quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Fomos comer em outra freguesia – voltamos na terça ou quarta-feira


A natureza não perdoa o abandono. O implacável mamoeiro emerge do forno em uma das cozinhas de Fartura-SP.

8 comentários:

cia das agulhas disse...

oi, estou passando para te convidar e quem mais que quiser para conhecer o CIA das Agulhas, um fórum de artesanato. Entre e se cadastre, é GRÁTIS!

www.ciadasagulhas.net

Anônimo disse...

Oi tudo bem com voce, por gentileza eu tenho uma cultura de Kefir, tem lido várias paginas a respeito porem quando se trata de receitas ou elaborar um prato, neste prato usa-se os grãos.

Desde já agradeço sua sua atenção.
Bom fim de semana

Lúcia

Anônimo disse...

Desculpe não envei o meu e-mail é lucia@producaorepre.com.br

Anônimo disse...

Neide, seu blog é simplesmente fantástico, de emocionar.
Parabéns.

Chico Amieiro

Natural Naturalmente disse...

Neide, Cheguei ao seu blog através da Agdá, por causadas folhas de Curri, só depois fui dar uma olhadela no seu perfil, esta tudo explicado...a panóplia de conhecimentos que voce possui é genial, é incrível, você passa de botânica, para fitoterapia, e já agora faz um pratinho com as ervinhas, frutinhas ou com os galhinhos, tudo contado como uma historia de embalar.
Estou encantada, acrescentei o seu endereço nos meus link´s, nos dois blogs. Obrigada. Felicidades.
Márcia
http://medicinasnaturais.blogspot.com/
http://comernaturalmente.blogspot.com/

laila disse...

Neide que linda a foto! adoro qdo a natureza dá seu jeitinho e surge uma folhagem, um matinho q seja no meio do concreto...e esse mamoeiro esta um charme! bjos

Neide Rigo disse...

Oi, Lúcia! A cultura do kefir sempre fica para a próxima coalhada. O que se usa é sempre o leite coalhado sem a cultura (mas se comê-la não vai se intoxicar).
Um abraço, N

Neide Rigo disse...

Obrigada, Chico! Isto é animador.


Márcia, obrigada. Dei uma espiada nos seus blogs e gostei bastante. Mas vou voltar com mais tempo.

Oi, Laila. O mamoeiro sumiu de lá, pois esta cozinha está abandonada, mas num cantinho surgiu um pé de erva-doce.

Um abraço a todos,
N