segunda-feira, 28 de abril de 2008

Frutas Amazônicas parte 3 – Cubiu e Sapota-dos-Solimões


Cubiu verdolengo

Confesso com vergonha que não comi de verdade nenhuma das duas em Manaus. Cubiu comi aqui em São Paulo certa vez como Maná, seu outro nome. Mas aprendi uma coisa que deve valer para todos seres viajantes: quando passar por uma barraca de rua e vir uma fruta ou qualquer coisa diferente que desperte seu interesse, não deixe pra depois, achando que haverá mil delas mais à frente. Pode acontecer de nunca mais se deparar com a coisa até o momento de ir embora. Se deixar pra comprar no aeroporto, então, danou-se. E sabe-se lá quando vai voltar àquele lugar. Mesmo que seus companheiros de viagem te puxem pelo braço, desvencilhe-se à força, faça birra e pare pra comprar o que quer. Pode ser a última chance. O bom é já andar com dinheiro vivo no bolso e uma sacolona à mão quer você vá ao teatro ver a ópera ou tomar sorvete na Glacial da esquina (Glacial é a sorveteria mais famosa de Manaus). Ainda não sabia disto e só agora me dou conta do que perdi.


Cubiu maduro com gengibre - para curas
Pelo menos perguntei o que era e pra que servia, já que todo mundo em alvoroço parecia se interessar demasiado pelo tal do cubiu. É de comer, perguntei. Não, é remédio, responderam. Pra quê? Diabetes, colesterol e o diabo. Tivessem respondido é de comer, teria comprado e reconhecido. Droga! Foi chegando aqui e consultando o livrão da Embrapa, Fruteiras da Amazônia, que percebi que já conhecia a fruta. Certa vez, comprei no Extra, com o nome de maná e até registrei minhas impressões - achei azedinha, boa para chutneys. Originária do Alto Orinoco e domesticada pelos ameríndios, está espalhada por toda a Amazônia – brasileira, peruana e colombiana. Olhando, assim, parece uma mistura de tomate, tomarillo e berinjela. É parente solanácea de todos eles e ainda do jiló, da pimenta e do pimentão. Não é fruta boa de se comer de bocada, mas vai bem em sucos e como tempero – assim como tomate – de cozidos de peixe e frango. Aliás, recebe nome também de tomate de índio, em Pernambuco, além topiro e tupiro no Peru; cocona, na Colômbia, Peru e Venezuela. Em inglês, atende por orinoco apple ou peach tomato.

A razão da panacéia chama-se niacina, uma vitamina do complexo B, na qual o cubiu é muito rico. A vitamina está envolvida em processos enzimáticos no nosso corpo, que inclui o metabolismo de gorduras. Por isto, dizem, faz baixar o colesterol, controla a glicemia, ácido úrico etc. Pelo nome dela “Solanum sessiliflorum”, não encontrei referências no pai dos burros da fitoterapia “Tratado de fitofármacos y nutracéuticos”, o que não significa que tudo isto não seja verdade, pois já vi pelo menos um estudo sério publicado na revista do Instituto Adolfo Lutz que comprova o efeito antiglicemiante com ratos. Por enquanto, vamos comendo, que, se não fizer bem, com moderação mal não faz. Já há plantação comercial do dito no Vale do Ribeira. Foi de lá que veio aquele que comprei no Extra e é só ficar de olho que logo teremos mais por aqui. No Mercadão deve até ter - é que faz tempo que não ando por lá.

Sapota-do-solimões


Goiabas com sapotas-do-solimões

Rambutão em cima, tucumã embaixo e sapota à direita
Sapota-do-solimões foi uma das frutas que só vi duas vezes na viagem toda e sequer comprei uma para experimentar na calma do hotel ou para trazer pra casa. Era fim de safra. Sorte que numa das barracas de rua me deram uma lasca para provar. Mas o excesso de novidades era tanto que estaria mentindo se dissesse que me pareceu azeda ou assada. Não lembro. Sei que era gostosa, nem um pouco agressiva. Tampouco espalhafatosa no aroma como graviola, maracujá ou cupuaçu. Talvez docinha e discreta como um caqui.

