quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Tiririca é chufa


Carreguei ontem estes dois livrinhos pra reler no ônibus. De vez em quando eu volto neles, pois a cada vez é uma coisa nova que descubro. Agora foi a surpresa de saber que tenho no meu quintal caruru-do-reino (Boussingaultia baselloides) e de que tirica é chufa e chufa é tiririca. No Ervas Comestíveis, de Cida Zurlo e Mizi Brandão, duas biólogas especialistas em botânica e taxonomia vegetal, a erva-daninha mais odiada dos agricultores e de quem preza um gramado monotemático, a tiririca ou Cyperus esculentos, aparece como sendo a mesma chufa que faz aquela horchata deliciosa de sabor amendoado dos espanhóis. Pra dizer a verdade, eu nunca provei. Sempre peço para o meu amigo Luiz Horta trazer alguns tubérculos de suas viagens à Espanha, mas nunca coincide com a safra. E agora vou ficar me comichando de curiosidade até chegar ao sítio em Fartura e sair à caça da iguaria. Está certo que na minha rua há uma praça enorme e certamente encontraria a daninha lá. Mas, e a coragem de sair na rua com a enxada no ombro e o embornal atravessado? E pensar que há mais ou menos um mês arranquei do gramado, no muque, uma moita dela! Pelo que li, as bolinhas ficam no final das raízes e certamente se traumatizam e continuam no solo quando a planta é arrancada com violência (como eu iria imaginar que deveria tratar tiriricas com delicadezas?). O negócio é esperar, pois só acredito vendo. Alguém aí já fez horchata de tiririca?
No livro, as autoras dão a receita:

Horchata de tiriricas

250 g de tubérculos de tiririca-amarela secos ou 400 g dos tubérculos torrados
1 litro de água
Mel a gosto

Moa os tubérculos e macere-os em água durante dois dias (caso estejam secos) ou durante algumas horas (caso estejam frescos). Coe, para eliminar a parte fibrosa. Junte água suficiente para completar 1 litro. Adoce a bebida com mel. Leve à geladeira e utilize como refresco.
Fonte:
As Ervas Comestíveis, de Cida Zurlo e Mitzi Brandão – Publicações Globo Rural

Na dúvida, fiquem com a Horchata de arroz da Agdah.

11 comentários:

Mariângela disse...

Neide, nunca me ocorreu olhar a tiririca com olhos gourmet, será que terei coragem? beijo!

Silvia - svfb@hotmail.com disse...

FALA SÉRIO!!!!
Pasmei na tiririca, que me deixa bem doida com a horta (do gramado já desisti...)! Vou experimentar secar umas "batatinhas"pra ver o que dá...
Será que no seu livrinho consta outra ervinha conhecida por "guanxumba"? é uma diaba de erva com raiz super forte e profunda, vc tem q botar a maior força pra arrancar quando está ainda de tamanho médo...também empesteiam meus canteiros de ervas e sempre fico atenta pra arrancá-las quando ainda pequenas.
Aproveito o comentário pra dizer que adoro o seu blog, virou vício diário passar por aqui mas sou de poucos comentários (talvez pq escreva demais!! rs). Dia desses trocamos mais figurinhas, e obrigada pela receita do bolinho de fubá, é mais uma aprovadíssima pra minha coleção (hoje adicionei goiabada cascão em cubinhos....a outra metade vai ser derretida pra fazer um fubá marmorizado no fim de semana!)
Beijoca e inté!

Neide Rigo disse...

Silvia,
a guanxuma (é assim que conheço) é a vassourinha, né? Ela tem florzinha amarela e branca e folhas ásperas. Quando novinhas também são comestíveis, mas em pequena quantidade porque têm saponinas. Não tem nestes livros, não. Mas aparece no "Plantas Medicinais no Brasil" do Harri Lorenzi. Obrigada por gostar do Come-se.
Beijos, volte sempre!
Neide

lunalestrie disse...

Neide, seu blog é praticamente um workshop, quanta informação boa! Estou adorando! :)

pipoka disse...

