sexta-feira, 15 de junho de 2007

Inhames e Carás

Inhame arroxeado de Fartura-SP, o grande. E branco, o pequeno, encontrado no mercado. A folha é de taioba.

Se você pensa que inhame tem sempre aqueles 200 gramas como as batatas, esqueça. Em Fartura já chegamos a colher bulbos de até 5 quilos. Este aí da foto pesou 1,5 kg. Eles podem ser brancos, arroxeados, rosados ou quase completamente roxos como os do Havaí, onde se faz um prato muito popular chamado Poi – o inhame cozido, amassado e deixado a fermentar (veja foto abaixo). Além de ser um alimento pouco consumido entre nós - uma pena, pois é mais nutritivo que a batata, há ainda uma confusão enorme em relação aos nomes que começou com Pero Vaz de Caminha chamando nossa mandioca de inhame. Depois, os lusitanos resolveram que o cará, já conhecidos pelos tupiniquins como Ka’rá, este sim era o inhame que conheciam das outras colônias. A confusão com a mandioca foi desfeita, mas entre carás, inhames e taiobas ninguém se entende até hoje. E não pensem que é só por aqui. Nos Estados Unidos, tanto o cará quanto a batata-doce laranja ou roxa, são chamados de Yam (como o nome português, deriva do africano nyame). Então, imagine como ficam as traduções....

 Agora, o importante é saber que o inhame-japonês  (ou taro, este de que falo) tem polpa lisinha, cremosa e o cará tem polpa mais granulosa. Ambos são deliciosos e podem ser usados no lugar da batata em nhoques, pães, ensopados, sopas. Eu costumo cozinha-los no vapor antes de qualquer coisa (fiz com costelinha de porco, meu pecado da semana, nham, nham). Mas podem ser assados e passados na manteiga ou cozidos no próprio ensopado. Só não vale comer inhame cru pois contém muito oxalato de cálcio que pode machucar a boca como pequenas agulhadas. Basta cozinhar e o efeito desaparece. Cará pode. Não é bom, mas, se achar alguma graça nisto, vá em frente.

Foto cedida gentilmente para o blog Come-se. De autoria de John Lind, Project Director da Kipahulu Ohana (http://www.kipahulu.org/), ong que se preocupa em preservar a cultura tradicional dos havaianos e mostra-la aos visitantes. Isto inclui aprender a lidar com o inhame (taro, kalo) para preparar o Poi. Para saber mais sobre o ingrediente e preparo, visite também http://www.poico.com/

9 comentários:

clau disse...

Oi Neide!
Acabei de ler este post por sua, propria, indicaçao.
E devo dizer que foi MUITO, mas muito mm, esclarecedor.
Pq eu sempre gostei de inhame, daqueles pequenininhos, de supermercado, sò pq nunca tive acesso a outro.
Mas vc me alertou de uma coisa essencial, que eu nem suspeitaria: ele ser rico em oxalato de calcio.
Pq eu tenho uma ligeira disfunçao metabòlica que me faz, ja, produzir tanta desta substancia!
E ela me termina por tudo mas, principalmente, nos rins e com estadas frequentes em hospitais...
Nao é sempre que podemos ter aquilo que gostamos, nao é verdade?
Pq a vida é assim.
Entao...penso que pra mim, a melhor opçao seria me "intoxicar" com a batata, mm!Hihihihi!
Valeu!
E lhe agradeço, de verdade!
Bjs!

Neide Rigo disse...

Clau,
mas ainda tem a opção do cará, que também é muito bom.
beijos,n

Eudetes Noleto disse...

Olá, Neide!
Li seu post sobre inhames e ainda tenho algumas curiosidades.
Mudamos pra uma chácara a pouco tempo e aqui tem muito inhame! Bem eu sempre os conheci assim: como inhame.Tem um senhor que mora aqui e é da região e me fez o maior medo que é inhame bravo e não é comestível. Gostaria de sabe se por fotos vc consegue identifica-los e se existe mesmo um tipo de inhame que seja comestível? Digo cozido.
Por outro lado estranhei quanto a toxicidade pois fiz tratamento com fito terapeuta eu eu tomava um suco com inhame (aquele pequenino redodinho) cru.

Anônimo disse...

As diferenciações entre inhame verde ou rocha e taioba verde ou roxa são relevantes? E quanto ao consumo de folhas e talos?

Anônimo disse...

boa noite e parabens pelo site , antes de qualquer coisa. bem maneiro mesmo!!
olha so, tenho uns caras roxos enormes no meu quintal, eh a primeira vez q planto e queria saber se ha um momento mais adequado para a colheita, lua, chuva, temparatura , essas coisas . abraçao . axe

Flavio Abreu disse...

Estou conhecendo agora esta hortaliça e gostaria de saber se existe algum ploblema de consumi-lo cru. Estou falando do cará do ar, não do que fica enterrado. Eu já provei e tem gosto de abacate. Li tambem em outro site que é necessário esperar que caiam da planta e se for arrancado, precisa-se esperar três dias para consumi-lo. Isso procede ?

Celia Cantao disse...

Amo esse alimento será que ele engorda

Celia Cantao disse...

Amo esse alimento será que ele engorda

Celia Cantao disse...

Amo esse alimento será que ele engorda