sexta-feira, 30 de maio de 2008

É tempo de uva japonesa





Numa praça aqui do meu bairro descobri uma árvore de uva japonesa (Hovenia dulcis) carregada. No sítio elas já estão secando. No Parque do Ibirapuera também está lá uma árvore frondosa e pesada destes frutinhos doces e crocantes com gosto de uvas passas (da Thompson), peras, maçãs, em forma de ideogramas japoneses. Pouca gente os percebe por causa da cor marrom discreta que os fazem mimetizados entre os galhos mais secos. E, para completar, os frutos costumam estar no alto, longe da nossa visão, afinal a árvore pode crescer até 8 metros. Lá em Fartura, a árvore de uns 3 anos lançou galhos pesados de frutos encostados ao chão.

A planta é muito bem adaptada nos países de clima tropical, mas a uva que chamamos de japonesa não é uva nem japonesa. Veio das zonas úmidas e montanhosas da China. Só em 1820 ela foi introduzida no Ocidente. Por aqui, não pegou, embora tenha um potencial enorme.

Para sermos bem corretos em botânica, não poderíamos chamá-lo de fruto porque seus frutos são as vagens com as sementes que ficam anexadas nas extremidades, em forma de bolinhas não comestíveis. O que chamamos de fruto são os pedúnculos gordinhos e suculentos. Mas o que importa é o uso que damos a eles – como uvas passas ou frutas picadas vão bem em tortas, bolos, recheios, saladas e o que a imaginação puder criar com qualquer coisa parecida com frutas docinhas e crocantes. Imaturos são muito tânicos, mas quando ganham cor marrom avermelhada, murcham ligeiramente e até caem ao chão, aí sim estão super docinhos.

Não sei onde, mas acho que já vi venderem destas frutinhas por aí. Enquanto não acha pra comprar, fique de olho nas praças.

Duas idéias bem bobinhas, mas perfeitas para aproveitá-las:





Torta de banana como uva japonesa


Massa (minimamente adaptada da massa aerada do livro Bolos e Tortas, da Coleção Time Life)

250 g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de açúcar
½ colher (chá) de sal
150 g de manteiga em temperatura ambiente
1 ovo inteiro

Recheio
10 bananas em rodelas ou o suficiente para cobrir a torta
1 xícara de uvas japonesas picadas
Suco de um limão
2 colheres (sopa) de açúcar misturadas com 1 colher (sopa) de canela

Faça a massa, peneirando sobre uma tigela a farinha de trigo, o açúcar e o sal. No meio, faça uma cova e junte a manteiga e o ovo. Com um garfo ou com a ponta dos dedos, vá misturando a farinha com a manteiga e o ovo. Quando obter uma massa farofenta, junte uma ou duas colheres (sopa) de água, gota a gota, e vá amassano com as mãos só até conseguir formar uma massa homogênea. Embrulhe em filme plástico e guarde na geladeira por 30 minutos.

Forre com a massa uma forma grande de fundo desmontável ou outras menores. Espalhe no fundo farinha de rosca (para absorver o caldo da banana) e forre com rodelas de banana alternadas com uva japonesa. Esprema suco de limão sobre as bananas e polvilhe com açúcar e canela. Leve ao forno médio (180 graus) por cerca de 1 hora ou até as bordas da torta começarem a dourar.

Rende: 14 fatias ou 14 tortinhas




Inclua em saladas. Esta levou folhas, tomate, salsão e molho com mostarda. Acho que vai bem ainda em saladas com repolho, cenoura ralada e um molho leve de iogurte ou maionese. Ou em qualquer outra que levaria uvas passas e/ou maçãs e/ou peras.


52 comentários:

Laurinha disse...

Não conhecia a tal uva....
A torta está tão apetitosa!!!
Beijinhos,

Eduardo Luz disse...

Neide, cadê a foto da árvore ? Deste jeito fica difícil pra nós, simples mortais, identificarmos qual será a uva japonesa a ser aproveitada ! (rsrsrsrs)

Neide Rigo disse...

Eduardo, pedido atendido. É que eu já tinha postado quando falei dos produtos que trouxe de Fartura. Mas, se perdeu, aí está ela de novo.

Laurinha, apresento-a então.

Um abraço,
N

Nana disse...

