sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Piracaia - cada dia melhor

Vista do Empório Apiário, com queijos mussarelas defumados em destaque
No começo bate um desespero de se embrenhar por uma terra estranha sem minhas plantas, raízes e vínculos pessoais, mas aos poucos o terreno vai ficando fértil, íntimo e mais próximo. Tão próximo, que temos ido e voltado no mesmo dia, com a frequência ideal para se ir criando laços. Fomos neste feriado de quarta, vamos de novo amanhã. A cada ida, uma planta nova que brotou e folhas novas nos galhos secos de pequenas fruteiras antes sepultadas por braquiárias.  E aos poucos, vamos conhecendo pessoas que fazem o lugar muito mais interessante, afinal adoro plantas mas não sou daquelas que conseguem abraçar árvores e conversar com elas. Nossa empatia se dá de outras formas que não as tipicamente humanas.  Por isto, gosto de passar no Empório Apiário, da Rosângela e do Alexandre (e do menino Gabriel), que vende produtos locais, de onde trouxe o caldo de cana da broinha de ontem. E de almoçar na pousada Figueira Grande, comida caseira deliciosa feita pela Helenice com ingredientes da horta que fica entre as águas da represa e a cozinha, para depois ainda tirar um cochilo debaixo das árvores (esta da foto aí embaixo não sou eu, não, que não consigo dormir de dia, é a Suzana, minha irmã). O único senão de Piracaia é a paisagem cada vez mais dominada pela monocultura de eucaliptos. E não é só lá. Ô praga! 


Pousada Figueira Grande - depois do almoço

Vista da Pousada Figueira Grande




Empório Apiário - vende produtos locais como mel, geleia e queijo 



No Empório Apiário tem caldo de cana de cana limpa como deve ser

Empório Apiário
Casa do Artesão, na entrada da cidade de Piracaia
Tel. 11 9553-2759
Email: ca.caixaparaabelha@yahoo.com.br


Pousada Figueira Grande
www.pousadafigueiragrande.com.br
Tel. 11 9618-0854 (para não-hóspedes que queiram almoçar, é necessário ligar antes para reservar) 

6 comentários:

angela disse...

Neide, o Serguei não só abraçava como fazia amor com árvore. Não sou contra. Talvez seja um aperfeiçoamento, quem sabe? mas minha meta e ser como você, ainda só aprecio a beleza. Já alexandre acha árvore chato. Quando são muitas e balançam ao vento aí sim, ele fica maravilhado! Uma só, acha bobo. Feito a do paraiso. Também só durmo de dia se for caso de doença! Defeito de fabricação total.
bjs!

Neide Rigo disse...

Ângela, eu adoro árvore, venero, aprecio, defendo. Mas cada um na sua... Posso até expressar minha admiração em voz alta ao vento, mas, se há algum entendimento entre as partes, não precisa de palavras nem gestos. Também tenho este defeito, de não dormir de dia, de nascença.
beijos, N

Lilian, a mãe do Gabriel. disse...

Ei Neide,
Preciso ti confessar algo: tô muito ansiosa com o "Projeto Piracaia". As vezes me pego pensando em como vc deixará o lugar lindo de viver e fará muitas delícias lá.
Daqui a pouco ti mando umas delícias das Minas...
Bjão

Pequi disse...

Planta pé de Pequi, além de oferecer uma fruta deliciosa a paisagem ficaria mais bonita.

nydia bonetti disse...

Encontrei teu blog por acaso. Bem-vindos à Piracaia! Abraços, Nydia.

Neide Rigo disse...

Oi, Nydia! Obrigada! Você mora em Piracaia?
Um abraço, N