quarta-feira, 6 de maio de 2009

Qual o pior sabor do mundo?

Ovos, comprados na Liberdade (o processo hoje é abreviado). E vegemite trazido da Austrália pelo amigo Pedro Henrique. Este está sobrando...

Aqui come-se de tudo. Da inegável delícia às iguarias questionáveis. E o meu lema é: se é de comer, eu como. Pelo menos para experimentar, afinal nunca se sabe o dia de amanhã. É melhor já ir conhecendo o acervo mundial de recursos alimentares. E isto não significa que eu adore tudo o que como. Mas também não desgosto.
Comi ovos de cem dias na faculdade há mais de 20 anos quando uma amiga chinesa levou na aula de técnica dietética. Minhas colegas não tiveram coragem de experimentar espantadas pelo forte cheiro de enxofre e fizeram uma cara de nojo que colocou a menina em situação vexatória. Pois dizer que o que comemos e gostamos não presta, cheira mal, parece lombriga ou é alimento pra porcos parece mexer com aquele sentimento profundo de ser. Nesta hora o sujeito encarna a máxima "você é o que come", mesmo que você diga que não tem nada a ver com ele.
E foi este sentimento que vi nos olhos puxados da chinesa que tão solicitamente levou o que era considerado uma iguaria na cultura dela. E, pior, que pediram para ela levar. Naquela época não havia alimentos importados a rodo como vemos hoje. O pai dela era consul, se não me engano, e acabava de trazer os ovos da China. Bem, eu comi, não achei uma maravilha mas não fiz cara de nojo. Se tanta gente gosta é porque é um sabor a ser aprendido.
E assim se dá com tantas outras coisas. Muita gente no Nordeste come palma por necessidade, mas se sente envergonhada porque nestes mesmos lugares é alimento para gados. Outro dia, quando fiz palma refogada, mostrei para Eliana meu livro mexicano onde as raquetes de palma são vendidas nas feiras. Ela disse que contou na comunidade onde mora com muitos vizinhos baianos e ninguém acreditou.
Era assim também com as abóboras. Hoje ninguém mais se lembra que eram alimentos para porcos. E continua sendo, mas ninguém mais se importa. Lembro ainda que quando era criança corria uma piadinha boba sobre a rivalidade de dois apresentadores: O Chacrinha foi à casa do Silvio Santos e este lhe serviu abóboras no jantar. "Lá em casa servimos abóboras para os porcos" disse o convidado, ao que Silvio Santos respondeu: "aqui também". Era pra rir.
Ontem, conversando com o Dória, com a Mara Salles e Fátima Freire, lá no evento do Senac, descobri que tamuatá é um destes alimentos amados por uns e odiados por outros. Já tinha percebido isto lá em Belém. Eu gostei, talvez porque minha primeira vez tenha se dado em condições tão especiais, na casa de amigos muito queridos que fizeram o prato com muito gosto.
Os amargos também são assim. A primeira bicada na cerveja é ruim, amarga e, no entanto, aprendemos a gostar. Há sabores fáceis, dóceis, escancarados, que cativam ao primeiro sorriso. Mas também há aqueles complexos, sisudos que só com o tempo aprendemos a assimilar e extrair virtudes que se sobreponham aos defeitos. E isto tem a ver com a cultura e sobrevivência.
Quando se consome algo desde a infância mesmo por falta de opção de outras delícias obvias, é bem capaz que se descubra no alimento o sabor oculto ou invente um prazer associado a ele. Isto explica o gosto dos australianos pelo vegemite, um creme feito de fermento (no sabor, quase como uma mistura de fermento fresco em tabletes com gotas de molho de ostra) ou mesmo o próprio molho de ostra, pasta de camarão, wasabi. Do tipo: é ruim, mas é bom. Tem prazer nisto.
Afinal, o prazer é o impulso para a ingestão de nutrientes. Não fosse ele, a indústria de alimentos não teria outro jeito de nos fazer ingerir tantos venenos, gororobas e porcarias. Ela sabe explorar isto. Mas, diga aí, qual a pior comida do mundo na sua opinião.


46 comentários:

Lelson disse...

Neide, acho que a pior comida é aquela feita sem compromisso, sem paixão, sem amor. Um frango mal feito, com "gosto de pena", pode ser intragável. Já tive problemas com o buxo. Mais terde vi que era a maneira de fazer. Para min, o mau cozinheiro é o responsável pela pior comida do mundo. Estraga até iguarias.
Leon

Marcia H disse...