Costumo espreitar o seu blogue com regularidade, mas nunca comentei, embora goste muito das suas receitas e sobretudo dos ensinamentos sobre ervas e alimentos tipicamente brasileiros. Por isso, adorei sua visita!

Alessandra Kali disse...

"...No mais, as "ramblas" do planeta
"Orchta de chufa, si us plau"..."

Gostei de seu blog. Fiquei fã e vezeira dele. Abraços

Neco Torquato disse...

Nossa, seu blog é 1000!!!!
Sou louco por receitas exóticas e saborosas, é claro.
No seu blog tem muita coisa boa. Parabéns mesmo!

Eu também tenho um, mais voltado para agricultura sustentável, e tenho uma receitinha de Orchata um pouco diferente da sua, de uma olhada em:
http://mungoverde.blogspot.com/2007/01/controle-alternativo-da-tiririca.html

Grande [] e Inté,

Neco Torquato disse...

Então, a variedade correta p/a fazer a orchata eh a conhecida com tiriricão, junquinho ou tiririca amarela. E bem fácil de distinguir a "correta" da outra: o tiriricão tem as sementes doradas, bem douradas mesmo (como essas http://conabioweb.conabio.gob.mx/malezasdemexico/cyperaceae/cyperus-esculentus/IMAGENES/inflorescencia.JPG), tem as folhas mais largas, o caule mais grosso e costuma dar um pé de uns 2 a 3 palmos (ou mais).

Aqui na minha região tem bastante. Agora esta na época dessa variedade (como se existisse época p/a tiririca :) ). Tem um terreno aqui do lado de casa q esta cheio. Semana q vem, qdo estarei mais folgado, vou panha algumas e ver o q vai dar.

De todo caso, nada eh perdido pois, eu adoro as batatinhas de tiririca (qualquer variedade) cortadas bem fininhas e, ou fazer uma pasta para passar no pão, ou ainda, torra-las na chapa, bem temperadinhas, e saborea-las acompanhadas de uma cervejinha bem gelada :)

Grande [] e Inté,

Marcos Egito disse...

Boa Noite!
Sou Marcos Egito, eu a mando de minha Esposa Carmem, estava pesquisando sobre o uso medicinal e comestível da tiririca, porem quese tudo que encontrei em sites Brasileiros diziam a mesma coisa, foi quando descobrimos que na espanha a tiririca (chufa), é cultivada em longa escala, a partir da palavra chufa achei seu blog.
Gostamos da receita do suco, porem minha esposa gostaria de saber se você tem outras recitas de uso da tiririca, tais como saladas, cozidos ... etc.

Desde já agradeço!
Parabéns pelo belo trabalho.

Unknown disse...

Neide,Bom Dia !
Vez por outra venho aqui.Hoje estou exaurindo as cyperacae.Um amigo me pediu mais informações sobre a cebolinha.Existe a Hypoxis que também tem um tubérculo(só um ,enquanto a tiririca tem vários) ,é invasor e da mesma forma pode ser usada como o tubérculo da tiririca na alimentação:bolos,sucos,pães,etc.A imaginação é quem dita as regras da culinária.Vale-se dizer: "Or chata!"(separado mesmo e sem o "H" ,que significa do catalão :"é ouro ,querida!"é uma lenda sobre a sua descoberta em Valência .
Na Itália é o Zigolo dolce e na Alemanha é o Erdemandel(ou amêndoas da Terra)Além do uso culinário e de ser praga incontrolável para jardins e pastagens ela é usada como como enraizador dado a ação de seu fitohormônio.Na saúde usa-se na diabetes e tem ação remineralizadora.

Bom te visitar.
Salute!
A presto

JATeixeira
tubaltrentino.blogspot.com

Eurídice Sacramento Mariani disse...

Gostei muito dessa matéria. Li uma reportagem sobre gastronomia no Antigo Egito onde mencionavam o uso do tubérculo da tiririca em banquetes.