A Quararibea cordata, ou Matisia cordata, que dá estes frutos, é uma árvore de porte alto que pode chegar a 20 metros. Parece ser originária da Bacia do médio e alto Solimões e está espalhada da cidade de Tefé, na Amazônia, até Peru oriental, Colombia e Equador. É chamada também de sapota-do-Peru em língua puquiniquim. Já na Colombia, é zapote ou chupa-chupa. E a danana é grande e bonita. Tem casca coriácea e polpa bem alaranjada, suculenta, com algumas sementes duras. Seu peso pode variar de 300 gramas a 1 quilo. Terei que voltar lá no ano que vem.

23 comentários:

Agdah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Agdah disse...

Eu fico imaginando vc nesses lugares... por que um ser humano normal vê, prova/ignora e passa(ou nem sonha em pender lá pelos lados das feiras e mercados), mas eu tenho a impressão que, se pudesse, vc trazia a feira toda nas costas.

Wine Broker disse...

Neide, quantas frutas!!! porque será que elas não são comercializadas?
Gosto muito de suas fotos e de seus comentários.
Um abraço

Rubén Duarte

Neide Rigo disse...

Agdah, traria mesmo: o mercado, a fruta, a muda da fruta... Mas temos que fazer escolhas. Ando neste treino agora.

Rúben, temos uma infinidade de frutas mas infelizmente não despertam tanto interesse quanto uma cereja ou uma blueberry. Temos vergonha das nossas coisas. A verdade é esta. Uma pena, né?

Um abraço,
Neide

Eduardo Luz disse...

o negócio é fazer uma salada de Cubiu e das minhas folhas e flores de Ora-pro-Nobis e a partir daí, esquecer de médico !! Já usei o coentro do Pará numa muqueca e ele é muito bom !!

Carol disse...

Neide, seus posts são verdadeiras aulas...não deixo de ler um. Parabéns!! Beijos

Neide Rigo disse...

Eduardo, é por aí mesmo. Se a gente tiver uma alimentação com muitos fitonutrientes, estamos cobertos contra muitos males. Mas o bom é comer com prazer. O resto é consequencia. E cuide bem do coentro do pará, pois se o meu morrer já tenho a quem recorrer. Quem bom que já está usando e gostando.

Obrigada, Carol.

Um abraço, N

Fabrícia disse...

Neide que rico nosso país....a cada dia descobrindo mais e mais contigo. Merci...
Bjs.

Daniel disse...

Olá, moro em Manaus e ando catando nas feiras o Cubiu, como pelo menos 2 vezes na semana como salada (Cubio em rodelas (4 frutas) + cebolinha + cebola + as sementes do próprio + Sal). Que coisa gostosa, Aqui em Manaus não é normal isso, essa cultura trago de minha terra natal São Gabriel da Cachoeira. Como gosto muito ando fazendo experiencias culinarias com o Cubio, já usei substituindo pimentão.

Neide Rigo disse...

Oi, Daniel,
que ótimo saber disto. Quando me deparar novamente com a fruta, vou testar suas invenções. Um grande abraço,
N

Anônimo disse...

Oi Neide. Parabéns pelo seu blog, particularmente pelo seu interesse em conhecer coisas da nossa terra! Sou estudante de pós daqui do INPA, em Manaus e, procurando alguns nomes científicos caí em sua página... Antes fossem todos os brasileiros interessados pelo Brasil né!
Abraço.
Bruno.scarazatti@gmail.com

Rivado disse...

Daniel, Bom dia

Como eu faria, morando aquí na Bahia para conseguir pelo ao menos algumas sementes de "Cubiu" ! Não precisa ser muinta não, só umas duas mesmo!! Eu agradeceria muinto se me respondesse para o E- Mail santaseara@yahoo.com.br

Grato Rivaldo de Azevedo

Roberto disse...

Pois é, comprei hoje (2 de setembro)o tal do CUBIU, mas com o nome de MANÁ, no supermercado SENDAS de Niteroi. em frente às barcas. Estão vendendo uma embalagem de 350 gramas por R$2,50.Parece que o preço original de cerca de 6,00 reais não agradou a ninguém. De fato o gosto também não é bom.Descasquei um e comi uma fatia. Confesso que ainda não tinha pesquisado nada na intenet e achei que poderia ter uma baita dor de barriga. Até agora, nada... Acho que vai sair tudo bem. Pretendo fazer um refresco com bastante açucar, já que o fruto deve baixar o colesterol. Um abraço. Valeu pelo artigo. Parabéns, Roberto Rocha

Rodrigo disse...

