segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Fruta-de-lobo ou lobeira. Resposta à charada do post anterior


De novo, quase todos palpiteiros mataram a charada. É fruta-de-lobo ou lobeira (Solanum lycocarpum), também conhecida como capoeira-branca, berinjela-do-mato, juruberbão, baba-de-boi, loba ou jurubeba-de-boi.
O arbusto da família das Solanáceas e parente, portanto, da jurubeba, do jiló, do tomate e da berinjela, pode chegar a cinco metros de altura. Estes frutos vieram do Sítio do Bello, em Paraibuna e a árvore era bem alta. Coletamos só aqueles que haviam caído, ainda verdolengos. Em casa, embrulhei e deixei amadurecerem, quando ficou com a polpa macia.
É considerada uma planta daninha porque multiplica-se não só por sementes mas também é capaz de rebrotar quando cortada. Pode ser encontrada em quase todo o país, especialmente em áreas de cerrado. Toda a planta é espinhosa e até a parte de cima do fruto, o que não o impede de ser o alimento preferido dos lobos guarás, chegando a compor quase metade da sua dieta. Dizem que os frutos agem contra um verme dos rins dos lobos.
De longe se sente o perfume dos frutos, incrivelmente aromáticos, lembrando um pouco mangas super maduras. Com a maturação, o cheiro começa a ficar mais forte, mas não desagradável. Já o sabor... Bem, além de nutritivos, ricos em amido, vitaminas e minerais como a maioria dos frutos, costumam ser usados no tratamento caseiro para vários tipos de enfermidades e no preparo de doces e geleias. Agora, se alguém me perguntar se é gostosa, respondo: "come-se". Pelo menos é o que dizem alguns estudos, como se vê no artigo "Atividade antioxidante de frutas do cerrado" publicado na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos (veja o texto todo aqui):
A lobeira (Solanum lycocarpum) também conhecida como fruto do lobo ocorre no cerrado, cerradão e campo sujo, sendo seus frutos produzidos de julho a janeiro. Os frutos da lobeira são comestíveis e reputados como medicinais. A polpa é enjoativa, possui cheiro muito ativo e penetrante e contém alcalóides de natureza pouco conhecida. A infusão da raiz da lobeira é usada contra hepatite e o xarope dos frutos, contra asma. Um pó branco extraído do fruto verde é também utilizado para combater diabetes. Os frutos verdes contêm solasodina, substância química precursora de esteróides.
Já outro artigo, "Constituintes químicos da fruta-de-lobo (Solanum Lycocarpum) durante a maturação", publicado na revista Ciência agrotécnica da Universidade Federal da Lavras, citando outro autor (HOEHNE, F.C. Frutas indígenas.), afirma: Por apresentar aroma agradável e uma polpa abundante e adocicada, é usado como alimento pelos sertanejos. Contudo, existem opiniões diversificadas entre eles, enquanto alguns acham o fruto comestível e inofensivo quando maduro, outros o acham nocivo e até mesmo venenoso. Mas, os autores do trabalho chegam à seguinte conclusão: O conteúdo de fenóis foi baixo, o que favorece a sua utilização como alimento alternativo. Artigo completo aqui.
Gostaria de poder chegar aqui hoje e afirmar que a fruta é uma delícia e muita coisa boa dá pra ser feita com ela. Mas depois de vários testes na cozinha, estou me apegando na afirmação aí em cima (no primeiro artigo) que diz "A polpa é enjoativa, possui cheiro muito ativo e penetrante e contém alcalóides de natureza pouco conhecida". Principalmente quanto aos alcaloides desconhecidos. Acontece que o tipo de amargo que não consegui tirar mesmo eliminando as sementes ou deixando de molho em água e sal ou vinagre, me soou como uma alcaloide bem suspeito, já que ele não é sentido na superfície da língua, como seria o caso do jiló, mas volta segundos depois como um amargo desagradável com uma ligeira travada na base da garganta, daquele amargo rascante ou um retrogosto duvidoso e persistente - depois de uma hora de ter experimentado o chutney e o doce, ele ainda persistia.
Chutney e doce. Bom sabor, bom rendimento, mas retrogosto ruim e suspeito
Pela semelhança com a manga, escolhi uma boa receita de mango chutney na esperança de que o vinagre, o açúcar e as especiarias combinassem com o frutado amargo. Mas que nada. No doce também temperado com cravo o amargor continuou indisfarçável. Como disse, na boca não é ruim, come-se. Mas indesejável é a sensação na garganta.
Pode ser que haja outros jeitos de se preparar e eliminar o problema, que eu não tenha sabido lidar com o fruto. Pode ser que haja diferença de sabores de acordo com o habitat. Pode ser que quem cresceu comendo esta fruta tenha o gosto adquirido. Ou pode ser que a fruta não tenha sido domesticada (com seleção dos melhores frutos para reprodução) a ponto de conquistar um número maior de consumidores. Por enquanto, passo e deixo aos lobos.

O fruto é lindo, cheiroso, muito doce e tem polpa macia, quase como abacate

27 comentários:

chopp disse...