Olha, lendo e aprendendo :o)
Se você não contasse eu nunca saberia o que era.
Sua torta ficou linda.
bjs

Ana disse...

Neide:
Nunca imaginei que essa fruta "boba" que povoou minha infância e cujos pés abundam em um bosque perto aqui de casa pudessem render receitas assim.
Vivendo e aprendendo. Salve Neide !!

Isa disse...

Olá Neide! Vou fazer a torta, mas com uvas aqui de Portugal porque aqui não há a uva japonesa, pelo menos nunca ouvi falar.
Um beijão e coloque sempre coisas boas

Nani do Paulo disse...

Eu conheço essa uva como pau doce, no sitio dos meus avós que fica longinho de onde eu moro tem, agora há dois dias atrás descobri através de um amigo que tinha o nome de uva japonesa, ele tem um sitio e esse é pertinho daqui e lá tem e por coincidencia agora vejo o post, vou pedir umas pra meu amigo e aceitar suas sugestões.
Beijinhos

Pat Feldman (Crianças na Cozinha) disse...

Neide, quanto tempo!!

Eu vi dessas uvas para vender outro dia desses no sacolão pertinho da minha casa. Não ocmprei porque simplesmente não fazia idéia do que faria com elas...

Agora, se ainda tiver, eu vou testar a tua receita...

Beijos!

AgriCabaz disse...

Boa tarde
Conhece a Salicórnia da Salina Eiras Largas da Figueira da Foz, em Portugal?
Uma planta halófita que dá para substituir o sal nalguns pratos, como por exemplo nas Saladas.
À venda na loja do AgriCabaz em Coimbra. Envio pelo correio.
http://agricabaz.blogspot.com/
agricabaz@gmail.com
Obrigada

Carol disse...

Neide, que delícia!! Será que acho essas uvas japonesas por aqui?? Grande beijo!! Seu blog como sempre, muito instrutivo!! Vou até passar o endereço para a chef da minha escola!!

Anônimo disse...

Na minha terra (Minas Gerais) chamamos esse fruto de "Pau Doce"...

Wagner Ortiz disse...

Eu a comia quando criança. Existiam duas árvores na chácara da Barra, em Campinas, próximo à Nova Campinas. Estive na casa da minha irmã onde existiam estas árvores em 2006 e havia anos que elas foram derrudadas para construção de uma avenida. Pena. As "frutas" eram deliciosas, doces de enjoar. frequentemente eu me lembro delas e cito para meus filhos e conhecidos. Moro atualmente em Salvador e aqui não tenho notícias dela.

Anônimo disse...

que esse blog tem a ve com praça??????
juanelorriagao.blogspot.com

SERGIO GRUSCA disse...

Minha irmã, que mora em São Bernardo, tinha uma mudinha, que era filha de uma árvore que eu tinha plantado em Sorocaba, quando era menino. Trouxe essa mudinha para Goias (Minaçu), plantei no quintal de casa e ela foi bem, até que um cupim (do tipo de formiguinhas bem miúdas), matou-a. Curiosamente as minhas cachorras comiam todas as que caiam no chão. Imagino agora que tenho jabotis, no quintal.

SERGIO GRUSCA disse...

Ahh...esqueci, dizer no comentário anterior, o quanto é difícil descrever, as frutas da uva japonesa.
Só com fotos, de vários ângulos.

Anônimo disse...

Tenho uma árvore na frente de casa!! Está carregada. Vou testar tua receita!

Alda Re disse...

Oi Neide.. tenho 3 árvores de uva japonesa no quintal. Estão carregadas e estava á procura de receitas e informações.
Obrigada e até mais!!!

tania marcal disse...

Sou do Rio de Janeiro,desde que li sobre a uva japonesa, ando por todos os lugares olhando para o alto pra ver se encontro tal arvore, mas nada feito, comi muito dessa fruta, compravamos na feira de Duque de Caxias, maas hoje não enconto mas, eu gostaria muito de conhecer alguem que possa me fornecer uma muda, por favor ajudem-me, meu imail é: taniamarcal@hotmai.com desde já agradeço. Um grande abraço

doce companhia disse...

