, porém fico com medo pois a taioba além de confuncir com o inhame tem a questão da piniqueira, gostaria de saber mais como separar, o meu esposo as vezes vai carpir os matos e corta tudo da dó que da umas folhas tão grande e aqui da muito, porém não sabemos qual pode comer.

Edna

ERIVAN disse...

... Á TAIOBA E UMA PLANTA DE LUGAR FRESCO. OU MUITO UMIDO ELA DEVA SER PLANTADA SEPARA DOS INHAME...
AS FOLHAS SÃO UM ALIMENTOS.BEM RICOS EM VITANINAS.ETC...
ERIVAN

claudine disse...

Olá! Acho ótima a idéia de consumir plantas que não são as mais convencionais. Mas, é importante UM IMENSO CUIDADO na hora de identificá-las. Sou bióloga e ontem, em campo, consumimos a taioba. Consumimos justamente essa que está na foto como mansa (verde mais claro e de talo verde tbém).Além de nós, biólogos, tbém havia uma agrônoma e todos concordamos que a taioba era a comestível. NÂO ERA. Resultado:hospital e muito mal estar. Há mais de 24 horas estou com língua e garganta inchadas e muito doloridas. Nem sei dos meus colegas!A idéia do consumo dessas plantas me agrada muito, mas aprendi a ter MUITO mais cuidado do que tinha antes. Foi uma lição para nós. Ainda assim, boto fé na idéia!
Claudine

Neide Rigo disse...

Claudine, obrigada pela informação. Espero que esteja bem. O ideal é consumir taiobas que já tenham histórico de consumo. Pois mesmo estas mansas têm ácido oxálico e por isto o ideal é sempre passar em água fervente e jogar a água fora. Vocês fizeram isto e mesmo assim passaram mal? Já vi gente refogando direto na panela, sem aferventar, como se fosse couve. Isto é um risco, pois imagino que dependendo das condições do solo possam acumular mais ou menos ácido oxálico. Pode escrever no meu email para conversarmos mais sobre isto? (neide.rigo@gmail.com). Mas muito obrigada pelo comentário.
Um abraço,
N

Gisele disse...

Isso que vc chama de taioba brava eu conheço como inhame bravo,por causa do talo roxo.Uma vez comi as raízes, pensando que era inhame. Pinicou um pouco, sem maiores consequências. Meu marido não aguentou comer,pois não gosta de nada ardido. Acho que não tive problema porque cozinhei bastante.
Já as folhas do inhame manso são iguais às do bravo (a reentrância da folha não vai até o talo), só o talo que é verde.
Tenho umas taiobas enormes na minha casa (moro num sítio)e costumo fazê-las refogadas como couve. Queria saber se posso usá-las para fazer suco verde, mas tenho medo consumí-las cruas. Ainda não achei uma informação confiável.
Concordo com vc quando diz que o solo pode influenciar na quantidade de ácido oxálico.
Gostei muito do seu blog.
Abçs

Neide Rigo disse...

Oi, Gisele!
É melhor não usar a taioba em suco verde, não. O ideal, inclusive, é passar em água fervente e jogar a água fora, antes de refogar. Para suco verde, melhor usar couve. Outro dia uma amiga me contou que serviu suco com inhame cru (inhame manso!) e todos que tomaram passaram mal. Melhor não arriscar.
um abraço, N

Anônimo disse...

Olá pessoal. Minha sogra sempre falou que comia taioba lá em Pernambuco. Eu sempre brinquei com ela dizendo que era comida de porco. Só brincadeira. Sou adepto de todo tipo de salada, legumes, folhagem e confesso que quando vi a taioba, nao me deu vontade de comer. Quando estava pronto, confesso: O negócio é bom demais. Recomendo. Um abraço. Adilson Presidente Prudente - SP

Paulo disse...

A Taioba é realmente deliciosa, uma pena de ser tão difícil de se encontrar aqui em são paulo

Anônimo disse...

Taioba eh muito bonita fikei com vontadede comer!!!

Flávia Amaro disse...

Olá Neide,

Graças à você saberei identificar melhor as folhas de taioba de agora em diante. Essa folha é deliciosa se bem feita, ficam tão macias que chegam a desmanchar. Não sabia da necessidade de mergulhá-las em água fervente primeiro, sempre fiz refogada direto na panela, assim como a couve. O único cuidado que tomava era de não cortá-las com a faca e sim rasgadas na mão. Conselho de vó, que dizia que assim elas não oxidariam e desencadeariam aquela sensação de apertar a boca. Mas pelo visto não é necessariamente essa intervenção que influi no sabor, né?!
Um outro sinal para a identificação da espécie comestível poderia ser o fato de ao manusear a brava a mão pinicar e coçar muito? Ou com a mansa isso tb acontece?

No mais as taiobas são ótimas fontes de ferro e super indicadas à vegetarianos.

Abraços, e mais uma vez parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Neide, parabéns, seu post é muito esclarecedor. Adorei!!!

Anônimo disse...

Olá! Estou em Floripa e acabei de chegar em casa lotada de folhas de taioba. Como desta procedência eu nunca comi, cheguei ao blog pra dar uma confirmada, e percebi que são "das boas". A vida inteira, e olha que eu sou super fã, fiz como se faz couve, refogando, até porque ferver faz com que boa parte das propriedades nutricionais se perca na água que é escorrida. Nunca tive problemas, mas não costumo usar os talos maiores. Só as folhas e as nervuras mais fininhas. Muito bom o blog e os comentários! Abraços, vou fazer meu almoço...hehehe.
Sila Lima

Anônimo disse...

muito muito muito cuidado!

a taioba brava e a taioba mansa sao mais parecidas do que voce pensa!

olhe soh http://www.fiocruz.br/sinitox/taiobabrava.htm


esta taioba eh toda verde, mas olhe bem para as nervuras, elas tem que ser claras para ser a taioba boa.

cuidado!!!

