segunda-feira, 11 de junho de 2007

Friccó


Na véspera do feriado só queria sair o mais rápido possível desta cidade maluca que é São Paulo. Vivo aqui desejando estar lá no meio dos pintainhos, hortas, pomares e cafezais de Fartura, onde temos um pedaço de terra. Mas um convite amável me fez adiar a viagem em algumas horas. E é incrível como algumas coisas nos fazem ver a dimensão da nossa cegueira. Como não conhecia o Friccó, um restaurante italiano que já completa 10 anos? (aliás, razão deste evento que homenageia pequenos produtores de comida e de vinho). A casa é charmosa, sem afetações e a comida, maravilhosa. Em cada detalhe nota-se o carinho do casal, Rita e Sauro Scarabotta. Eles também não escondem o carinho alegre de casal . Para completar, os garçons são jovens, sorridentes e atenciosos. Saímos de lá, Marcos e eu, meio extasiados, pois além dos pratos feitos à perfeição (os ravioloni de berinjela, meio adocicados, me conquistaram), os vinhos, todos italianos da Decanter (http://www.decanter.com.br/ ), foram molduras perfeitas para eles. A arte foi de Guilherme Corrêa, um sommelier requintado, com taninos redondos e gentis. Isto já teria valido a noite, mas ainda teve Airton Gianesi (da Paulo Capri – http://www.capricoop.com.br/) mostrando ao vivo a fabricação do queijo fresco, que levamos para casa no final. E para contemplar todos os sentidos, Omar Izar tocou uma gaita como nunca tinha ouvido antes. Nesta hora o restaurante se aquietou para ouvi-lo enquanto assimilava todas as sensações.

O queijinho do Airton Gianesi quase pronto
Aqui, a receita feita pela Dona Marisa, da equipe do Friccó. Depois de ter degustado o prato com o divino vinho Centobricchi Langhe Rosso 2003 (80% de Barbera e 20% de Nebbiolo), parece não haver outra combinação possível neste mundo. Mas há sim, claro. É só perguntar para meu amigo Luiz Horta, link ao lado – ele vai indicar um espanhol, tenho certeza, mas tudo bem.

Ravioloni de berinjela

Ingredientes
Recheio
1 berinjela grande 1 pitada de sal
1 pitada de orégano
200 g de ricota bem seca passada numa peneira
400 g de queijo Brie ou similar cortado em cubinhos de 1 cm
1 ovo
1 pitada de canela em pó
1 pitada de noz moscada
150 g de queijo parmesão ralado
100 g de uvas passas branca sem sementes
Massa
Meio quilo de farinha de trigo peneirada
5 ovos
Molho e finalização
1 maçã Fuji pequena lavada e cortada em gomos
½ xícara (chá) de açúcar
½ xícara (chá) de água
80 g de mamão maduro e firme cortado em tiras finas
100 g de manteiga sem sal
12 folhas de sálvia fresca
50 g de amêndoas sem casca laminadas e torradas
Modo de preparo
Massa: coloque a farinha de trigo peneirada numa superfície lisa. Faça uma cova no centro e despeje os ovos misturados. Amasse até ficar com consistência lisa. Embrulhe com saco plástico para não secar e reserve na geladeira.
Recheio: corte a berinjela em fatias bem finas (se possível, use cortador de frios), no sentido do comprimento, e pique em cubinhos pequenos. Espalhe sobre uma assadeira grande e leve ao forno em uma temperatura média/alta, mexendo de vez em quando, até cozinhar (cerca de 25 minutos). Tempere com sal e orégano e reserve. Numa tigela, misture ricota, o queijo brie, o ovo, a canela, a noz moscada e o parmesão. Misture bem e, com as mãos, forme pedaços cilíndricos do tamanho de um croquete. Passe-os pela berinjela que terá a consistência de farofa e coloque de 4 a 6 uvas passas em cada croquete.
Fechando os ravioloni: abra a massa com cilindro ou rolo de macarrão, coloque uma unidade de recheio e feche bem como um pastel. Reserve.
Molho de frutas: faça uma calda de caramelo com o açúcar e a água. Passe os gomos da maçã Fuji rapidamente no caramelo fervente e deixe escorrer. Faça o mesmo com o mamão. Reserve. Numa frigideira, derreta a manteiga, acrescente a sálvia, a maçã e o mamão. Desligue o fogo.
Cozinhando e finalizando: cozinhe os ravioloni por 2 ou 3 minutos em bastante água salgada fervente. Escorra com cuidado e arrume nos pratos com o molho quente. Espalhe por cima lascas de amêndoas.
Rendimento: 4 porções

Friccò
Rua Cubatão, 837 - Vila Mariana
(11) 5084-0480/ 5084-0415

6 comentários:

Sofia Carvalhosa disse...

Deu vontade de ouvir esta gaita
que tocou no Friccó! sofia

Neide Rigo disse...

Gostamos tanto, Sofia, que compramos o cd e prometemos visita-lo em seu novo bar, onde toca com outros músicos nas sextas-feiras.
O Bar - Av. Lins de Vasconcelos, 2.090, Vila
Mariana, 5549-7284. 6ª, 22h/2h; R$ 10 a entrada
(nos outros dias da semana o imóvel é a casa dele)

Manuel Luz disse...

Sauro, amigo precioso, parabéns pelos seus 10 anos!
Manuel Luz

Anônimo disse...

Neide:
Parabéns pelo seu blog, que está simples e bonito.
Parabéns também pela sua perspicácia: frequento o Friccó desde quando era uma apertada lojinha de congelados e tudo o que você comentou é a pura verdade.
O capricho e o carinho são constantes, não apenas nos eventos especiais.
Porisso continuo frequentando o lugar a dez anos: sempre tem uma novidade mesmo para os clientes mais antigos.
Abraços
Wilson

glupt disse...

Hahaha Não Neide, não indicaria um espanhol, mesmo porque o Guilherme Correa é de uma acuidade única.(não consegui publicar comentário com meu nome :-(( acho que vou de anônimo mesmo...

Anônimo disse...

Oi Neide, tudo bem?
Em primeiro lugar parabéns pelo blog. Você escreve com muita perfeição e sabedoria, sabe selecionar os melhores lugares. Conheço o Friccó desde que foi inaugurado, posso dizer que tudo é feito com muito cuidado e capricho. O Sauro "propietário" é sempre preocupado em fazer tudo com muito carinho. Parabéns para toda a equipe.
Espero que sejam feitas várias outras matérias no Friccó.
Renato