quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Guariroba ou gueroba


Dois já estão prometidos

Há alguns anos, Marcos e eu compramos uma terrinha ao lado do sítio do meu pai, em Fartura. Isto, depois de já termos construído nossa casa na parte dele. A área é pequena, cerca de 18 mil metros, menos de 1 alqueire. Não podemos plantar nem construir nada porque a mata é protegida. Um pedacinho dela já havia sido desmatada para o plantio de 600 pés de cafés, uma mixaria que se soma aos do meu pai e rende alguma coisa. Mas compramos mesmo só para que a vegetação fosse mantida. Porque, mesmo proibido, todo mundo acaba desmatando para pasto ou lavoura, não poupando nem mata ciliar. Uma pena. Aí vem o Ibama, dá uma multinha e pronto. O estrago está feito e não há mais concerto. E queríamos justamente continuar protegendo aquele pedacinho de mata, que abriga pássaros, alguns felinos pequenos e bravos borrachudos, ui. Abrimos uma picada e de vez em quando vamos andar na trilha. Além deste prazer, nos dá também algum palmito guariroba que extraímos clandestinamente (sei que nem isto poderíamos fazer). Mas não tiramos mais que 2 palmeiras ao ano, só para consumo próprio (também para presentear a Eliana, goiana e cozinheira de primeira, a quem havia prometido). E, em compensação, plantamos vários outros pés de guariroba, pupunhas e juçaras pelo sítio. De modo que não nos sentimos assim tão devastadores.

Gurariroba (Syagrus oleracea)
Também chamado de garirova, gairoba, gairova, jaguaroba ou pati-amargosa, é uma palmeira típica do Cerrado, mas pode ser encontrado em outras partes, como em Fartura. O uso do seu broto na alimentação é herança indígena, e agora, quem gosta mesmo de consumir esta iguaria amarguinha, são os goianos e mineiros. O empadão goiano não é nada sem ele e seu amargor é indispensável.

Se cortar e deixar espostas, as fatias se oxidam e escurecem

Como preparar
Deve-se tirar toda a camada fibrosa e deixar só o miolo que pode ser cortado facilmente com uma boa faca afiada. De aço inoxidável, sempre. As fatias devem ir caindo dentro de uma bacia com água (ou água e limão), para não escurecer. Aí é só refogar em alho, cozinhar num pouco de água até amaciar. Pode ser temperado com pimenta, cebola, urucum (opcional), sal, pimenta-do-reino e muito cheiro-verde. Depois de cozido, em separado, pode ser juntado ao frango cozido. No arroz, também fica muito bom. Neste caso, basta juntar as rodelas na hora de refogar e ele vai cozinhar no mesmo tempo do arroz. Quem não gosta do seu amargor, pode aferventar em água com uma pitada de bicarbonato. Mas, sinceramente, acho que neste caso é melhor consumir pupunha ou qualquer outro palmito mais adocicado. Porque é justamente o amargor que lhe dá personalidade. Não sei se ele é vendido em São Paulo, mas no Centro-Oeste é fácil encontra-lo fresco ou em conserva.


Pratinho bem brasileiro: frango com guariroba, arroz com pequi, escarola refogada e pimenta

Fiz um ensopado com sobrecoxas desossadas e temperadas com alho, cebola, pimentão, pimenta, óleo de urucum, cheiro-verde. Cozinhei o palmito à parte e juntei ao frango quando ele já estava cozido e temperado. No final, acrescentei cheiro-verde picado e servi com arroz de pequi - arroz comum ao qual se adicionam sementes de pequi no momento de refogar os temperos.

Na panela de barro, o arroz com pequi fica muito melhor

Os pequis congelam bem, então, quando é época eu compro vários no Mercado da Lapa e deixo no freezer para quando der vontade. Ele é superperfumado e lembra um pouco o aroma do maracujá. É da turma do coentro, da jaca, do jiló e daqueles que atraem para si só dois tipos de sentimentos: amor ou ódio. Para quem ama, é só deixar as sementes para o fim, pegá-las com as mãos e ir raspando com os dentes a camadinha amarela e macia. À medida que se caminha para o centro do pequi, a coisa vai ficando perigosa por causa dos inúmeros espinhos. Para quem não tem o fruto fresco, há conservas bem decentes com a semente inteira ou só a parte comestível, em tiras. Pelo menos aqui em São Paulo, é comum nos Mercados municipais.

20 comentários:

Eliana Scaramal disse...

Deus meu?! Isso é maravilhoso! E ainda fez o arroz com pequi?! Me matou amiga!

