quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Mesa do Come-se no Paladar

Ajudas preciosas: Henrique e Georgia. O primeiro experimentou as formigas da dona Brasi que descongelei para mostrar a quem não viu no evento do ano passado.
Apoio familiar e ajuda imprescindível: Marcos teve que se virar na minha ausência pra explicar aos curiosos cada ingrediente da mesa do Come-se. Neka Mena Barreto, de colete preto, era uma das mais interessadas
Nos dois primeiros dias do Paladar - Cozinha do Brasil, Beto Pimentel, do restaurante baiano Paraíso Tropical, deixou montada uma linda mesa com produtos da Bahia (pindoba, licuri, fruta pão, bilimbili, dendê etc). No último dia, a mesa foi do Come-se. Levei tudo o que tinha aqui em casa e mais um pouco, além dos ingredientes da aula de sexta-feira, "Tinha uma Horta Aqui". Quem passou por lá teve oportunidade de ver jacatupé, mangarito, araruta, óleo de bati, óleo e lascas de buriti, batatas doces de várias cores, inhames gigantes, cruá do meu quintal, alho negro da Marisa, orelhas-de-padre e feijões de todo tipo entre outros assuntos do Come-se.
O vídeo o Paladar em que Beto Pimentel e eu (pega de surpresa) falamos um pouco dos comes desta mesa do Come-se estão também lá no site do Terra Madre Brasil: http://terramadre.slowfoodbrasil.com/e-uma-fruta-e/ (acho que eu tinha tomado uns bons goles de vinho...).

4 comentários:

Lidia Santos disse...

Que raiz/tubérculo imenso eram aqueles marrons da primeira foto?!? São inhames/taros?

É uma pena que eu não posso ir a esses eventos... adoro!!

Bjs!

Neide Rigo disse...

Oi, Lídia! São taros/ inhames do sítio do meu pai. Cada um com mais de três quilos. Um abraço, N

Dricka disse...

Neide que sotaque mais delicioso do Beto Pimentel.
E vc tava linda no video!

Ana disse...

Eita que beleza !!!!