sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Pãezinhos para piquenique


A receita veio de uma velha apostila do curso de confeiteiro do Senac e o resultado, pães macios, foram para o piquenique. Achei que a textura fofinha e o adocicado da massa combinariam com a peperonata que fiz (e depois dou a receita) ou com fatias de pernil assado e compota de frutas - ameixa e damasco. Levei tudo separado para montar sanduíches na hora, pois sabia que crianças iriam querê-los simples, ainda quentes, com manteiga ou queijo cremoso. Se feitos em formato cilíndrico, viram pães para cachorro quente, que é o que a receita da apostila anuncia, aliás. Acho que poderiam ter ficado mais fofinhos se juntasse à massa um ovo. Não usei o melhorador que a fórmula pedia e substituí a gordura vegetal hidrogenada por manteiga. Lá vai a receita, então.
Pãezinhos para piquenique
1 quilo de farinha de trigo
1 colher (sopa) de sal
1/2 xícara de açúcar (90 g)
3 colheres (sopa) de leite em pó
1,5 colher (sopa) de fermento biológico seco dissolvido em 3 colheres (sopa) de água
Meia xícara de manteiga sem sal (100 g)
600 ml de água
Numa bacia, coloque a farinha de trigo misturada com o sal, o açúcar, o leite em pó. Faça uma cova, coloque aí o fermento diluído e vá juntando a água aos poucos e mexendo até a massa ficar ligada. Junte, então, a manteiga em pedacinhos e comece a sovar com as mãos. Adicione o restante da água aos poucos até formar uma massa homogênea, brilhante, que se solta das mãos. Cubra com plástico, deixe crescer até dobrar de volume e então faça os pãezinhos com 35 ou 40 g cada um (é mais fácil fazer um rolo com a massa, cortar pedaços e moldar bolinhas). Coloque os pãezinho em forma untada e enfarinhada, com espaço entre eles. Deixe crescer novamente e leve ao forno médio para assar por cerca de 30 minutos ou até que fiquem dourados. Não precisa, mas se quiser - e eu quis, pincele ovo batido na superfície dos pãezinhos antes de levar ao forno.
Rende: cerca de 50 unidades
Nota para as variações: não testei, mas da próxima vez vou incluir o ovo (e descontar seu volume reduzindo a água). E também vou começar com toda a água e só então vou juntar a farinha aos poucos. Sei que não é o método mais recomendado pelos padeiros de plantão - para nunca alterar a proporção de farinha em relação aos outros ingredientes, mas eu me sinto mais segura fazendo assim e sempre dá certo. A manteiga vou deixar totalmente para o final, quanto a massa já estiver boa. Vou juntá-la aos pedacinhos e incorporando à massa - assim a gordura fica entremeada à malha de gluten já formada. Vou substituir também o leite em pó pelo correspondente em leite líquido que será descontado da água da receita. E vou deixar os pãezinhos depois de moldados crescerem mais - poderiam ter ficado ainda mais fofinhos se eu não estivesse atrasada para o piquenique. Se você testar alguma mudança antes de mim, me conte.

11 comentários:

clau disse...

Sabe Neide, ja ha um bom tempo estou procurando uma receita de paezinhos deste tipo, que vc fez.
Entao, eu vou pegar a sua receita e, assim que puder, tentar fazer com as modificaçoes preconizadas por vc.
Valeu!
Bjs!

clau disse...

Ah Neide, nao sei se vc ja sabe disto. Mas a Andrea, ali do blog "Dia de Domingas", nos passou uma dica que é muito boa e eu mm ja pude confirmar: pincelar com café forte os paezinhos.
Funciona benissimo!
Bjs!
Bjs!

Lu disse...

Oi! Neide!

Eu gosto de pãezinhos. Recentemente, aprendi uma receita, com macaxeira. Fiz, e ficou bom.

Abraço!

Aninha disse...

Acabei de fazer a receita! Usei leite normal, sem ser em pó. E acrescentei 1 ovo, diminuindo a água para 450ml.
Ficaram PERFEITOS! Deliciosos!
Muito muito obrigada pela receita!
: **

Ana Paula disse...

Neide,
por favor, gostaria de orientações sobre como preparar esses paezinhos na máquinha de pão. Outra coisa, posso usar o fermento fresco? Se sim, como devo proceder, dissolvo na água ou no acúcar?
Muito grata!

Neide Rigo disse...

Clau, obrigada pela dica! A mãe de uma amiga também faz isto. Vou tentar.

Lu, aqui também tem um de macaxeira: http://come-se.blogspot.com/2010/05/paozinho-de-mandioca.html.

Aninha, bom saber. Obrigada por dar este retorno.

Ana Paula, é só usar o modo "massa" (ciclo de 1h30). Ligue a máquina e vá acrescentando os ingredientes como está na receita. Talvez seja bom você reduzir ao meio a receita (eu faço a receita inteira, mas é por minha conta e risco, já que supera a capacidade da máquina). Depois de ter crescido a massa, o resto é igual. Se optar pelo fermento fresco, use 30 g ou dois cubinhos.

Um abraço,
N

eduardo disse...

Ola, Neide, adoro paes, e para mim, nessa receita, eu colocaria mais um pouco de fermento, uns 3 a 5% em relacao a quantidade de farinha(para um kilo, 30g a 50g)lembrando que quanto mais fermento menos tempo de espera para ele crescer.Acho que um ovo nao vai fazer muita diferenca para um kilo de farinha, eu acrescentaria mais!!Manteiga a mais tambem faria o paozinho ficar mais gostoso quando mordido e mastigado.E para dourar , misturar um pouco de leite a um ovo , umas duas pitadas de sal, e passar antes de colocar para assar.
abracos, eduardo

Ana Paula disse...

Oi Neide,
valeu pela orientação. Sempre visito o blog. É um dos meus preferidos. Você sempre tão generosa... Obrigada mesmo!

gulab.blog@gmail.com disse...

POXA! Se tivesse conhecido seu blog 1 semana antes! Passei horas na cozinha para fazer minha focaccia, com uma receita fofa dessas.... E pães com cara ótima

Yara disse...

Fiz os pãezinhos ontem, usei a máquina de fazer pão apenas para bater a massa (a minha está com alguma resistência queimada, ela bate mas não assa), usei o ovo, o leite em pó e fui adicionando a água aos poucos, pra dar a liga, já que fiz meia receita e não sabia calcular a água direito. Coloquei a manteiga no final, depois que a massa já tinha ficado quase homogênea. E usei o fermento seco, um pouco mais do que a metade da medida da receita inteira. Tirei da máquina, deixei crescer, moldei os pães, deixei crescer de novo, assei e o resultado foi: DELICIOSO! Pães levinhos, fofinhos e um marido um pouco mais gordinho, hehehe.

Fiz alguns recheados, ficaram bem bons também!

Obrigada por dividir essas delícias conosco!

Neide Rigo disse...

Yara!
Sou eu quem agradece por dividir sua experiência.
Quanto à sua máquina, verá que não faz muita falta o modo assar, já que o mais legal é só amassar e depois moldar os pães do seu jeito, em vez daquele quadradão sem charme.
Um abraço, N