quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Horchata de chufas. E amido de chufas, farinha de chufas, pão de chufas, mingau...



Foi por causa destes dois posts publicados aqui (http://come-se.blogspot.com/2008/01/batatinhas-de-tiririca-ou-chufas.html) e (http://come-se.blogspot.com/2007/11/carreguei-ontem-estes-dois-livrinhos.html), que recebi o email da leitora Clélia: 

Faz pouco tempo que descobri seu blog, mas estou maravilhada, gosto de como vc descreve as coisas simples e prazerosas da vida, gosto da maneira como você enxerga o Brasil e a nossa cultura e gosto muuito das receitas que vc cria ou simplesmente dá o seu toque pessoal.
Neide, eu li numa postagem que eu acho que é de 2007 que você gostaria de experimentar a horchata de chufa (eu não sei se você já logrou isso) e eu quero te mandar um pouco te chufa para que você possa preparar sua horchata. Se você ainda estiver interessada me mande seu endereço que eu te envio (ainda estamos em temporada), é claro que aqui se toma chufa o ano inteiro nestas embalagens tetra, mas é durante o verão que se pode saborear uma horchata recém preparada nas sorveterias valencianas que é onde se toma os melhores sorvetes na Espanha. Bem, estarei aguardando o seu e-mail. Beijos da sua mais recente seguidora, Clélia Regiane


Não me fiz de rogada e, claro, mandei o endereço. Achei que demoraria um tempão, mas logo chegou. Agradeci e pedi a receita da horchata:

Oi Neide! Que surpresa agradável, pois eu pensei que você demoraria a receber o pacote devido a greve dos correios, fico contente que não tenha se perdido pelo caminho e tomara que você goste. Quanto as receitas eu não tenhp nada que possa chamar de minha, mas, poderia te dizer que a horchata eu preparo como prepararia um leite de soja ou melhor um leite de amêndoas ou de arroz, já que não necessita da parte do cozimento como a soja. As quantidades: 1 litro de água, 250 g de chufa, açúcar a gosto. Mas existe uma infinidade de coisas que vc pode fazer com a horchata ou chufa de uma olhada nesta página www.chufadevalencia.org


Mandou junto um pouco de açafrão

Ah... já ía me esquecendo, também te mando um pouco de açafrão que também é cultivado aqui na região e contão os antigos que no passadoquando uma mulher se casava levava sua porção de açafrão que era para condimentar a paella e socorrer a nova família em caso de dificuldades financeiras.Se quiser nos visitar estamos na costa mediterânea numa cidadezinha chamada Dénia.




A horchata: bem, fiz a receita de horchata, seguindo a recomendação da Clelia e as orientações do site que me enviou. Como vi receitas que usam 250 g de chufas frescas para 1 litro de água e o que eu tinha eram das secas (que tinham peso maior quando estavam frescas), usei mais água - quase 2 litros. As chufas secas precisam ser demolhadas por 24 horas e, assim, ficam inchadas bem leitosas. Ela me mandou dois sacos e eu precisei tirar de perto de mim, porque estava comendo tudo como se fossem nozes. No começo a casquinha é um pouco incômoda, mas depois a gente se acostuma com ela e as chufas viram avelãs, amêndoas cruas, deliciosas, crocantes.



Bati no liquidificador, espremi bem no pano. Achei que poderia ter ainda uma segunda extração e juntei mais água ao farelo e tirei mais uma jarra menor de horchata branquinha, densa, refrescante. Por isto, acho que usei uns dois litros. O conteúdo da primeira jarra estava mais forte no sabor e o da segunda, mais suave, mas a diferença não é muito marcante, não. Talvez porque eu realmente devesse triturar mais na primeira extração. Adocei e tomei com gelo. É meio viciante, já vou avisando. 