Eu ia dizer o mesmo: falta de carinho e de amor na hora de fazer deixa qualquer comida ruim.
Eu nao gosto de certas coisas, que outras pessoas comem com gosto.
Vegemite é uma delas, acho ruim.
Comida sem sal, com sal demais, sem harmonia - mas isso é gosto e gosto nao se discute né.
Acho q em situacoes extremas eu comeria de tudo.
Engracado, quando disse a meu cunhado (de Queimadas, perto de Santa Luz) que fruto de palma na Europa é iguaria, ele riu muito.
Uma coisa que eu acho muito ruim: mett = carne de porco moida, comida crua com cebola, sal e pimenta do reino. meu marido gosto, eu odeio

Andrea Rodrigues disse...

Concordo...acredito que a pior comida do mundo seja a feita sem comprometimento, sem alma, sem amor!
Todos os dias alimento minha alma com seu blog...
Quanto amor há nele!
Parabéns!
Passa lá no meu! abraços!

chef Ricardo Siginore disse...

Oi Neide, eu nâo suporto caracol, até gosto de preparar- los, mas nao suporto comer-los, me dá um pouco de ânsia; beijos

Ana disse...

Oi Neide, o Vegemite me parece ser a mesma coisa do Marmite inglês, cujo slogan é exatament "love it or hate it" ou ainda o Cenovis, que encontramos aqui na Suiça. Um gosto pronunciado, como se fosse um caldo bem concentrado. Fui apresentada ao produto por uma amiga inglesa, que com muito orgulho e carinho fez um pão caseiro que depois foi tostado em fatias com o produto (na quantidade exata pra não ficar forte), como eles costumam comer! Eu particularmente não gosto de cheiro de gema crua...sabe quando vamos comer um pudim ou um creme brulè e o cheiro de ovo é a primeira coisa que você percebe? Para mim acaba com qualquer apetite!

mariliafig disse...

Sabor de comida mal feita!!!!

Anônimo disse...

A pior comida?? Hum aquela feita sem amor! Sabe que algum tempo atras eu dizia que certas coisas eu não gostava e ponto... não tinha interesse por cozinha... mas hoje posso dizer que muita coisa mudou, experimento tudo e de tudo... E falando em abóbora, aqui em casa gostamos muito, mas ainda não fiz doce (quem sabe um dia, ja tentei fazer o pão de abóbora, mas usei congela e ficou cheia de fiapos, então conversando com uma amiga ela disse que havia cometido omesmo erro e sua mãe explicou que não se congela... mas eu em particular amo uma sopinhacom aqueles fiapinhos... Hoje em dia procuro não colocar nem na geladeira, usar o quanto antes, mas tenho que rebolar para encontar tantas receitas...


Outra coisa vc falou no texto sobre senac... Tinha feito minha incrição para uma pós em Porto Alegre em gestão de Segurança de Alimentos, mas infelizmente não fechou turma... e somente no Senac que encontrei na área de comidinhas como falo aqui em casa...

Um beijo

Clau

Katia Horn disse...

oi Neide... se o vegemite está sobrando aí na sua casa pode mandar pra mim...hahaahah... eu gosto muito e há muito tempo que não como, não tenho nenhum amigo na Austrália p´ra me trazer, qualquer coisa é só colocar no correio que eu pago o frete! Bj...

Gourmandise disse...

Adoro este ovo! sou a única da família que apreia esta iguaria.
Mas o vegemite só consegui experimentar a pontinha de uma colher.

bjos

Luiz Horta disse...

Eu adoro Vegemite! Que é o Marmite da Inglaterra. É até descritivo de alguns aromas de vinho.

Anônimo disse...

Carne de macaco moqueada (não é moqueca!!!). Comi lá no xingú. Tem gosto de gato (com pêlos) sapecado em brasa com cinzas...
Maurício Bergamelli

Claudia disse...

Neide,

Certos pratos dão nojo mas nada pode ser pior do que aqueles molhos e curries-pura pimenta indianos. Detesto qualquer coisa apimentada, se quer tirar minha fome me oferece pimenta.

Mas olha, nada que é ruim resiste a fome. Na hora da fome o que vier se traça. E é da fome que ensinou o povo a comer.

Comida é mais do que sabor, é cultura, poder, luta de classes, ostentação e adaptação ao mundo onde se vive.