Pelo que notei nos comentários, eu sou privilegiada, pois plantei e tenho no quintal essa arvore.
Seus frutos são docinhos , encontrei seu blog , quando pesquisava receitas com uvajaponesa , já que está se perdendo no quintal,
vou fazer a torta e depois posto o resultado...
sou de Santa Bárbara DOeste SP
obrigado pela receita
bjs Maria ,,,,,,


visita meu blog

doce companhia disse...

Pelo que notei nos comentários, eu sou privilegiada, pois plantei e tenho no quintal essa arvore.
Seus frutos são docinhos , encontrei seu blog , quando pesquisava receitas com uvajaponesa , já que está se perdendo no quintal,
vou fazer a torta e depois posto o resultado...
sou de Santa Bárbara DOeste SP
obrigado pela receita
bjs Maria ,,,,,,


visita meu blog

SERGIO GRUSCA disse...

Gostaria muito, se uma boa alma pudesse me mandar algumas sementinhas, da UVA-JAPONESA. Creio que podem ser colocadas com fita adesiva num envelope comum.
Grato

Maurício disse...

Caracas, tô pasmo...rs, todos os dias passo por uma arvore dessas e vejo estes frutos aos montes pelo chao e as pessoas que passam pisão, como eu, sem saber do que se tratam, agora vou passar de novo e colher algumas se conseguir levar para casa e provar! descobri por acaso seu blog, e as frutinhas tb rs!

Neide Rigo disse...

Maurício,
tem também este bolo: http://come-se.blogspot.com/2010/05/bolo-de-gengibre-com-uva-japonesa.html

Boa colheita!
Um abraço, N

Marisa Ono disse...

Eu não conhecia até domingo. E o que mais me encantou nela foi a crocância, estalando entre os dentes.

Cristina Crepaldi disse...

Neide, pesquisando sobre a uva japonesa, me deparei com suas observações e receitas.
Menina, você me deixou com água na boca e já passamos da época. Não sei a ultima vez que senti o paladar dessa frutinha.
Lembra muito minha infância.
Agora só me resta esperar a próxima safra. E continuar salivando, rs...
abraço
Cristina

http://cristinacrepaldi.blogspot.com/

Anônimo disse...

Olha me deu água na boca, estava há tempos a procura dessa fruta, e n sabia o nome, pois comia muito quando criança... e isso fazem uns 30 anos...rsss. agora sei como procurá-la, ficou mais fácil... abraços.

zelandia disse...

Oi Neide, gostei de ler mais coisas sobre o "macaquinho" que conhecia da minha infancia, já no fim de semana passado fui numa feira em Santos Dumont-MG, e encontrei-a como "pau doce, comprei e trouxe para o Rio de Janeiro, onde moro, foi um sucesso entre a galera da cerveja. Beijos

ninaecia disse...

há anos pesquiso atras dessa minha frutinha da infancia. Poe uns galhos numa caixa e manda pra mim num sedez à cobrar, por favor.

nina
nina.familia.amigos@gmail.com

Anônimo disse...

OLÁ A TODOS, QUEM TIVER ESSA FRUTA FAVOR MANDAR POR SEDEX A COBRAR ALGUNS GALHOS DE FRUTA,FAZ MAIS DE 30 ANOS QUE NÃO APRECIO SEU SABOR.MEU EMAIL É madossantos@ig.com.br
Grato.

Valter Mazarim disse...

Neide. Tenho um pé de uva japonesa e pesquisando sobre ele, tive a grata surpresa de conhecer seu blog.Excelente, com uma infinidade de dicas nos fazendo conhecer e aproveitar diversas plantas que até então combatíamos, como a trapoeraba.Mas fiquei com uma dúvida:na sua massa de torta não vai nadinha de fermento ou pó royal? Satisfação em conhecê-la. Abraço

Anônimo disse...

Neide, obrigada por me trazer essa deliciosa lembrança de minha infância! Na fazenda do meu avô, no sul de Minas, tinha uma enorme árvore dessas, e tinha um galho paralelo ao chão que chamávamos de "balanço", e era nele que sentávamos nós, os primos, para saborear não só o seu fruto docinho como também todas as outras frutas colhidas no quintal, além de brincarmos de balanço. A fazenda, ás margens do Rio Grande, já não existe, foi alagada pela Represa do Funil. e eu nunca mais ouvi falar dessa árvore, ninguém conhece... Adorei rever o fruto, que chamávamos de uva-pau, aqui no blog. Por favor, se possível, me envie muda ou semente por sedex a cobrar, serei muitíssimo grata! Meu nome é Ana Maria e meu e-mail é anamariabotelhopaiva@yahoo.com.br Obrigada.