Salomao disse...

alem das 2 folhas na foto, existe uma outra, parecidissima com a mansa, toda verde com o talo iniciando no fim do coraçao igual a mansa, porem é da brava, a diferença dela é só na cor que é um pouco mais escura (no verde) e nao tem a linha em volta da folha, o resto é tudo igual, porem brava

Anônimo disse...

olá procurei sobre essa planta pq minha mãe tem no quintal dela, e meu sobrinho de um aninho comeu e começo a salivar , parecia estar dando overdose nele tadinho, levamos ele ao medico ele teve q tomar 2 soros. minha mãe ja arrancou todas do quintal pois ela naum sabia q eram venenosas. graças a deus meu sobrinho está bem.. Neide eu qria saber onde encontro a mansa, pois minha mãe acha linda essa planta mas naum sabiamos q a qê ela tinha faria tão mal a alguem depois de tantos anos la em casa.. meu email: angelitaitj@hotmail.com

Maria Amélia disse...

Vim ver a diferença entre a Taioba brava e a mansa. Ganhei algumas folhas e estava receosa de experimentar. É a mansa mesmo, agora vou comer sossegada. Engraçado que eu peguei uma folha de inhame para comparar e ela é exatamente igual a da taioba brava, só que o caule é verde. A folha dele tb não se abre até o final, como na taioba. Valeu. bjs

Jonatas Novaes disse...

qual é o nome da taioba verde escura e a verde clara

Jonatas Novaes disse...

qual é o nome da taioba verde escura e a verde clara, taioba pode dar para um coelho?

Anônimo disse...

Aqui no Paraná...especialmente em meu quintal..tem muita taioba, é uma delicia..não sabia dos benefícios..obrigada.

Oscar disse...

Olá, Neide,
Taioba é tudo de bom.
Parece que o pessoal ainda têm algumas dúvidas entre taioba e taioba brava:
:
TAIOBA BRAVA= Os TALOS das folhas são ROXOS; e as folhas formam um "coração" que NÃO SE ABRE até o talo. É tóxica; portanto, não serve para comer.
:
TAIOBA VERDADEIRA = (Dilííícia!!!) Os TALOS DA FOLHAS SÃO VERDES, e estas, as folhas, SE ABREM ATÉ O TALO.
Cortada feito couve e refogada rapidamente com alho, sal, cebola e pimenta do reino... viiiiixe... como até empapuçar!!!
.
Abraços,
Caio



Luiz Freitas disse...

Eu encontrei uma planta, muito parecida com a Taioba, pensando que fosse a Taioba, mas quando eu experimentei um pedaço da planta minha boca começou a ficar como se eu tivesse comido espinhos. Alguém saberia me dizer que planta é essa?. Muito Obrigado pela ajuda.

waldecir disse...

Neide ,a foto postada de taioba esta equivocada ,na foto a taioba comestível esta certa mas a outra e sim folha de inhame que so se consome a batata. a taioba brava e roxa com a folha do mesmo formato da comestivel

cassia Pereira disse...

Minha mae fazia bolinho de taioba, uma maravilha!
Ela cortava a taioba bem fininha, ferventava por segundos jogava a agua for, colocava os temperos que ela mais gostava, uns dois ou es ovos, (dependendo da quantidade de taioba) e farinha de trigo, fazia uma massa tipo de bolo, um pouquinho mais consistente, ia tirando as colheradas da massa e frintando e a filharada em volta comendo.
Tenho 57 anos e nunca fiquei doente, minha mae teve nove filhos e nos alimentou sempre com comidas naturais, nada de enlatados, somos todos saudaveis com ossos fortes.
Ela secava as cascas de ovo no forno moia e colocava na nossa comida uma colherzinha todos os dias.

Oscar disse...

Em primeiro lugar, minha caríssima senhora Neide, a senhora está falando com um taiobeiro de marca maior; um taiobeiro juramentado, sacramentado, fanático, e que fica maluco à simples menção da palavra taioba.
.
(Huuumm... Deu até água na boca e a Gertrudes, minha solitária de estimação, já começou a dar pulinhos feito doida, como se estivesse dançando funk).
.
Além disso, sou Presidente de Honra da gloriosa ANTA ― Associação Nacional dos Taiobeiros Assíduos ―, uma associação sem fins lucrativos, a não ser devorar taiobas.
.
(Na verdade, acabo de inventar essa tal de associação. Se bem que, ela poderia existir, de verdade... rsrsrsrs..)
.
Foi minha mãe, mineira caipira do pé rachado lá dos cafundós de Minas quem me ensinou, ainda em criança, a degustar, comer, apreciar, adorar e até a preparar em fogão a lenha essa delícia, essa maravilha, essa gostosura que é a taioba, com suas folhas enormes e suculentas.
.
Como eu a preparo: lavo bem as folhas inteiras, pico as folhas (como se fossem couve) não muito finas (+ ou -1 cm. de largura). Coloco 1 colher de óleo numa panela e depois de bem quente, taco alho e cebola picadinhos até começar a morenar levemente. Taco também 1 boa pitada de pimenta do reino (de preferência moída na hora) e sal a gosto.
.
Dou uma rápida refogada e desligo o fogo antes de a taioba começar a soltar aquela aguazinha. Espero ESFRIAR UM POUCO e, com o fogo des ligado, vou agregando e mexendo farinha de mandioca GROSSA E BEM TORRADINHA ... Uuuuuaaaauuuu... Daí é só devorar sem moderação!!!
.
Parabéns pelo Blogger e muito obrigado por me enviar o e-mail.
Abraços.
Caio Lima