quarta-feira, 23 de abril de 2008

Peixes amazônicos

O mercado de peixes de Manaus funciona num galpão ao lado do Mercado Adolpho Lisboa - o mesmo que pegou fogo ontem, às margens do Rio Negro. Barcos atracam entre eles trazendo peixes para um e bananas para o outro. Além, é claro, de todo o resto que é vendido lá (mas o que mais vi foram peixes e bananas pacovás). A água do Solimões, leitosa, barrenta e mais alcalina é também a mais nutritiva e atrativa para os peixes. Já a acidez do Rio Negro não é um bom convite para a vida. Nem para os mosquitos - daí os hotéis de selva serem à beira dele, assim como a enorme quantidade de casas ribeirinhas ao longo dele. Fui dois dias ao Mercado e iria muitos outros, caso ficasse por lá mais tempo. A cada dia é uma descoberta. A não ser os peixes mais famosos como o tucunaré, matrinxã ou pirarucu, não conhecia a maioria dos outros peixes de água doce que vi ali. E peixes de rio podem ter sabores surpreendentes como o jaraqui (dizem os manauaras que "quem come jaraqui, não sai daqui"), que tem sabor de ave. Conclui assim depois que comentei com Ananda que senti gosto de pato assado. Ela rebateu dizendo que não, que parecia peru. Espinhento, com este sabor diferente, não é unanimidade mesmo entre os nativos. É um peixe barato. R$ 10,00 0 monte. Frito fica muito bom. Gostei.

Jaraqui (Semaprochilodus spp)



Jaraqui (Semaprochilodus spp) sendo cortado na pele, como é de costume fazer por lá



Pacu branco (Myleus spp) - nada a ver com nosso pacu que, segundo os vendedores, é tambacu - mistura do tambaqui com pacu.

Tambaqui (Colossoma macropomum) e matrinxã (Brycon ssp)


Tambaqui


Tucunaré (Cichla spp)


Tucunaré (Chicla spp)

Tucunaré (Cichla spp)


Pirarucu seco, o bacalhau amazônico - Arapaima gigas


Caparari ou Pintado (Pseudoplatystoma tigrinum); Cachara ou Surubim (Pseudoplatystoma fasciatum) e Filhote ou Piraíba (Brachyplathystoma filamentosum)



Postas de pintado e surubim


Jatuarana (Brycon sp) e Pirarucu (Arapaima gigas) – mantas frescas


Cuiú-cuiú (Oxydoras niger)
Precisaria ficar lá por um mês para experimentar de tudo. Mas, calma aí, foi só a primeira vez. Hei de voltar. Amanhã, frutas amazônicas.


11 comentários:

Ana disse...

Neide maravilha !!! Você consegue matar minha saudade, porque já morei lá em Roraima e conheci tudo isso.
Esse pirarucu seco é simplesmente maravilhoso, e o sabor não é tão marcante quanto o bacalhau. Com pirão e uma boa pimenta bem ardida....fica irresistível.
O pirarucu já tem manejo no Brasil pois estava quase entrando em extinção. Na reserva Mamirauá, no alto Amazonas, existe a pesca programada, coisa mais linda.

Um beijo grande pra você em agradecimento às tuas lindas publicações.

Cris Paz disse...

Não sou muito de peixe, mas estes estão tão bonitos, frescos... dá até vontade.
bjs

Silvia (silviabruno@uol.com.br) disse...

Pra variar, a sra fazendo a gente babar aqui do outro lado da tela, né?
Tinha que deixar pelo menos umas linhazinhas, já que ontem vc me veio de inspiração na hora de "debulhar"uma bacia de quiabos grandões...rs
Queria tb comentar que o jantar foi uma delícia e que adorei conhecer todos ao vivo e em cores!
Estou com a semana atrapalhadíssima pois viajo pro Chile no dia 2 e estou tentando deixar tudo em ordem no sítio e aqui, já viu, né? E a abóbora, já rendeu algo? este finde fiz com uma daquelas um doce com côco que ficou bem bom...
Mande sinais de fumaça!rss
Bjk
Silvia

Neide Rigo disse...

Ana, é isto mesmo. Hoje a pesca do pirarucu é proibida a não ser nos locais onde haja manejo sustentável, como na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (www.mamiraua.org.br), ou vem de criações em cativeiros, autorizados e fiscalizados pelo Ibama. Chegamos a visitar um no Rio Solimões. Graças a isto, os estoques de pirarucu estão voltando aos níveis normais. Obrigada por lembrar. Que delícia você ter conhecido a reserva de perto. Também quero!!

Cris, tenho certeza de que iria adorar.

Resposta para Silvia foi por email.

Um abraço,
Neide

ĵåииå jōåиïņhå disse...

meu pai é pescador, e já foi algumas vezes pescar pela amazônia. eu não sou muito fã de peixe de rio, mas adooooro o tucunaré e o pintado!
delícia!

Sill disse...

Uhm...que vontade de um peixão desse na brasa. Vc não trouxe nehum p fazer p os amigos??? bj Sill

Neide Rigo disse...

Sil, infelizmente foi tudo muito corrido e não estava preparada para trazer peixes. Numa próxima vez, quem sabe... Eu também já estou morrendo de vontade.
beijos,
Neide

carlinhos de lima disse...

Neide, me ensina como "importar" desses peixes para o Rio.

Sou filho de paraense e a família se perdeu toda...

Preciso tanto! Consegui aqui ter mudas e reproduzir cupuaçu e açai o que me alegra.

Nem pirarucu seco estou conseguindo...

Neide Rigo disse...

Carlinhos, escreva para o meu email: neide.rigo@gmail.com. Ontem postei aqui um comentário longo, mas o blogger saiu do ar e perdi. Agora deu preguiça de repetir. Conversemos por email.

Um abraço,
neide

Karuna Purna disse...

Olá minha querida! Nem precisa postar, que fique entre a gente...
É sobre os peixes... é que há oito anos tive a oportunidade de ser conscientizada a respeito do sofrimento dos animais e fiquei muito agradecida por esta sensibilização, agora acredito que nós humanos não temos o direito de "saborear" nossos amigos animais, pois eles sentem dor, alegria, tristeza, assim como nós, isso serve pra todos os animais. Então agora sou vegetariana e descobri que temos uma imensidão de alimentos e preparações culinárias maravilhosas, sem que precisemos matar cruelmente os bichinhos...
Não se ofenda comigo, não saio falando assim pra qq um, vim aqui procurar ora pro nobis e lhe senti um ser especial, por isso estou lhe dizendo isso...
Se quiser saber mais sobre este assunto, tenho um blog de receitas: karunapurna.blogspot.com

Muito obrigada! Beijo!

Anônimo disse...

Muito boas publicações Neide, parabéns. Moro a pouco tempo em Santarém no Pará, uns 2 meses, e chegando aqui me deparei com essa fartura de peixes deliciosos. Atualmente administro uma pizzaria estilo fast food, pizzas pré-assadas no mostruário, o cliente escolhe a fatia que lhe agradar. Implantei a pizza sabor camarão com Jambú e está fazendo sucesso, porém como preciso ter o cardápio enxuto, queria inventar na pizza de pirarucu com jambú, seria feita com o pirarucu seco, e o jambú marinado no tucupí. Na de camarão com jambú, passamos à massa um molho feito com a base de tomate e camarões frescos tamanho P, ai então vem o mussarela, camarões rosa tamanho G e o jambú. Que tipo de molho sugeres que que seja posto na massa deste novo sabor? Me ajuda?

Diego Ruiz
diegoruiz@bol.com.br