Meninas morram de inveja pois amanhã vou conhecer pessoalmente a Neide e ainda ganhar uma Gueroba!!! Pois em goiás ela é chamada pelos mas simples de gueroba e não guariroba. hehehehe

Amei esse post amiga, me senti dentro da minha terra. :)

fezoca disse...

coisas que nunca comi, mas adorei saber que elas existem! :-)

quanta delicia nesse mundao. me sinto um pouco frustrada com a ideia de que vou morrer sem ter provado muita coisa legal.

um beijo! :-)

Elena disse...

Amiga, adorei saber que tem muita gente além de mim que gosta de comer estas maravilhas! A gariroba eu como em Morada Nova de Minas (MG), lá tem demais (!) e os pequis, por aqui mesmo.... Bjs.

Anônimo disse...

Adoro palmito amargo. Não sabia que o nome era este - guariroba. Faz mais de vinte anos que não como e me vem água na boca quando lembro. Onde se pode encontrá-lo? Moro em Santos-SP e já procurei nas feiras,mas sem sucesso.
Sônia

Paiva disse...

SOU GOIANO DE NASCIMENTO E SANTISTA DE CORAÇÃO.
MORO EM SANTOS E PLANTEI CENTENAS DE PÉS DE GUARIROBA, AQUI NA CIDADE TENHO 04 E AS CENTENAS ESTOU REPLANTANDO NO MEU SÍTIO EM PEDRO DE TOLEDO.
SE QUISER CONHECER UM PÉ DE GUARIROBA, VENHA ATÉ A RUA AUGUSTO PAULINO, 10, ESTÃO LINDOS, FRUTIFICANDO, HOJE COLHI 130 FRUTOS E VOU TRANSFORMA-LOS EM MUDAS.
PAIVA

Valmir disse...

Tenho mudas de gairova para venda, com nota fiscal e autorização do IBMA.
(016)9999-5409

Alexandra disse...

Só conhecia da música do Gilberto Gil.
Achei num mercado do Rio de Janeiro um vidro com Guariroba em conserva, comprei um mas não sei como prepará-la. Procurei na internet e achei você...Muito agradecido.

Anônimo disse...

Sou de Sampa , mas morei alguns anos em Uberlandia MG, e quando me disseram que o pastel de guairoba era bom eu não acreditei , mas depois de experimentar, foi demais não passava semana sem saborear essa iguaria, tendo que aprender a coloca-lo em outros cardapios., só não acho onde comprar aqui na capital - SP

Neide Rigo disse...

Anônimo! Você pode encontrar gueroba em conserva. No Chitão, no Brás. Hum... pastel deve ficar uma delícia. Vi hoje na TV.
Um abraço, N

sandra mantovani disse...

olá neide tb? olha adorei sobre o q li do palmito amargo em minas sempre q vou eu como muito pasteis c palmito amargo é bom demais e c uma galinhada mineira nem se fale bjssssssssssssss

Anônimo disse...

Olá sou goiano e adoro esse palmito, moro em Mato Grosso do Sul e plantamos o mesmo para consumo, pois aqui não tem o mesmo. Parabéns pelo Blog...

Luksjose disse...

Seu blog é uma delicia goiana!parabéns!

Anônimo disse...

Nó!
eu amo gueroba!!! como é dito aqui
em Goiás! rsrsrs
Minha família toda se delicia
com a gueroba feita com o frango caipira.

Legal de mais sua página sobre esse assunto!
Beijos.

gesiel disse...

Ola Amiga parabens por esta pagina deliciosa da ate fome so de ler.
gesiel Araujo
Sou mineiro moro no Df, amo cozinhar e ja comi muito gueroba que outras pessoas fizera e resovi experimentar meu prato não que ficou bom.


muito obrigado pelas dicas que Deus te abençõe e continue plantando que um dia desses vou lhe fazer uma visita.
geel.queiroz@gmail.com

cleide disse...

Eu amo, o meu pai faz plantio de gueroba!!!

Anônimo disse...

valdir a marcelino jales sp nota 10 para os comentarios o produto e maravilhoso ~tenho platas para comercio 015 17
97645469

Anônimo disse...

em Sao Paulo tem sim na cidade de General Salgado e regiao é bem conhecida a guariroba!

Anônimo disse...

sou de bauru - sp e desejo comprar umas 50 mudas de guariroba.
quem puder me atender, por favor se comunique comigo.
Devanir@pmcorretora.com.br

Anônimo disse...

em sp vende sim guariroba e pequi, apesar de serem em épocas de verão é possível encontrar estas coisas estranhas no mercadão municipal de sp. Há lojas (box) que enviam via correio pois estão em podes de conservas. estou em sp se quiserem me avise davidacunha@hotmail.com

Anônimo disse...

a guariroba que faço é diferente de muitas. tem um sabor que não amarga tanto e o tempero tem o diferencial.
tateno lanches/caldas novas e goiania/goias