A farinha: o que sobrou no pano, fiquei com dó de jogar fora e coloquei numa peneira, sobre outro pano seco e levei para secar ao sol (sorte que fiz isto antes da chuvarada do feriado). O que fazer? Não estava com tempo de pesquisar nem mesmo pra saber se esta farinha existe - se não existe, é um desperdício, pois é gostosa, crocante, dá pra fazer farofas ou colocar no pão. Como pão é assunto corriqueiro aqui em casa, foi para o pão. Depois de seca, a farinha pesou 80 g. 






O amido:  as chufas são ricas em amido e também em gorduras boas (com grande proporção de ácidos graxos monoinsaturados, como o azeite), além de proteínas. Então, assim que se acaba de bater, ela é bastante espumosa e rica em sabor. Como bebi imediatamente, o amido estava disperso e foi ingerido junto com o líquido (embora amido não seja solúvel em água) porque não tinha tido tempo de assentar. Mas assim que teve tempo, sedimentou todo no fundo da jarra. Você pode mexer a cada vez que vai tomar. Mas eu gostei disso e quis fazer experiência de usar este amido sedimentado.  Então, misturei novamente, coloquei numa travessa (para ficar mais fácil de secar), esperei sedimentar, escorri a horchata e deixei a camada branca secando. Tirei os blocos secos, passei por peneira e estava pronto o amido, fino como um talco, uma maisena. Como disse, o conteúdo da primeira jarra já tinha sido tomado com o amido e tudo, então o rendimento de amido deve ser o dobro do que obtive (25 g de uma jarra).  Na real, deve ser mais ou menos 60 g de amido por 250 g de chufas secas (já que a primeira jarra era maior e eu não separei o amido).  Uma quantidade bem considerável. Usei para fazer mingau e o resultado é parecido com aquele feito com amido de mandioca - parece ter bastante amilose porque o mingau fica muito viscoso. Deve servir para fazer biscoitinhos etc.  


Para o pão, usei 300 g de levain reformado um dia antes, 2 xícaras de água,  2 xícaras (70 g) de farinha de chufas, 1/2 xícara de azeite, 1 ovo, 2 colheres (sopa) de mel - rasas, por favor, 1 colher (sopa) de sal  - rasa, sempre rasa. E farinha até dar o ponto, cerca de 850 g. Antes de assar, rolei os pães umedecidos sobre o restante da farinha de chufas. O pão fica macio e crocante, como aqueles feitos com castanha-do-pará. Com a vantagem que tem bastante fibra. Sobre levain, sobre substituição dele, sobre o jeito de fazer, etc, é só olhar o post do pão de caldo de cana: http://come-se.blogspot.com/2011/10/pao-com-caldo-de-cana.html

Para o  mingau, usei 1 xícara de leite e 1 colher (sopa) de amido, uma pitada de sal e duas colheres (chá) de açúcar. Misturei tudo e levei ao fogo, mexendo sempre, até engrossar. Servi no café da manhã, com canela e nhac! Delicioso. 


E, para saber tudo sobre as propriedades da horchata e das chufas, veja aqui: http://www.chufadevalencia.org/ver/19/Propiedades.html


Ah, já ia esquecendo. Depois de deixar a horchata por um dia na geladeira ela cria uma nata densa, já que as chufas são ricas em gordura. Colhi de colherinha e achei incrivel o sabor. Já fiquei pensando na manteiga de chufas...  Será que existe?

Clélia, obrigadíssima pela oportunidade de viver esta experiência com as chufas valencianas! 


10 comentários:

Mariangela disse...

Neide,aqui na Catalunya,Orxata!!!!

Beijos!

Margot Carone disse...

Neide, quanta coisa se pode fazer com as danadinhas. Horchata ou Orxata eh uma das bebidas que eu mais adoro! Na espanha soh achei as feitas com amendoas e faco aqui em casa, de vez em quando, com bastante gelo e menos acucar (as vezes por lah a galera exagera na quantidade). Ja adicionei canela e outras especiarias mas prefiro mesmo, pura. Agora voce me inspirou e vou fazer uma horchata com Cobnuts(uma variedade da avela) que esta na epoca aqui e tentar usar o resto como voce fez, para paes, mingau etc. Adorei o post! Bjs

Jesus te ama! disse...

nunca provei . deve ser boa!!!
um lindo dia amiga.

