terça-feira, 30 de outubro de 2007

Geleia de tangerina e de toranja


De toranja, a vermelha, e de tangerina, a amarela.

No domingo o Marcos chegou aqui com uma sacola de tangerina que comprou no sacolão do Seu Emílio, parecida com a cravo que temos no sítio, cujo auge de produção se dá nos meses frios de maio e junho. Estava guardando na manga esta receita de geléia da minha mãe para quando chegasse de novo a época delas por lá. Mas, como nas metrópoles perdemos, infelizmente, a noção da safra das coisas, já que elas vêm de todo canto; e como este blog é lido por brasileiros e portugueses paises afora (pelo menos é o que mostram os acessos), sempre haverá algum tipo de tangerina no mercado em algum lugar do mundo. Assim, dou agora a receita que faz o maior sucesso e ainda rende uns trocados a Dona Olga.

Geleia de tangerina
1,5 kg de tangerina cravo, carioquinha, murcote ou qualquer outra
12 xícaras de água
6,5 xícaras de açúcar
Todas as cascas e sementes e um pouco do bagaço

Lave bem com bucha ou pano limpo as tangerinas. Corte ao meio e esprema o suco. Faça uma trouxinha de pano com todas as sementes e umas 3 colheres (sopa) do bagaço. Amarre bem e coloque numa panela com a água e o suco. Corte em tirinhas todas as cascas das tangerinas, dê uma lavada em água fria, escorra bem e coloque na panela. Ferva até o volume reduzir pela metade (para saber, meça com um palito, faça uma marca e acompanhe até chegar na metade da marca). Tire a trouxinha, espremendo bem. Junte, então, o açúcar e deixe cozinhar por mais ou menos 1 hora ou até chegar no ponto de geléia. Coloque em vidros fervidos e secos, feche bem e guarde na geladeira.

Para saber o ponto de geleia
Levante a geleia com uma colher de pau, a última gota deve ser grossa e demorar a cair;
tire um pouco, coloque num pires, deixe esfriar e empurre a superfície com o dedo – deve formar ondinhas;
apóie uma tigela pequena de inox sobre uma bacia de gelo e coloque um pouco da mistura sobre ela – veja se está com consistência de geleia.
A geleia quente é molenga e, quando fria, é gelatinosa. Se tiver dúvidas, desligue o fogo, coloque um pouco num copo e deixe na geladeira. Se ainda tiver mole depois de gelada é porque precisa de mais um tempo de fogo.

Geleia de toranja

3 xícaras de polpa (só os gominhos) de toranja
1 xícara de açúcar
3 cravos (opcional)

Esprema ligeiramente os gominhos de toranja, junte o açúcar e o cravo, se for usar, e leve ao fogo, mexendo sempre, até o açúcar dissolver e formar um doce cremoso (aqui não vale o ponto de geléia porque tem muita fibra).
O resultado é maravilhoso – para quem gosta de coisas amargas. Além da cor linda e do perfume cítrico muito acentuado, o sabor entre o amargo e o doce fica ótimo com pão neutro, queijos ou com carnes defumadas (neste caso, pode misturar umas rodelinhas de pimenta).
Veja também aqui no Come-se
Fartura de cítricos
Compota de toranja

10 comentários:

Mariângela disse...

Neide, eu faço muita chimia,só não coloco água ,no café da manhã é essencial,as tuas ficaram lindas,beijo!

Flor de Sal disse...

Parecem simplesmente deliciosas! Parabéns!

Verena disse...

Neide, que delícia essas geléias!!! Tire-me uma dúvida: é extremamente necessário que vá para a geladeira? Minhas geléias caseiras (que faço para casa sem pectina) não vão para a geladeira depois de envasadas em vidros esterelizados e duram muito.
Um abraço e obrigada!


www.mangiachetefabene.wordpress.com

Neide Rigo disse...

Oi, Verena!
Realmente, quando o vidro está bem esterilizado as geléias podem ser deixadas fora da geladeira por muito tempo. O certo seria pasteurizar os vidros fechados já com as geléias para durar ainda mais. Por isto, costumo deixar na geladeira quando não faço isto.
beijos, N

Anônimo disse...

Olá Neide, conheci seu espaço pesquisando a laranja champanhe que adoramos, trouxe um monte do sítio ontem, amei suas receitas de geleia. Posso fazer com a laranja champanhe?. Gostei do seu espaço, parabens e sucesso.
Abraços,
Erô

Neide Rigo disse...

Erô,
eu nunca fiz, mas pode tentar uma pequena quantidade e depois me conte. Um abraço, N

judith Meire disse...

Oi, Neide!
Visitei seu blog para achar a receita da geléia de mexerica. Delícia, não?
Saudades do sítio e de seus pais..Sei que a geléia é excelente, mas ficar igual àquelas que eram feitas pela Olga, lá na Fazenda Sanatana...
Beijos aa você e aos seus!
Meire

Neide Rigo disse...

Meire,
igual, igual, fica não. Saudade também. beijos, N

Anônimo disse...

Oi, Neide.

As geléias da D. Olga são sucesso no Rocha Palace Hotel, na cidade de Fartura - SP. Hoje a Meire, que é daqui, me enviou o link com a receita da geléia de mexerica cravo. Sempre quiz ter essa receita.
Parabéns. Um grande abraço a todos de sua familia, em especial à D. Olga.

Carmem Celina

Neide Rigo disse...

Carmen,
minha mãe vai gostar de saber disso. Mas tenho certeza que a sua sairá igualzinha. Vá buscar mexeriquinha lá no sítio. Um abraço, N