sábado, 5 de setembro de 2009

Bolo de cenoura com mandioca - sem glúten


Meu trabalho de iniciação científica na faculdade de nutrição foi criar alternativas para a dieta de pessoas, especialmente crianças, com doença celíaca - uma intolerância permanente ao gluten encontrado em cereais como trigo, centeio, aveia e cevada. Naquela época a única restrição ao glúten era mesmo para os celíacos. É claro que o trigo pode causar alergias em certas pessoas, mas agora virou moda maledizer o glúten como causador de obesidade e tantas outras desordens que dá até medo. Não sei de onde veio a moda, nunca encontrei nenhuma referência que me convencesse. De repente endeuzam algum alimento e demonizam outro. Mas isto passa (e já devem ter outros na fila). Fazer uma dieta sem glúten não é difícil desde o portador da doença celíaca se contente em não comer mais pães e bolos macios e fofinhos (já que o gluten é a cadeia que prende o ar expandido). Amidos como o polvilho azedo também apresentam alto grau de expansão e seguram bem as bolas de ar quando o produto é assado, mas têm a desvantagem de ser grudentos. Então, o desafio é este - driblar estes comportamentos. Daí o surgimento de mistura de farinhas para substituir o trigo. Lembro de ter criado um monte de receitas à base de milho, inhame e mandioca na época. Mas a ideia do bolo de cenoura só me veio agora (a partir daquela torta salgada, posts atrás), mesmo porque não sou muito de doces. Usei a farinha de mandioca, que tem bastante fibra, para deixar a mistura menos grudenta. E, se quer saber, não ficou nada grudento. A Ananda que adora bolos, disse que não dá nem pra perceber.
Bolo de cenoura com mandioca
Massa
5 ovos
1/2 xícara de óleo ou azeite
180 g de cenoura (2 médias) cortada em rodelas
180 g de mandioca crua descascada picada em cubos
1 xícara de açúcar
1 pitada de sal
1 xícara de farinha de mandioca bem fininha (tipo baiana ou polvilhada de Santa Catarina)
1 colher (sopa) de fermento
Cobertura
1/2 xícara de açúcar
1/4 de xícara de leite
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de manteiga

Modo de fazer: coloque no liquidificador os ovos e o óleo. Ligue o aparelho e vá juntando as rodelas de cenoura. Em seguida, junte a mandioca picada. Bata bem até ficar tudo bem triturado. Passe para uma tigela e junte o açúcar, o sal, a farinha de mandioca e o fermento. Mexa com batedor de arame e despeje em forma média com buraco no meio untada com manteiga e polvilhada com farinha de mandioca. Leve ao forno médio e deixe assar por 40 minutos ou até ficar dourado e firme. Desenforme e coloque a cobertura.
Cobertura: misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Deixe cozinha, mexendo de vez em quando, até adquirir consistência de mingau. Espalhe sobre o bolo.
Rende: 16 fatias

8 comentários:

Rita disse...

Oi Neide

Sou nova aqui no seu blog, estou adorando. Esse bolo ta com um acara otima!

Luciana disse...

Oi Neide,

Fiz a receita e ficou maravilhosa. Obrigada! Luciana

mari disse...

Oi Gente!! Cheguei a esta receita por excesso de mandioca e cenoura aqui em casa. A cenoura eu mesma tinha comprado, estavam lindas, o rapaz da feira só vendia o saquinho fechado e comprei uma porção. A mandioca duas tias compraram, descascaram e congelaram pra mim na mesma semana, e calhou de eu ter um monte de mandioca aqui em casa. Aproveitei as duas coisas, achei esta receita e resolvi fazer o bolo, embora meio descrente. Para minha surpresa, ficou maravilhoso. Achei que ia ficar borrachudo, mas não! Fica macio, muito bom mesmo. recomendo!!!!!

Luciana Franco disse...

Olá, Neide e celíacos,

Faço KÉKI e Panelinha sem glúten. Os KÉKIS são bolinhos sem glúten fofinhos de cacau, nozes, laranja, amêndoas, feitos inspirados nos doces pelotences da minha infância. E as Panelinhas sem glúten lembram quiches de queijo ou berinjela. Quem morar no Rio de Janeiro pode provar todo domingo na feirinha da praça José de Alencar, na Marquês de Abrantes no Flamengo. Sim, há bolos sem glúten fofinhos! Um beijo, Luciana

luiz disse...

Desenvolvi intolerância ao trigo. Os meus bolos tenho feito com farinha de arroz, polvilho e féculas. O resultado é bom. Para pães fica mais complicado. Estou testando receitas para fazer os bolos direto do próprio arroz crú, que é bem mais barato que a farinha de arroz. Ainda não está ideal mas to chegando lá. Faço tudo batido no liquidificador.

Anônimo disse...

Neide
Você é muito generosa com a socialização não só de receitas, mas também de conhecimentos e seu jeito de escrever é uma leitura tão gostosa quanto os pratos que fazes.
Nedi Ropk

Inês Silva disse...

Boa tarde Neide. Sou portuguesa e à pouco tempo foi-me diagnosticada a doença celiaca. Estou a gostar imenso do seu blog. Obrigada pela partilha fantástica de receitas.

Deyse disse...

Eu não sou celíaca e retirei o trigo da minha alimentação e emagreci 12 kg até o momento. O fato não é que estão demonizando o trigo, o fato é que não dá comer pouco trigo.
Eu adoro massas e achava uma tortura ter que comer pouco por causa de dieta! Melhor nem comer!