Anônimo disse...

Olá,

Não só existe a farinha de chufa como sabonete, óleo, cosmética e inclusive se está a estudar a possibilidade de que a farinha passe a ser utilizada na indústria da panificação.
Deixo alguns links com informações:

http://www.biochufas.com/harina-de-chufa-bio-harina-de-chufa-de-cultivo-ecologico.php

http://www.consumer.es/seguridad-alimentaria/ciencia-y-tecnologia/2009/01/05/182502.php

http://www.lahorchateria.com/art.php?cod_cat=000004&nivel=03&func=list
Receita (desculpe mas a envio em espanhol)

Receta
Ingredientes
300 gr de chufas de Valencia
1 l de agua muy, pero que muy, fría
95 gr de azúcar glas

Preparación
1. Poner las chufas en un recipiente con agua cubriéndolas durante 8 horas para conseguir su hidratación. Cambiar un par de veces el agua.
2. Una vez rehidratadas las chufas, enjuagarlas.
3. Triturar las chufas lavadas junto con 700 ml de agua muy fría. Prensar y tamizar la pasta que se obtiene poniendo en un colador una gasa, envolviendo la pasta y apretando la pasta, para sacar todo su jugo.
4. Añadir a la horchata que hemos obtenido los otros 300 ml de agua muy fría. Remover y volver a colar en el colador con otra gasa nueva, para eliminar cualquier residuo de chufa triturada.
5. A este extracto final se le añade el azúcar, agitándolo bien para disolverla. Se puede utilizar azúcar granulada normal. (Blog webosfritos.es)

La horchata debe enfriarse rápidamente a temperaturas de 0°, y lo ideal es servirla a 2°.

Cristina

Clélia disse...

Neide sua danada, vc realmente é surpreendente, ficaram maravilhosos os pães e o mingal, muito boa a idéia de aproveitar a farinha (eu jogava fora rsrrs) não jogarei mais.
Fico feliz de que vc tenha gostado.
Beijos

Rz disse...

Adoro horchata de chufas! Onde mesmo você compra?
Abs, Rz

Mariana disse...

Neide, tudo bem?
Acompanho seu blog há um tempo.. Tudo muito interessante! Parabéns.
Só para ver se eu entendi o que é a(o) tal horchata...Então, aquele "leite" de soja comercializado aqui no Brasil pode ser feito em casa e denominado horchata de soja?
Obrigada
Beijos

Alba disse...

Aqui na Espanha a gente chama de 'horchata' o leite de chufa. Se o leite for de qualquer outro tubérculo ou semente a gente chama só de leite (leite de soja, leite de amendoa...)

Embora exista a farinha e outros subproductos da chufa, sao difíceis de achar, pois o uso tradicional é pra fazer horchata ou pra comer o tuberculo como se fossem nozes.

Me lembro bem quando eu era criança, ficava esperando o verao o ano inteiro, pois era (ainda é) a única época onde a chufa podia ser comprada em embrulhos de papel de jornal e ser comida na hora nas feiras e festinhas de verao.

Obrigada pelo seu magnifico blog Neide, o seu estilo de vida é inspirador.

Abraços

Alba

Vanessa disse...

Nossa, quanta brasileira na Espanha, hahaah! Eu não gosto nada de horchata, pena. Mariana, pelamordedeus, deixa já de tomar leite de soja.

Ramom | 自由 | disse...

Acabei chegando aqui via Mungo-Verde, mas adorei seu blog, esses derivados de chufas parecem estar deliciosos, qualquer dia vou tentar fazer uma Horchata aqui em casa.
Ainda vou explorar muito o universo do seu blog, bjs, bye bye