Bj,

C.

Rui disse...

Neide. De gosto ruim ou insuportável em comida não tenho lembrança. Deve ser por isso que tenho por alcunha "el Triturador".
Mas me lembro de dois gostos que traumatizaram minha infância gustativa. Uma vez ao retirar gasolina do carro com auxílio de uma mangueira não retirei a boca da mangueira no tempo certo e engoli uns bons goles de gasolina.Foi horrível fiquei o dia nauseado e a cabeça girando.
Numa outra vez apareceu um homem lá em casa com remédio para tudo. Eu era meio raquítico e me enfiaram guela abaixo uma colherada de açúcar temperado com um tal de bálsamo alemão de Nuaschek - tinha gosto de inferno.
Lembrei de uma outra experiência. Comiamos os frutos do guaimbé e tinha que se tomar muito cuidado de não mastigar as sementes,extremamente tóxicas, como as folhas. Claro que eu não cuidei.Fiquei com uma semsação tão horrível na boca e garganta que dava vontade de raspar a pele. Levou horas para passar.
Rui

Nine - Colatina disse...

Eu nunca comi coisas tão estranhas como os colegas comentaram...Mas tatu foi algo que provei 2 vezes e não me desceu...Tem um gosto meio de lama,meu pai diz que parece com frango...Não sei de que frango ele estava falando!!!

Beijo

Nine

Naomi disse...

Neide, não me lembro bem agora de nada, mas sei que tem um monde de coisas pelos quais não morro de amores. Até me acho enjoada, mas estou tentando o tempo todo mudar isso. Minha cunhada diz que temos de comer 10 vezes qualquer coisa nova antes de saber se não gostamos de fato ou é simples preconceito. Eu não costumava gostar de buchada, mas fiz um trato comigo mesma e como toda vez que aparece este prato e hoje posso dizer que sinto seu sabor e não só aquela textura incômoda na boca. Tem muita coisa estranha que já comi: pepino do mar, ouriço, etc. Mas ruim mesmo, nem sei se é falta de amor, mas é mais falta de técnica. Cada prato tem um jeito, um tempo de cozimento ou preparo, temperos que combinam melhor, etc. para conseguir o máximo do sabor. Sei que tem um monte de gente que acha chuchu super sem sabor e eu acho o meu chuchu saborosíssimo, mas eu mesma não consigo gostar de muito chuchu que muita gente prepara. Mas como. bjs, Naomi.

Mariângela disse...

Neide,comida não me ocorre nenhuma pois gosto de muita coisa e raramente coloco restrições para provar e conhecer algo que nunca comi antes.O gosto insuportável para mim é de álcool em geral,destilados,etc,já que não bebo nada,como tu sabes.Beijo!

Mad disse...

Como de tudo, e acho que a única coisa que não como é miolos (que dantes se dava aos bebés, agora é proibido por causa da BSE) e fígado, que só gosto em patê, nunca como prato.

Parabéns pelo blog.
Madalena :)

Rogério Coelho disse...

Neide, nunca comi, mas dizem que é uma fruta chamada Drurião!!

Achei que fosse encontrar você na ilustrada, e você apareceu no caderno Dinheiro da Folha!

Beijo, parabéns pelo Blog, indispensavel!

Sill disse...

Olá, querida! Adorei a aula sobre formação do paladar! Costumava me achar imbatível no grafo até te conhecer..rs.. daí descobri q tem mta coisa q não consigo comer. Normalmente algo q me dá alguma reação orgânica, como mta pimenta, ou com cheiros mto fortes ou mto esdrúxulas. Mas normalmente provo de td e só não gosto das mto foras da média mesmo. Mas comida mal feita acho q é campeã mesmo. Saudades, bj Sill

Ivana Arruda Leite disse...

Neide, acredite se quiser, como eu não gosto de doce, pra mim, não tem nada pior no mundo do que TODO E QUALQUER DOCE CASEIRO. Eu prefiro morrer a comer doce de abóbora, de mamão, de cidra, de coco, de manga, do raio que o parta. Juro! É por isso que gosto não se discute, né?

vp disse...

ai, neide, uma coisa ou outra é difícil dizer que eu nao goste. mas uma vez fizeram para gente um sopa com muito amor e carinho e nem assim. era uma sopa pedaçuda, de tudo um pouco - batata, cebola, brocolis, cenoura - e tinha também macarrao. tinha umas raízes que nem sei. tudo com casca. sabe o principio de comer a comida inteira, sem desperdício? a sopa ficou um horror. eu nao consegui comer. tentei. nao consegui. nunca mais esqueci. e tenho certeza que nao faltou amor. o turu tambem nao me anima, mas eu nunca olhei assim nos olhos dele para dizer sins ou naos. um dia te conto.
gostei deste exercicio.
bj. veronika

Cláudio Pedroso disse...