Fiquei curiosa pra conhecer o gosto, obrigada pelo post!

sonia a. mascaro disse...

Que interessante este post, Neide! Não imaginava que o fruto da lobeira pudesse ser comestível para nós humanos...
Você tem razão, os lobos-guará precisam ter na sua dieta esse fruto, que serve como um vermífugo natural contra a parasitose renal provocada por um nematóide. Na ausência desse fruto, o animal morre de complicações renais. Uma das causas da mortalidade dessa espécie é a devastação do Cerrado e consequente ausência da lobeira.
Fiz um post sobre o lobo-guará, que encontrei andando na Rodovia Raposo Tavares, perto de Campos de Holambra, exausto, assustado, correndo risco de ser atropelado.
Tendo tempo de ver, o link para o post está
Aqui.
Bjs.

Mari Falcão disse...

Olá, Neide!
Quando vi o post, não acreditei! Pensei "ela conseguiu!", mas pelo visto o amargor da nossa tão perfumada lobeira não tem solução... Desde muito pequena, ouço falar que a fruta é veneno e tudo mais. Acho que era pra espantar nós, crianças, dos pés espinhentos e das frutas que davam água na boca com o cheirinho parecendo fruta vermelha, mas que no fundo eram bem amargas! Floripes, uma senhora que vivia com minha avó, tentou a vida inteira fazer doce de lobeira e nunca conseguiu... era a maior frustração dela! Ela repetia o mesmo que vc em outros termos: "o doce fica 'margoso' no final, não há açúcar que dê jeito nisso"... Era o retrogosto! Mas que dá vontade de meter a boca naquele frutão cheiroso, dá, não é mesmo?!
Adorei ver essa fruta de novo, que há muito sumiu dessas bandas de cá, agora só no mato mesmo!

Anônimo disse...

Neide!!

Não consigo nem ver a fruta do lobo, como é conhecida aki na minha cidade mariana MG, uma vez eu e meu pai comemos uma fatiazinha, lembra um pouco a mistura de abacate com melão, no dia seguinte liguei para o meu pai e perguntei como tinha passado a noite, ele respondeu meio cabreiro, aí eu falei assim, uai eu passei um mal, da cama para o trono se é que vcs me entendem, ele riu e disse que tb passou mal, deu uma diarréia em nós dois. Até hoje nós dois rimos disso. Valeu a pena só pela história, mas confesso nunca mais como essa fruta.bjs.

karla caetano disse...

Neide olha só o que eu encontrei. (é incrível como vc põe agente pra pesquizar... rs)
"os frutos bem maduros são comestíveis e podem ser consumidos ao natural ou usados no preparo de doces, geléias e compotas. Frutos verdes ou de vez (quase maduros) devem ser evitados porque contêm grande quantidade de tanino. O seu consumo deve ser moderado para se evitar problemas de distúrbios digestivos. Existem muitos pássaros, roedores e mamíferos de pequeno e médio porte que se alimentam dessa fruta. O lobo-guará, o verdadeiro lobo brasileiro, é o animal padrão como apreciador dessa fruta, o que provavelmente deu nome a essa planta." Fonte GloboRural

Espero ter ajudado... rs
Karla Caetano

Anônimo disse...

Se os frutos estavam amargos, pode ter certeza, eram frutos verdes que caíram no chão pela ação do vento.
Os frutos verdes não amadurecem, apenas desidratam e apodrecem.
Frutos maduros não são amargos, mas são enjoativos.
Os frutos maduros são amarelos, tendo a polpa parecida com a textura da polpa do abacate maduro.
Eu utilizo a lobeira apenas para fazer geléia e suco.

Anônimo disse...

Olha
Quando criança experimentei. Meu pai dizia que era "vermicida". Imagino que seja mesmo, pois deve ter matado tudo que tinha dentro do meu estômago, intestino etc. A fruta era doce, doce, gostosa de mais. Comi um pouco e acabei comendo o restante. Meia hora depois....voltou tudo. O lugar onde vomitei ficou manchado até hoje (uns 15 anos isso), o cheiro doce ficou uns 3 dias em mim.
Até hoje não gosto de lembrar do cheiro. Era bom, mas muito enjoativo e depois de comer uma gigante...
Bem..se a intenção era matar os verme, acho que matou...!!!! Nunca fico gripada, nunca tive vermes..ou seja..to forte, rsrsrrsrs.

Anônimo disse...

Minha mãe já fez vários testes com a lobeira e várias pessoas ja usaram para acabar com verrugas e deu muito certo. Minha prima tinha uma verruga no dedo e foi raspando o caldinho da lobeira e passando algumas vezes e a verruga sumiu. Eu tirei uma verruga com o médico e ela nasceu de novo, foi só eu passar a lobeira algumas vezes e ela acabou. Vai aí uma dica de serventia para a lobeira!

Anônimo disse...

descobri q essa fruta cura hemorroida é só corta em quatro coloque pra cozinhar em um litro d agua e faz banho de acento e cura mesmo

Paulandre disse...

