terça-feira, 22 de junho de 2010

Pipoqueira


Esta, profissional, de alumínio grosso, pode ser encontrada no Mercado da Lapa


As duas, de panela de pressão adaptada. A primeira, de Porto Alegre; a segunda, do meu pai
No post das pipocas doces que publiquei na semana passada, falou-se da panela de pressão para estourar pipoca (veja também os comentários). Uma porque é mais grossa e permite que todas as pipocas estourem sem queimar. Outra, que dá pra tampar oferecendo segurança na hora de chacoalhar, além de não queimar o caramelo. Principalmente para as pipocas carameladas só estes dois motivos já são bastante atrativos.
A maioria das pipoqueiras do mercado realmente é fina demais e queima facilmente. Por isto talvez em Porto Alegre estas pipoqueiras adaptadas são tão comuns. Todos os pipoqueiros mandam a grossa panela de pressão para um mesmo lugar, onde adaptam com uma tampa e manivela. Lembrei também da pipoqueira do meu pai. Um dia cheguei em Fartura e ele, mesmo sem saber das gambiarras gaúchas, veio me mostrar a dele. Tirou a borracha e adaptou uma manivela no furo do pino. Simples assim. Veja aqui mais fotos destes e outros usos não autorizados para panelas de pressão.
Mas quem não tem um pai professor pardal e quiser comprar uma boa pipoqueira de alumínio grosso, no Mercado da Lapa tem. Vi ainda no sábado e custa R$ 48,00. Aqui vai o contato do box que tem de um tudo, de cortador de biscoitos a peças para cafeteira italiana e máquinas de moer carne :
Comercial Vendrame de Carra - Tudo para sua cozinha
Mercado da Lapa - Rua Herbart, 47 - Boxes 9/11/13
Tel. 11.3832-8289

4 comentários:

clau disse...

Neide, vc nem me fale em pipoca, que eu sou uma vi-ci-a-da...
Nao passo um dia sem.
E achei demais a pipoqueira que fez o seu pai: forte!
Qdo for ai, de novo, tomaremos café com pipoca, ok?
Tudo de bom.
Bjs!

Gabriel Leicand disse...

Eu tenho uma de alumínio e realmente é fina demais.
A idéia da panela de pressão é genial!

Carmen disse...

Esta pipoquira parece más bien una nave espacial, está enorme.
A mí que me encantan las palomitas, así les decimos acá a las pipocas, me vendrían bien una olla. No me gustan las palomitas de microhondas son muy grasosas y con demasiados aditivos. Ya nadie compra maiz palomero para hacer en la olla.

Qué envidia me da ver esto
saludos

Neide Rigo disse...

Claudia, combinado!

Gabriel, realmente é difícil encontrar desta pipoqueira mais grossa.

Carmen, também odeio palomitas de microondas. Por aqui também, ninguém mais quer saber de fazer pipocas em casa. E mais fácil que isto, impossível.

Um abraço, N