quinta-feira, 31 de março de 2011

Quinta sem trigo 15: pastel de angu


Pastel de feira é bom, mas quem resiste aos tradicionais pasteis de angu? Entre São Paulo e Minas há variações aqui e ali, com uso de farinha de milho molhada em água quente, polvilho doce, polvilho azedo, fubá comum ou de canjica. Eu mesma já dei uma receita aqui diferente desta que apresento, mas também deliciosa. Mas, como ganhei ontem alguns autênticos ingredientes mineiros da Kris Nardini, do blog Cozinhando para relaxar, resolvi já usar parte deles para fazer o pastel de angu com o fubá de canjica (saiba mais sobre o que já foi publicado aqui sobre ele através da caixa de busca lá em cima) e o polvilho que vieram do Box do Chico, do Mercado Municipal de Uberlândia, que já estou doida pra conhecer. Vieram na mesma caixa farinha de milho branco torradinha, doces e balas embrulhadas em folha de bananeira e goiabada cascão, que já usei também como variação de recheio.
Procurei uma receita que fizesse juz ao nome - pastel de angu. A melhor foi a do Pastel de Itabirito, feito a partir de um angu de fubá de moinho de pedra e polvilho azedo. Segui o modo de fazer com algumas pequenas modificações que descobrirá ao comparar as duas receitas. A original, que mostra a técnica de montagem,
está aqui.
E aqui está a minha versão:







Massa feita com ingredientes do Box do Chico, do Mercado de Uberlândia


Pastel da angu


2 xícaras de água (480 ml)

500 g de fubá de canjica peneirado

1/2 colher (chá) de sal - ou menos para os pasteis doces

1 colher (sopa) de óleo

1 pitada de bicarbonato

1/4 de xícara de polvilho doce peneirado

1 ovo


Coloque numa panela a água, o sal e o óleo. Leve ao fogo e assim que ferver junte o bicarbonato e, em seguida, coloque o fubá aos poucos, mexendo rapidamente com colher de pau até virar um angu firme. Deixe cozinhar dois minutos mexendo e despeje sobre uma superfície de trabalho (mesa ou tampo de pedra). Acrescente o polvilho e mexa a massa ainda quente, sovando bem. Quando amornar um pouco, junte o ovo e continue sovando até ficar uma massa lisa e modelável. Deixe embrulhado em pano úmido até o momento de fazer os pasteis. E mantenha sempre assim, para não ressecar.



Se quiser, já divida a massa em 20 porções, faça bolinhas e deixe-as cobertas com pano úmido. Assim, ficará mais fácil na hora de abrir.



Para abrir e rechear: faça-o com as mãos, abrinho uma cavidade na massa com o dedo e colocando o recheio (na receita original, link lá em cima, tem fotos). Ou abra com rolo ou prensa entre duas folhas de plástico, que acho mais fácil. Coloque o recheio - duas colheres (chá) - e feche ainda mantendo a folha de plástico, para não rachar a massa. Para fechar, dobre as beiradas ou aperte levemente com um garfo. Aí é só fritar em bastante óleo quente.
Rende: aproximadamente 20 pasteis




Recheio de carne moída


2 colheres (sopa) de manteiga

1 cebola picada

350 g de carne moída (acém)

2 pimentas dedo-de-moça, verde e vermelha, sem sementes, picadas

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Salsinha e cebolinha picada a gosto
Numa frigideira aqueça a manteiga e doure a cebola. Junte a carne moída, a pimenta, o sal e a pimenta-do-reino e deixe refogar até a carne ficar bem sequinha e solta. Prove o sal e corrija, se necessário. Junte o cheiro-verde e espere amornar para usar.
Rende 350 g ou o suficiente para 20 pasteis


Recheios
: se quiser pode usar frango, coração de bananeira, banana com canela ou ainda queijo e goiabada - a goiabada também veio do Box do Chico.


No forno:
se não quiser fazer frituras, asse os pasteis no forno, em forma untada. Antes, pincele-os com gema para ficar mais dourados. A massa vai ficar flexível, mas gostosa.

20 comentários:

Neide Rigo disse...

Desculpem pela formatação. Tentei de todo jeito arrumar os espaços e, no fim, o Blogger fez o que quis. Paciência. Alguém sabe como se resolve esta insubordinação do Blogger, que de vez em quando acontece?

angela disse...

Descobri que um supermercado aqui, segundo o dono, tem sempre fubá de canjica, claro quenãotinha nodia em que perguntei...
Como assim "quem não resiste"? eu nunca tinha ouvido falar!! Ah..mas agora já ouvi!!será que assado funciona?

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Neide, quantos ovos levam na receita?

Mariângela disse...

Neide,eu AMO pastel de angu,há tantos anos não como,e nem sei quando comerei de novo esta delícia..agora,estou em crise profunda, o que hei de cozinhar para ti e Marcos mês que vem,ó senhor??? Dai-me uma luz hahaha!!Beijo querida!

remall disse...

pastel de angú, é a melhor coisa do mundo, eu mineirinha da gema, não me acostumei até hj, e continuo achando que toda vez que como é a primeira, de tão bom que acho.
essa semana fiz goiabada de comer de colher, acho que vai ficar uma delícia dentro do pastel, melhor que a cascão pois vai derreter muito mais.
coloquei um post sobre o doce, se tiver um tempinho dê uma espiadinha.
www.letrinhascombinadas.blogspot.com

Nina disse...