Anônimo disse...

Eu amo uva japonesa, gostaria de saber onde vende.

Vivian Meire Bittencourt Netto disse...

Oi Neide voce sabe como fazer geleia de uva do Japão? Obrigada Bj.

Taoista Sem Memoria (Capitão Caverna) disse...

Gostei da receita.
Aqui no RS a uva-japonesa é uma praga. Antigamente plantava muito dela, por dar sombra no verão e no inverno perder as folhas. Hoje ela existe em praticamente todas matas, e ela é invasora, cresce rápido, abafa as nativas e vai destruindo a biodiversidade. O pior é que os animaps silvestres acabam espalhando as sementes, já que adoram os frutos, o que é um grande problema, pois ela vai se alastrando e eliminando as outras árvores, que frutificam em outras eṕocas, assim as matas ficam repletas de frutos desta espécie e no resto do ano não tem. Em algumas regiões, ela já forma grandes maciços florestais. Não plantem esta espécie próxima a matas ou em sítios, é um atentado contra a biodiversidade brasileira.
OBS: Ela é exótica, ou seja, o ser humano trouxe de outro país.

Anônimo disse...

anônimo:Em qual época do ano começam a ser vendidas essas uvas

Anônimo disse...

anônimo:Aqui perto onde eu moro tem um lugar chamado Ivoti,rs o nome é chamado de colônia japonesa ali tem várias pessoas que vendem esse tipo de uva.De onde você é.

Anônimo disse...

quem tiver a receita de cuca de uva publique aqui por favor,obrigado;

Anônimo disse...

anônimo:Querias saber o nome do criador desse blog falando sobre uva

Anônimo disse...

Em qual época do ano são vendidas essas uvas no Rio Grande do Sul.

Anônimo disse...

anônimo:Não plantem essa uva ela chama abelhas por causa do doce e por causa disso é muito ruim ter uvas plantadas próximo a casas digo se você tiver um terreno pequeno.

Anônimo disse...

Anônimo:Aqui no Rio grande do Sul pau doce é um pênis com melado kkkk desculpe pela brincadeira.

Anônimo disse...

Rsrsrs procura no google. Temos uma em frente da casa

Cy disse...

Eu andando pela rua esses dias me deparo com essas frutinhas ....na hora pensei no seu blogger para pedir indicações de receitas.........mas como suas dicas são maravilhosas...ja contava 2 artigos.....Isso quer dizer q tenho q escavacar todo conteúdo ....Parabéns sua alquimia e tao perfeita q chego a sentir o perfume dos alimentos....bjss

JORGE BORBA disse...

sera se da para fazer um licor

Anônimo disse...

Encontrei hj pelo caminho e já sei o que vou fazer com elas... Obrigada!♥ Jane Matsuda

lucia garcia disse...

Gostaria saber se aqui em anapolis goias tem e aonde me avise pelo meu email luciagarciagata@gmail.com

lucia garcia disse...

Gostaria de saber aonde tem aqui em anapolis goias me avisa pelo luciagarciagata@gmail.com

Anônimo disse...

Na minha infância existia em meu bairro várias mudas de uva japonesa, numa praça próxima de minha casa, lembro-me que eu ia todos os dias a essa praça só pra saborear essa uva, que era uma delícia, muito apetitosa. Eu devia ter uns 7, 8 anos mais ou menos, era na década de 80. Infelizmente essas árvores já não existem mais, o que existe de verdade é a saudade desse tempo maravilhoso de minha infância. Eu gostaria muito de comprar uma muda de uva japonesa,mas não sei aonde eu possa achar. Como eu faço pra adquirir uma muda dessa uva?

familiazanatta disse...

Vinagre de Uva Japonesa
1,5 Kg de açúcar
2 Kg de uva Japonesa
10 litros de água fervida
Modo de fazer
Misturar tudo e deixar 40 dias
em repouso. Se for açúcar
mascavo é melhor

familiazanatta disse...

Se alguém tiver a receita de como fazer o vinho da uva japonesa, ficarei desde já agradecido. Abraços de Paulo f Zanatta

Neide Rigo disse...