Pra mim é qualquer comida sem personalidade. Eu transito bem entre doces, salgados, amargos, azedos e todo o resto entre eles, desde que tenha intensidade. Pior sabor do mundo pra mim é o estilo peito de frango grelhado, temperado só com sal.

Maíra Dias Bittencourt disse...

Neide, também concordo que a comida feita sem vontade, por obrigação, é ruim, causa indegestão!
Trabalhei muitos anos no Programa Cozinha Brasil do SESI, preparando pratos, que para muitos são diferentes, pois tinham como ingredientes cascas, talos, folhas, sementes, mas deixavam as pessoas supreendidas devido ao sabor!
Ah, qualquer comida também fica ruim ao lembrar que existem pessoas que passam fome.

Mas já que é para citar o pior alimento do mundo, até hoje, digo que é jatobá!

Maíra
http://cozinhandocomsaude.blogspot.com/

Anônimo disse...

Na minha opinião, acho que a pior comida deve ser aquela que a gente quer e não tem no prato... eu nunca passei por isso, mas deve ser terrível não ter o que comer!
Fora isso, tem um monte de coisas que não como, mas não chego a odiar. Vai saber o amanhã, né?
Beijos, Cris Yumi

Afrika disse...

Parece que muitos de nos estamos de acordo que a pior comida é aquela que é feita sem amor.

Não esquecendo o que a Neide disse, que os gostos também se aprendem, é preciso tentar por os preconceitos de lado e estarmos predispormo-nos a novas descobertas na área da culinária. Por realmente nunca se sabe o dia de amanha...

Beijinho.

Turmalina disse...

Bem, comida mal feita é unanimidade.
Mas como eu só costumo dizer que não gosto de tal coisa somente depois de experimentá-la aí vão duas coisas que não gosto mesmo:
Miolo de boi e cerveja.
E eu tenho algo de muito pessoal, que é não conseguir comer nada que eu vi vivo. O bicho olhou prá mim, eu não consigo comer.
E como a Naomi, eu também tenho implicância com texturas.Gordura, daquela que pega na língua, é uma coisa que também não me desce.
E quanto à necessidade de comida, pela falta da mesma, sei que existem "n" opções antes do miolo e do sebo.Eu como bem qualquer matinho :o)

Karla Maria disse...

Ah Neide,
concordo com vc. Se é de comer eu, pelo menos provo.
O pior de tudo é não ter o que comer. A fome, esse é um mal imensurável.
Bj de fã

bloggourmet disse...

Lembro quando experimentei o Marmite, na Inglaterra. Ficou guardado na minha lembrança como uma das coisas mais horríveis que eu já tinha comido...

Andréa Potsch disse...

Pra mim a pior comida é a que comemos por obrigação ou necessidade , sem estar com vontade!

diogo disse...

a pior do mundo eu não sei qual é , mas das piores que eu provei é , sem dúvida , caviar .

Tá Bem Bom disse...

Sardinha em lata. Não desce.

Cherry Blossom disse...

Eu sempre tive muita curiosidade para saber qual sabor teria esse ovo. Agora já tenho a perfeita noção depois da sua descrição, mas mesmo assim não o provaria e acho que também não provaria escargot e nem tão pouco escorpiões ou formigas como vi na Tailândia ou mesmo bolinho de moscas como vi num documentário mexicano, não as provaria nem mesmo se fossem preparadas pela mão de um grande Chef. É uma questão de hábito eu sei coisa para se aprendida, cultuada por um palato faminto ou ávido de novidades.
Mas a pior comida do mundo para mim é aquela que para na garganta, que faz a gente engasgar com a vida, num dia muito ruim não há tempero nenhum que a faça perder o gosto de lágrimas...
O seu “Come-se" sempre muito bom e suas palavras sempre, sempre muito boas!
Beijo
Cherry

Luciana Ferreira disse...

