segunda-feira, 18 de maio de 2009

Uma palavrinha sobre o tamarindo


Na feira de São Joaquim, em Salvador-BA
Tinha esquecido, no post anterior, que há leitores que nunca viram o fruto do tamarindo, uma vagem não exatamente nossa, mas gostamos e criamos como se fosse filho. Bem, aí está uma foto antiga que encontrei no meu arquivo.
Os frutos são constituídos de vagens com 10 a 15 cm de comprimento e 2 cm de largura, de cor marrom escura, lisas, achatadas, com extremidades arredondadas e contraídas ao nível das sementes. A polpa comestível é marrom escura, meio avermelhada, muito pastosa, pegajosa e extremamente azeda e doce, envolvendo as sementes muito duras.
Como o próprio nome diz, é originário da Índia (mas também da África tropical e sudeste asiático). É que a palavra tamarindo deriva do árabe tamr al-hindi ou “tâmara da Índia” e o nome oficial ainda redunda a origem - Tamarindus indica L.
Foi introduzido na Península Ibérica pelos árabes e, no Brasil, pelos portugueses. Mas, por aqui, não é tão explorado na cozinha e na indústria como poderia ser. Sorvetes, molhos, sucos, temperos são opções de uso. Apesar de ser extraordinariamente ácido, os que apreciam este sabor gostam mesmo é de enfiar na boca e chupar como uma passa. Os ácidos presentes - ácidos tartárico, cítrico, málico e acético, combinados com o açúcar grudento, são uma beleza para os dentes. Mas quem resiste? O bom é que apesar de ácido, não dá aftas (o abacaxi é menos ácido, mas tem bromelina, uma proteína proteolítica que aproveita a agreção da acidez sobre a mucosa de língua pra fazer sua função - quebrar proteínas), sem falar que é rico em minerais e vitaminas. E como tem baixa atividade de água e teor concentrado de açúcares, não é um fruto perecível e pode durar até meses na geladeira (descasque, descarte os que estiverem bichados - sim, podem ser atacados por larvas-, coloque num recipiente de boca larga e deixe na geladeira para usar aos poucos). Ou deixe já a polpa pronta, como expliquei no post anterior.


Achei esta foto antiga - uma vez, numa comemoração aqui em casa, passei a pontinha dos tamarindos no açúcar e botei na mesa. Fez sucesso, nem me lembrava mais.

7 comentários:

Gina disse...

Que ideia genial! Adoro tamarindo in natura, com todo o azedinho característico dele, mas bem que um "açuquinha" dá um charme e um sabor diferente.
Bjs.

coraçãodemaçã disse...

Oh Neide, então são assim os senhores tamarindos!
- Como vão? Prazer em conhecê-los. Feinhos, coitados. Mas com um lindo nome, evocativo de lugares ignotos e misteriosos, ao menos para mim.
Obrigada por nos apresentar...
Beijo carinhoso
Dri

Neide Rigo disse...

Pois é, Gina, apesar de ser já bastante doce, este açuquinha fica muito bom.

Dri,a foto foi pra você.

Beijos,
N

Anônimo disse...

Oi,Neide.Descobri seu blog hoje e gostei demais.Vou fazer a geleia de pimenta,fiquei curiosa para experimentar,gosto muito de pimenta,qualquer uma.Eu moro na India e aqui realmente tem muito tamarindo,muitas ruas arborizadas com essas arvoresComi uma carne de porco com molho de tamarindo que foi show.Voce tem a receita de algo assim para postar?E,por favor,nos de mais receitas com tamarindos,o sabor e realmente muito bom.Grande abraco e parabens pelo blog super bem feito.
Zenaide Storino.

Neide Rigo disse...

Oi, Zenaide, seja bem vinda, de tão longe.. Imagino que na Índia há muitas formas de se usar tamarindo, mas se me ocorrer mais alguma receita, pode deixar que eu publico.
Um abraço, N

coraçãodemaçã disse...

Obrigada Neide. Hoje estou mais instruída graças a si.
Carinhosamente
Dri

Anônimo disse...

Ola, meu nome e scarllat e eu gostaria de saber se existe algum risco de inflamacao na lingua por comer muito tamarindo, pois eu comi ate demais e a minha lingua esta muito dolorosa e apresentando manchas escuras. Obrigada

Thamiresscarllat@yahoo.com.br