Obrigada, familiazanatta!
Vou tentar fazer o vinagre.
Quanto ao vinho, não basta deixar fermentar em ambiente fechado - com saída para o gás carbônico? Antes de se fazer vinagre, faz-se álcool. Quando puder, vou tentar.

Um abraço,n

familiazanatta disse...

Vinagre de caldo de cana
Ingredientes:
2 litros de caldo de cana
Modo de fazer
1 – Coar o caldo de cana e engarrafar e deixar descansar durante 15 dias.
2 – Coar novamente e estará pronto para ser consumido.

Vinagre de cana de e laranja
Ingredientes
1 litro de caldo de cana
4 laranjas
Modo de fazer
1 - Coar o caldo de cana e o suco de laranja
2 - Engarrafar e deixar descansar durante 15 dias
3 – Coar novamente e estará pronto para ser consumido.

Vinagre de Caqui
Ingredientes
Caquis Maduros
Modo de fazer
1 – Amassar bem os caquis
2 – Deixar descansar por dois dias, coar e engarrafar.
3 – Deixar parado por dois meses em lugar seco e arejado.
4 – Filtrar e usar

Vinagre de maçã
Ingredientes
10 litros de água
1 quilo de maçã verde
1 quilo de açúcar
1 pitada de fermento
Modo de fazer
1 – Misturar todos os ingredientes e deixar descansar por 45 dias.
2 – Filtrar e engarrafar.

Vinagre de melado
Ingredientes
½ kg de “mãe-do-vinagre” guardar de um vinagre para o outro)
2 – conchas de melado
Modo de fazer
1 – Misturar todos os ingredientes, deixar fermentar 14 dias.
2 filtrar e engarrafar.

Vinagre de milho
Ingredientes
8 litros de água
1 garrafa de vinagre
1 garrafa de cachaça
3 sabugos de milho

Modo de fazer
1 – Misturar todos os ingredientes. Deixar descansar por 2 meses.
2 – Coar e engarrafar.

Vinagre de maçã
Ingredientes
1Maçã
2 litros de água
½ quilo de açúcar
Modo de fazer:
Picar uma maçã com casca, acrescentar 2 litros de água e ½ quilo de açúcar. Colocar dentro de uma vasilha (não de alumínio), cobrir com uma pano limpo e esperar até que termine de fermentar. Depois de fermentado, coar e colocar em frascos esterilizados. Do mesmo modo se faz vinagre de banana.

Vinho de Laranja
Ingredientes
2 litros de suco de laranja maduras
2 litros de água
1e ½ kg de açúcar
1 colher sopa de fermento de pão
Materiais e equipamentos
1 garrafão, de vidro, de 5 litros
1 rolha de cortiça
1 mangueirinha (tipo sopro)
1 vidro vazio (pode ser de conserva ou outro)
1 balde plástico ou bacia
1 espremedor de fruta
1 colher grande
1 funil
1 vela ou cera de abelha
1 pano de prato
1 coador
Modo de fazer:
1 – lavar, ou descascar e espremer as laranjas
2 – Coar o suco e misturar a água, o açúcar e o fermento
3 – Colocar esta mistura no garrafão esterilizado
4 – Colocar a rolha no garrafão sem encostar no suco Furar a mesma e colocar a mangueirinha no orifício da rolha
5– Vedar bem, parafinado ao redor da rolha, para evitar a entrada de ar no garrafão
6 – Mergulhar a outra extremidade da mangueirinha no vidro com água até a metade
7 – Deixar o garrafão em pé, em lugar fresco, para fermentar em repouso absoluto durante 45 dias, quando o vinho estará pronto.
8 – Engarrafar o vinho, após este período, em garrafas esterilizadas.

Obs: A água do vidro deve ser trocada cada vez que ficar turva (resíduos da fermentação)

Vinho de Azedinha do mato (fruta)
Preparar, como se prepara qualquer outro vinho. Servem, também todas as frutas que os pássaros comem, para fazer este vinho. Contudo, deve-se acrescentar água e um pouco de açúcar, para fermentação.
Vinho de Bananas maduras:
Ingredientes:
Para 1 balde de bananas amassadas. 2 baldes de água e um pouco de açúcar, para fermentar
Modo de fazer:
Ver receita de vinho de uva.