Tive a oportunidade de comer a Sapota ontem, nunca nem tinha ouvido falar.
O cubiu já tinha provado e não gostei... Mas a Sapota é muito boa!! gostei mesmo.
Achei o sabor uma mistura de melão, manga, abacate e tucumã. rs :)
Muito legal o blog, parabéns!!!

Anônimo disse...

Opa, eu sou do amazonas. Hehe e tenho essas coisas plantadas aque =]
Tenho uma chácara antiga em Manaus.
Neide você não sabe o doce que o cubio faz. É uma mistura de cupuaçu com morango ou algo assim.
Ara por nobriz eu faço com espinafre. Tenho um restaurante tb=]

Cubio as veses eu uso no lugar do tomate na nossa tão famoza cauderada.

Qualquer pedido ou receita mandem para meu email. Agora sobre o cubio. Não adianta come-ló cru amigos, ele não é uma fruta saboroza assim. É o mesmo que você comer tomate, que muitos pensam que é verdura mais é uma FRUTA.
email Tiago_ayub@hotmail.com

Aishwa disse...

Olá pessoal,
Trabalhamos com o Maná-cubiu há 8 anos aqui em São Paulo/interior.
Temos sementes e a fruta liofilizada em capsulas, 100% natural.
Acessem www.frutasexoticas.com.br
Abraços

Anônimo disse...

OI Neide,adoro sua forma de escrever,e de ver o mundo tambem,la se vao tres anos e ainda estamos lendo suas colocaçoes sobre o cubiu.rsrsr tenho um pé de cubiu em casa,já é o segundo que planto,e produs demais,pois aqui em joinville tem um solo proprio p esssa planta!mas produzo tanto e nao tenho sabido como aproveita-lo de forma adequada,tenho feito geleias deliciosas e sucos,que misturado com limao ficam muito gostoso;mas gostaria de aproveita-lo em receitas saugadas,quem puder me ajudar agradeço...é só entrar contato comigo pelo imail.ribeirojcr1@yahoo.com.br...joao clore ribeiro/scse alguem quiser semente é so pedir que mando de graça...abraço

Reginaldo Cunha disse...

Prezada Neide,

Venho procurando há meses por uma muda de sapota dos solimões. Você não saberia onde encontrar?
Fico agradecido antecipadamente pela sua atenção e parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

sou do noroeste do parana e tenho uma chacara começando a produzir tenho mais de 80 tipos de frutas e foi em um viaje assim que me interecei por esse assunto de frutas e muito bacana o teu comentário pois quem não conhece fica curioso

Eli Gomes disse...

Sou do noroeste do PR e tenho uma chácara cm + d 80 variedades d frutas, e foi em uma viajem q comecei me interessar. É importante os comentários q você faz, pois quem não conhece fica curioso, e procura conhecer quem planta, passa a amar, e cuidar como se fosse um filho...

Eli Gomes disse...

Sou do noroeste do PR e tenho uma chácara cm + d 80 variedades d frutas, e foi em uma viajem q comecei me interessar. É importante os comentários q você faz, pois quem não conhece fica curioso, e procura conhecer quem planta, passa a amar, e cuidar como se fosse um filho...

CLEUSA NULI disse...

MUITO BOM. EU GANHEI UMAS FRUTINHAS E FUI PESQUISAR SOBRE. VI AS SUAS PROPRIEDADES NUTRICIONAIS. CONSEGUI UMAS MUDINHAS E PLANTEI NO MEU QUINTAL. SÓ UM PÉ PEGOU, MAS ESTA LINDO E COM MUITOS FRUTOS.É DAQUELE REDONDO QUE QUANDO ESTA MADURO FICA AMARELO, ELE TEVE BOA ADAPTAÇÃO. CONVERSANDO COM UMA ALUNA, ELA DISSE QUE TINHA NA CASA DELA E ME TROUXE DAQUELE AVERMELHADO E O FRUTO UM POUCO MAIOR COM FORMATO OVAL, AMBOS TEM O MESMO SABOR. CAJATI- SP (VALE DO RIBEIRA)

Anônimo disse...

Como saber que a maná esta madura?