sexta-feira, 15 de março de 2013

Calçotada Catalana

Quem acompanha a novelinha do Come-se já conhece minimamente seus personagens. Do ceramista Rui Gassen e de sua mulher Mariângela, amigos queridos que hoje vivem em Terrassa, perto de Barcelona, já falei muito. E sempre me contam sobre os costumes de lá que julgam poder me interessar. Sempre acertam. 

Desta vez foram a uma calçotada. Achei curioso quando tentei comparar com alguma festividade como esta no Brasil. A maioria de nossas comilanças coletivas, feitas do lado de fora de casa, tem algo a ver com algum alimento proteico. Churrascos, peixadas, boi no rolete, afogado, porco paraguaio etc. Como prefiro pamonhadas, a calçotada tem mais a ver comigo que sequer tem churrasqueira fixa. O modo de comer os calçots lembra o jeito selvagem de se engolir turu na Ilha do Marajó, mas eu já estou de olho nos brotos de cebola que encontro na feira de orgânicos do Parque da Água Branca para fazer arremedos de calçots para serem comidos com o molho de amêndoas no prato. 

Cebolas orgânicas daqui


Eu adoraria estar lá na casa da amiga de dança da Mariângela para apreciar não só a calçotada, mas também as botifarras de javali, aguardentes e assados de cordeiro feitos pelo pai da moça, mas enquanto não posso contar minhas próprias impressões, deixo a palavra com o Rui, meu fiel correspondente para assuntos da Catalunha. Como retribuição, faço propaganda do seu belíssimo trabalho de cerâmica: facebook.com/rui.gassen. 



"Oi Neide! Saudades. Estes dias participamos de uma calçotada na casa de uns catalães. Estava ótima. A cebola que usam é a mesma que se usa na culinária do dia a dia, com a diferença de que é de 2 anos. Ou seja,  são os brotos  da cebola plantada no ano anterior. Os calçots são os brotos desta cebola. Tem este nome porque os brotos são "calçados" com terra fofa como fazem com o aspargo, para que o vegetal fique comprido e tenro. Na planície
perto de Tarragona, na cidade de Vals, fazem a festa dos calçots. É a terra da cebola. Eles colocam os calçots numa grelha e assam como se fosse churrasco. Depois de queimados, são retirados da grelha e enrolados em jornal para que continuem cozinhando. Depois de estarem todos assados são colocados na mesa. A aparência é feia. Tens que segurar o talo queimado e puxar as folhas do meio. Sai o miolo super tenro e quentinho. Em seguida, se mergulha o talo numa cumbuca de molho especial. Se levanta o calçot bem alto e vai largando
devagarinho na boca. É meio selvagem, mas é saboroso. Parece que estás comendo uma cobra. Fica gostoso intercalar com uns goles de vinho servido no Porró.  Dá uma sujeirada danada,  por isto se come fora da
casa, na varanda onde está  a churrasqueira. Todo mundo fala que a chave do sucesso é o molho. A Mariângela vai te mandar a receita. Acho que comi uns 10 talos. Junto servem o pà amb tomàquet. Abração!
Seguem as fotos. Rui Gassen" 


Fotos a seguir: acervo de Rui Gassen




9 comentários:

Cela disse...

Até eu que não sou chegada em cebola fiquei com vontade de comer isso!

Rui disse...

Neide! Adorei o título de fiel correspondente para assuntos da Catalunha.
Ficou muito legal o teu post da calçotada. Vamos encaminhar para a turma envolvida.
Agora que já tenho uma função oficial em relação ao Come-se, vou me empenhar mais. Tenho até uma matéria pensada e fotografada em mente. Te envio por mail.
Rui

Leticia Cinto disse...

Nossa, que legal! Nunca tinha pensado que alguém comeria cebola desse jeito, nem tomaria vinho assim! Muito interessante e fiquei com vontade de experimentar :)

Unknown disse...

que delícia de post e saudade de calçot com um bom molho romesco!

Andreas Schütz disse...

Oi Neide ... gostei do post, principalmente por incentivar o consumo de cebola. Digo isso pois sou produtor de cebola aqui em SC ;)

Gostaria de ver a sua versão de um molho para acompanhar esse prato.

Obrigado

Aleix Clemente disse...

eu sou catalão meu nome é Aleix clemente e desde que eu cheguei no brasil to com vontade de comer uma bona calçotada! m'agraden mooltissim els calçots e no sei onde achar aqui em são
Paulo.. sabe onde posso achar??

Alexandra disse...

Oi Neide... morei um ano em Barcelona e meu relacionamento com a comida mudou completamente. Indo nesses festivais de comida tipo o calçots, experimentando a comida típica daquela região - coisas super simples, verduras e carnes grelhadas, cogumelos selvagens, frutos do mar, ovos de gema laranjinha... a importância dos produtos locais... tudo isso fez com que eu percebesse a importancia dessa comida tão honesta. Quando voltei pro Canadá, onde eu moro, abandonei os supermercados e passei a virar freguesas das feiras dos fazendeiros locais... aprendi que tem como se alimentar aqui no Canada com produtos locais até no inverno!

Seu blog em uma inspiração, viu? Muito obrigada por compartilhar suas viagens e conhecimentos com o resto do mundo...

Alexandra

Neide Rigo disse...

Aleix, nunca vi o prato preparado aqui, mas você pode comprar cebolas novas com folhas na feira de orgãnicos do Parque da Água Branca.
Desculpe a demora em responder.

Alexandra, fico feliz de saber. Obrigada você.

Um abraço, n

Gabriela Diniz disse...

Calçots!! Amor prá uma vida inteira.

Ass: uma pernambucana explorando há 12 anos a Catalunya, recém chegada ao sru blog pelas mãos do bicho papinha e já apaixonada por essa casinha, lambendo os lábios, aaaaahhh, coisas de expatriados :) Parabéns!!!!