O pior sabor que já senti foi o de um embutido chamado queijo de porco, que experimentei numa feira de colonos em Gramado. Não deu nem prá disfarçar! Mas acho que sou mesmo enjoada prá comer, embora experimente muita coisa. Não gosto nada de pimenta, de nenhum tipo, em nenhuma quantidade. É muito chato, tem pimenta em tantos pratos, em comidas que eu iria adorar não fosse ela! Outros que tento comer pq acho lindos são os sushis e sashimis. Não vai de jeito nenhum. Adorei o post, um abraço.

Soraya disse...

O pior sabor do mundo era a colherada de Óleo de Fígado de Bacalhau que minha mãe me socava quando eu era pequena, para "abrir o apetite"

Daniel Brazil disse...

O que eu vou dizer aqui vai parecer heresia. Ainda pequenino (minha mãe foi testemunha), a primeira vez que provei aquela coisa doce, enjoada e melada chamada chocolate, nunca mais gostei daquilo. Ovo de Páscoa, nem pensar...
Hoje como tudo que voe, ande, nade ou rasteje. Como qualquer coisa do mundo vegetal. Mas, chocolate continua intragável.
(com uma exceção: chocolate amargo ainda vai).

leila disse...

tem algumas coisas de que eu não gosto mais ou menos, como mas não faço questão de comer de novo. mas insuportável mesmo pra mim é umeboshi, talvez por ser tão salgado e amargo. e me dá uma gastura horrível nervinhos, colágenos e peles de qualquer criatura.

Jane Reolo disse...

Pode parecer uma heresia para uma filha de mineiro....Mas nunca consegui comer quiabo depois da primeira garfada de quiabo com frango.Já fiquei sem almoço, pois a cozinheria do bandejão colocou e após minha negativa devolveu o quiabo e continuou servindo o restante no mesmo prato. Fiquei o almoço inteiro sentindo o cheiro e o gosto( imaginário) do quiabo. E cometi o pecado de jogar toda a comida fora....Jiló eu devoro, fritinho, curtido,refogado...Já o quiabo, oh sofrimento.
Já meu amado Juraci é o seguinte: Ele só não come se estiver se mexendo.Aí ele mata primeiro! A Heleninha no alto dos seus sábios 5 anos sempre pergunta: Mãe eu gosto disto? Se a resposta for positiva ela manda ver...
Beijos e saudades

Anônimo disse...

Nada é por acaso:
http://www.soniahirsch.com/2009/05/minha-mae-cozinhava-assim.html#links
Falando do mesmo assunto,no mesmo dia...
Bjs, Celina M.

Eduardo Luz disse...

O bom de chegar atrasado é ter tempo de ler as respostas de todos e perceber como o gosto é tão particular. Tem gente que não gosta de caviar e, pior, de álcool!! rsrs
Pra mim o pior sabor do mundo é quando você prepara uma comida da melhor maniera possível, com carinho e tudo o mais e mesmo assim, ela não fica boa! Foi o caso da arraia!! rsrs
Abs e bom dia das mães!!

Anônimo disse...

Muita coisa é preconceito. Detestava mexilhão até que me vi forçado a comer, pois o humilde e amável anfitrião pescador nos ofereceu. Tinha até areia, mas achei ótimo. Outra era chouriço, até que experimentei comendo o tal choucroute garnie. Virei fã, principalmente daquele Berliner blutwurst do finado Frigoreder. Miúdos em geral não como, exceto rabada e fígado em patê. Molleja ou animela pra mim é chiclete sem sabor. Insuportável mesmo é mandioquinha e dobradinha. Abomino o gosto e o cheiro.

Anônimo disse...

Na minha opinião, acho que a pior comida do mundo é aquela que esperamos que tenha um sabor X e quando provamos percebemos que é totalmente diferente da nossa imaginação!
Paula

Laura disse...

Na minha opinião é ostra.Vi gente sugando aquela nojeira que parece com cuspe dem grosso e sem espuma

silviocampos disse...

