segunda-feira, 9 de maio de 2011

Jiló queimado

Descobri meio perdidos na geladeira três jilós já enrugados e amarelos, porém ainda íntegros. Como não havia mistura além de um ovo caipira que fritei, os três amargosos viraram um complemento bastante digno e delicioso para qualquer jilófilo. Além de ser uma solução rápida para uma pessoa só. 


Como a maioria das "invenções" culinárias parte de referências ou aprendizado de técnicas, invoquei as berinjelas da Aninha. Deixei os jilós queimando sobre uma grade para não ter o trabalho de ficar segurando com garfo uma a uma. Apenas mudava os jilós de posição à medida em que a pele ia ficando chamuscada. Enquanto  isso,  lidava com os temperos para um molho simples feito com  tomatinhos da roça, cebolinha e alho negro - todos presentes da Marisa Ono, além de pimenta dedo-de-moça sem sementes, sal e azeite. 



Quando os jilós ficaram todos queimados e molinhos, foi só raspar a pele carbonizada com uma faca - deixei esfriar um pouco para não queimar a mão, jogar os tomatinhos temperados com azeite por cima e Nhac!  Com arroz integral e ovo frito.

13 comentários:

Maria Leticia disse...

Delícia e ótima ideia!!! Bjs e obrigada

Ashen Lady disse...

Primeira vez que jiló me dá água na boca. Realmente, não existe comida ruim, existe é gente que não sabe cozinhar.

Anônimo disse...

Neide eu adoro jiló, mais nunca pensei em fazer como beringela,e olha que já variei bastante ótima ideia, muito bom.

Dricka disse...

affe! que delicia! Pensa numa pessoa que não pode ouvir falar de jiló que fica com agua na boca. E esse está lindo, o doce do tomate deve ter ficado delicia com o amarguinho do jiló.
Bjs

aguiar disse...

Jiló é muito versátil! Pode ser frito, assado, cozido...gosto muito de fazer um "guisado" para acompanhar a polenta, fica ótimo!
Guardei sua dica.
Abraços

Duh Franzen disse...

Nem sei que gosto tem o jiló...nunca vi pessoalmente, será que aqui no sul tem jiló para vender? rsrss
Adorei a receita 'improvisada'
bjinhos

nana tucci disse...

DIVINO! Tem mais desses ingredientes? O James certamente vai requisitar...

Anônimo disse...

Olha que boa idéia! É um yakijiló em vez de yakinassu ( beringela assada de preferência na brasa). Deve ficar bom tb à japonesa, com shoyu e gengibre ralado ou pasta de wasabi.Preparo pimentões assim tb.

Neusa

Luce disse...

Eu gosto dele assim tostado e sem casca temperado com mostarda a l'ancienne. Fica divino!

heloisa de mesquita inoue disse...

Nossa, alho negro... é tudo o que eu queria experimentar! Li uma reportagem não me lembro se foi na revista Gula ou na da Gol...como morro em Goiânia não tenho contato com o pessoal dai...

Anônimo disse...

Boa noite1

Jamais havia me passado pela cabeça em experimentar o jiló. Porém, após breve pesquisa na internet encontrei artigos interessantes que abordava as propriedades do jiló. A partir de então, tomei a decisão de nas proximas compras para casa inserir o mesmo na lista de hortiftrutos. Sei que não deve ser fácil acostumar com o amrargo. Contudo estou levando em conta, os benéficios que o cita trará a mim e minha família.

Maria Eduarda
Gerente comercial do site Pechinchadasemana.com
www.pechinchadasemana.com

Neide Rigo disse...

Maria Eduarda,
jiló é parente da berinjela e, portanto, muito bom para saúde, mas para comer jiló, tem que gostar. Se tiver que forçar a comê-lo, não tem graça. Um abraço, N

Maria Eunice Sousa disse...

Que achado esse seu blog, Neide! Eu compro muito jiló para fazer suco com couve e tomar em jejum - é ótimo para o fígado! Mas ás vezes eu descuido e eles amarelam, então adorei achar suas receitas! E couve amarelada, você utiliza?
Obrigada por partilhar!