Ai, Neide, de todos os posts que já vi por aqui, esse é dos que mais me deu água na boca.

Eu amo, amo, amo pastel de angu! Comida de casa de vó, de roça, ai!!!

Beijo

weirdcombos disse...

Neide,
Que saudade que me deu das Minas Gerais. Que coisa boa versátil que é milho e que herança incrível dos habitantes originais desse incrível continente Americano.
Obrigado por mais este seu post bacana
Heguiberto

Neide Rigo disse...

Angela, pastel de angu é famoso pra paulistas e mineiros. Tenho culpa se é carioca? ...Assado funciona, sim. Falei disso no último parágrafo.

Carolina, obrigada pelo alerta.Já arrumei lá. Um ovo.

Mariângela, tanta coisa importante pra se preocupar. A gente inventa na hora. O importante é estar aí.

Remall, vou lá! Adoro goiabada!

Nina, eu conheci pastel de angu depois de adulta, mas também virou comida de infância.

Heguiberto, pois é... este milho que não é só comodite.

Um abraço, N

Kris Nardini disse...

Que delícia ver os mimos que enviei tão bem empregados! E ainda por cima em uma receita que os mineiros adoram!
Ficaram com uma cara ótima!

Neide, a farinha torrada é de mandioca amarela, e não de milho. É a famosa farinha bijú de mandioca. Aqui fazemos tudo com ela, de pirão e feijão tropeiro à farofa!

Beijo

Myriam disse...

Neide, menina, oc~NUM SABE A ALEGRIA QUE TIVE AO VER ESSE PASTEL DE ANGÚ, adoro tudo que é de fubá, só que nunca pensei em fazer pastel! Moro em Poa, RS, e aqui encontra-se o fubá grosso, e adoro usá-lo para fazer chapati, que deixo bem sequinho e fica que nem biscoito, crocantinho.Quanto à receita ddo pastel de angú, não sei como é o fubá de canjica, como é ele, fino,médio ou grosso? se puder explique-nos. Em fev. e março fiz goiabada cascão de colher, vou usá-la no recheio tb. embora prefira salgado.Cê vê (mais um pouco de mineirice),sô lá de perto de Muriaé e não conhecia pastel de angú.

Neide Rigo disse...

Kris, super obrigada mais uma vez.
É verdade, é farinha de mandioca beijuzada, que eu adoro. Obrigada pela correção.

Myriam, como disse no post, já falei várias vezes sobre o fubá de canjica, como por exemplo aqui: http://come-se.blogspot.com/2010/08/broinha-de-fuba-de-canjica.html

Um abraço,
N

angela disse...

Comprei hoje o fubá de canjica da marca Ki-Flor
Estou lutando pra fazer o cracker.
Usei manteiga. eca.. não gosto nem do cheiro dela :-( mas a NEIDE MANDOU e eu OBEDEçO!
Comprei manteiga caseira também hoje, ainda não provaram .

cronicas gulosas disse...

adoro , adoro pastel de angu. Acho que é uma das principais razões de voltar a Tiradentes...Agora, achei insuportavel de bonito o seu cortador de pasteis, com um "garfinho" acoplado...abs!

Anônimo disse...

Bom Dia !
Neide ,svp,PODES INDICAR A QUANTIDADE DE ÓLEO ?
Obrigado !

Pastel

2 xícaras de água (480 ml)
500 g de fubá de canjica peneirado
1/2 colher (chá) de sal -
1 pitada de bicarbonato
1/4 de x de polvilho doce peneirado
1 ovo

Coloque numa panela a água, o sal e o óleo- QUANTO DE ÓLEO???

Lee Arts disse...

Humm que delicia, me parece muito bom, mas quanto vai de óleo?

Neide Rigo disse...

Lee Arts e Anônimo! Obrigada por terem notado a falta do óleo: 1 colher (sopa). Já arrumei no post.
Um abraço, N

Lee Arts disse...

Neide eu fiz, o pastel de angu, ficou uma delícia, fiz com fubá fino e temperei a carne com canela manjericão hortelã e pimenta alho cebola era o que eu tinha rsrsr, obrigada bj.

Silvia - BH disse...

Neide,

Outra mineira. Aqui em BH tem um bar Pastel de Angu(não o conheço). A primeira vez que comi o recheio era carne moída com umbigo de bananeira e uma pimentinha leve. Inesquecível. Mas acho que sou como Remall, toda vez é uam primeira vez.

A farinha que a Kris enviou parece com a copioba http://come-se.blogspot.com/2007/09/farinha-de-copioba.html ou é a própria? Como a Kris fiquei fã desta farinhas de mandioca finas.

Anônimo disse...

Nãosei o que aconteceu. Parece que a quantidade de água não foi suficiente. Ficou uma farofa ñ deu liga. Queria tanto comer esse pastel...

Neide Rigo disse...

Anônimo,
você usou o fubá de canjica? Faz muita diferença.
n