Não há como estabelecer padrões universais dos conceitos comestível ou não comestível. Se vale o paradigma de a gente é o que come, é bom saber que em nosso corpo há pelo menos um pouco de praticamente todas as substâncias constituintes do nosso planeta, se não do nosso universo - e cada substância tem seu sabor, o qual pode ser mais ou menos pronunciado, mais ou menos mascarado. Gosto, sabor, são idéias culturais. O que para um povo é uma delícia, para outro pode ser nauseabundo. Como em tudo, alargar o conhecimento gastronômico demanda curiosidade e coragem. Uma criança de oito anos, acostumada a comer só a comidinha preparada em um lar comum, normalmente jamais toleraria esperimentar uma ostra, um escargot, ou provar um gole de um bom vinho. Depois que esta mesma criança cresce e se torna pessoa adulta, depois que alarga seus horizontes em geral, poderá passar a adorar tudo isto e ser, até, aconsiderada uma pessoa de bom gosto. Expandindo esta linha de raciocínio, poder-se-ia dizer que quem busca se desprender de seus conceitos (e preconceitos) culturais de berço e passa a esperimentar e tentar entender e aceitar sabores mais exóticos, dá mostras de uma evolução cultural (e talvez, até, mental) mais respeitável. Assim, acho que escolher comer coisas só pelo seu grau de nobreza de acordo com uma cultura ou outra, incluindo aí padrão sócio-econômico, etc., é astestado de estreiteza, timidez e debilidade cultural.

Anônimo disse...

Nunca experimentei nenhum dos dois,queria até saber se alguém sabe me responder o gosto que tem o Vegemite.. Por que tem muita gente falando dele, queria saber qual o gosto mais próximo.. Ele parece chocolate! rsrsrs..Eu detestava Strogonoff (normal,de carne) até que eu fui na casa da minha cunhada, e no almoço ela fez strogonoff ! Eu comi,para ver se eu gostava, eu gostei,e era diferente,era feito com requeijão! Eu não gosto de coisas,que muitos gostam,e também,gosto de coisas que muitos não gostam! rsrs, como jiló, a-d-o-r-o o jiló que meu pai faz,gosto muito do caldinho do jiló! Fica bom demais,e tem gente que não gosta, como minha mãe,ela não gosta.. E também,o jeito que a comida é colocada,se tiver macarrão e arroz junto,eu não como,não consigo.
Beijinhos, Neide!

Isabella

Mafalda Ofélia disse...

Desde de criança o cheiro do fígado de boi me embrulha o estômago. Acho péssimo! O de frango não. Mas já comi paté feito com fígado de boi e achei bom. Aliás, adoro paté. Dos outros miúdos que provei (menos o bofe) só não gostei do coração de boi, não comeria de novo, a não ser numa necessidade.
Intragável mesmo foi o tal de jatobá!!! Argh!!! E cação também detesto, embora seja uma carne de peixe tão bonita....
Algumas coisas não como por nojo: ostra crua, mas já provei e o sabor não é ruim; escargot também é bom, mas só provei; rã (essa eu não provei), só me dêem se eu estiver morrendo e for como remédio... E, por favor, não me digam...
Acho que eu não teria coragem de provar esse ovo dos 100 dias também...
Jiló, se for bem feito (= sem amargo), eu gosto. Odeio o cheiro do café torrando, mas gosto do cheiro do café fazendo, não gosto de café com leite quando quente - me enjoa - mas adoro gelado.... Odeio chocolate com café, combinação insuportável....
A gente vai mudando o paladar com a idade, deixa de gostar de balas e biscoitos e passa a gostar de sabores fortes como gorgonzola e caviar...
Tenho amigas que não suportam a mistura de doce no salgado, dizem que até uma saladinha que leva maçã enjoa... Não posso dizer nada, já que café com leite, quente, também me enjoa...
Tento provar as coisas que nunca comi, mas tem umas que não dá.. Ainda bem que são poucas...
Fernanda

Anônimo disse...

Sim, gosto é muito relativo e cada cultura tem seus tipos de sabores !
Esta pasta fermentada se encontra em alguns países com nomes diferentes: MARMITE na Inglaterra/Austrália, CENOVIS na Suíça, VEGEMITE na Austrália, e outros.
Sou Suíço e desde pequeno como o CENOVIS com a manteiga encima do pão.
Moro no Brasil a muitos anos e de tanto o trazer o CENOVIS para o Brasil, decedi fazer um "igual" e coloquei o nome de CENOVIT !
O mais legal desta pasta é que pode ser usada como base para diversos molhos e pratos. As pessoas pensam até que tem carne !
Por exemplo fazer un consomé (bouillon) com pequenos legumes e gotas de Sherry ! Quem tiver interesse pode entrar em contato comigo, Patrick, pelo email: grupoluwasa@gmail.com
Abraços