Tenho uma fartura de lobeira aqui no interior de MG, região leste. Lendo tudo e sabendo que é rica em tanino, vou testar em fixação para tingimentos em tecidos naturais. Já que as receitas não funcionaram muito; quem sabe em outra área? =)

josé mauro noronha disse...

José Mauro Noronha/josemnoronha@yahoo.com.br.
Estive no pasto de minha propriedade e vi que nasceram muitos pés de fruta do lôbo. Abri o blog e li todos os comentários, achei interessante. Minha intenção era eliminá-los de vez.Entretanto como na minha região existem lôbos guarás, e diante dos comentários resolvi que vou deixá-los crescer e produzir frutos.

dariosilva disse...

Aqui em minha região lobeira já foi praga hoje pouco vemos lobeira por aqui, seu gosto não era amargo mas extremamente enjoativo, aponto de causar mau estar, isso quando madura.

dariosilva disse...

Aqui em minha região lobeira já foi praga hoje pouco vemos lobeira por aqui, seu gosto não era amargo mas extremamente enjoativo, aponto de causar mau estar, isso quando madura.

Cristina Dias disse...

Alguém sabe como fazer polvilho da fruta-do-lobo?

abraço
Cristina

Vinicius Ferreira disse...

Toda vez que volto a barbacena, mg fico procurando o fruto nos quase extintos pés que sobraram. Infwlizmwnte nao acho nenhum maduro. Trouxe um verde na esperqçq de plqntar aqui no litoral norte de sp, mas eçeu o perdi. Lembro de quqnto o cheiro era gostoso, mas nunca comi por pensar que era veneno. Isto faz mais de 20 anos. Da proxima vez que for eminas, trarei um gqlho. Quem sabe vinga...

Terezinha marques ramos disse...

gostei dos comentários mas o meu e o seguinte uso a fruta de lobo para fazer uma tintura que e bom para inflamação tipo artrose ou artrite emfim inflamação em geral a receita um fruto grande para um litro de álcool deixar descansar por 7 dias e depois usar no local da dor

Anônimo disse...

A fruta lobo é muito eficiente no controle do diabetes. Lave bem a fruta e cozinhe em água até ficar macia. Retire-a da água pique bem e coloque numa jarra com água mineral. Tome um copo por dia, durante tres dias . Repita mensalmente. CUIDADO porque se tomar por mais de tres dias pode baixar demais a glicemia, o que também é prejudicial.

Anônimo disse...

Bem, disseram pra minha mãe usar a fruta da lobeira para tirar dor. Falaram para colocar no fogão de lenha na brasa, deixar aquecer bem e por no local da dor (ela tem esporão).Depois de tres dias abriu uma ferida enorme no seu pé esta na carne viva, tudo infeccionado, tive que leva-la ao medico.Ela não colocou a polpa da fruta quente não, pos ja quando estava frio e mesmo assim, deu problema. Alguem tem alguma opinião a respeito disso? Estou chocada.

Anônimo disse...

aDOREII O FRUTO E COMI ME FEZ BEM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Alex de moura gomes disse...

me falaram que o porvilho da lobera serve pra matar a bacteria h pilori misturando uma colher no pão da manhã uma colher no almoço e uma colher na janta durante 15 dias

Fernanda Santtos disse...

Ola paulandre em que regiao vc mora ??? Estou a procura dessa arvore por motivos de saude e nao acho em lugar nenhum tanbm sou de mg por favor entre em contato comigo fernandasanttosmascarenhas@gmail.com desde ja obrigado

Anônimo disse...

Onde que eu acho?? Sou de Ribeirão Preto

Anônimo disse...

e-mail pra contato helviohorlandini@hotmail.com

marcio disse...

meu nome é marcio, e meu pai tem uma ferida que os medicos diz ser vindouro da lobeira, gostaria de saber se alguém ai sabe o nome de algum remedio para matar essa bacteria, meu email é marciojf312009@gmail.com

brstarship disse...

Olá Neide!
Pode ser que esta moça tenha algumas receitas interessantes. Leia o artigo: http://www.pousadadascores.com.br/hortifrutigranjeiros/fruta_do_lobo.htm Abraço, Cassio

Sérgio Giraldi disse...

Olá Sra. Neide, muito bom seu trabalho!!! Más o excesso de amargo,
não seria o excesso de tanino,talvez provocado pela região que foi colhida? GRATO!!!

Anônimo disse...

Olá Neide.
Ótimo saber essas informações sobre a lobeira, moro em Jaraguá- GO e recentemente estou mudando para uma fazenda onde é repleta de cajus do cerrado, pequi, e lobeira. Fiquei muito curiosa com o tamanho e forma dela e abri um que ja estava no chão. Super cheirosa, me lembrei da maracujina na hora e dei uma mordida. Ela é bem doce realmente mais o funal do gosto da um pequeno áspero um gosto diferente de explicar, mais ela é bem gostosa sim. Imagino que suco e doces ficaria no ponto certo.
Abraços !!